Entendendo a “bolha” rodoviária

Resumo: O TRC vive uma extraordinária sobreoferta de transporte, a que chamei daquela maneira numa óbvia referência à “bolha imobiliária” norte-americana que estourou em 2008. Embora haja muitas diferenças entre os dois episódios, a verdade é que aqui, como lá, tudo começou com crédito abundante e barato. E também pode resultar numa enorme inadimplência. Note-se que estou falando de valores multibilionários, pois foi fortíssimo o crescimento da frota brasileira de caminhões na primeira metade desta década (de 2010 a 2014), em que foram licenciados, em média, 152 mil caminhões/ano, um aumento de 81% em relação à média da década anterior (2000 a 2009), que foi de 84 mil/ano – que já representara um salto de 53% sobre a média histórica de 55 mil caminhões/ano, verificada nas últimas três décadas do século passado.
Autor: VIANA, Geraldo

Download

Post