Glossário

Webslesson Demo - Ajax Live Data Search using Jquery PHP MySql
Pesquisa

A

Abastecimento Direto (Direct Supply)

É um canal de distribuição com ausência de intermediários entre o produtor e o consumidor, no qual o produtor assume as responsabilidades que normalmente são funções de um intermendiário.


Abastecimento Integrado (Integrated Supply)
É uma aliança ou um compromisso a longo prazo entre duas ou mais organizações com o propósito de atingir negócios específicos através da maximização da eficiência de cada recurso das empresas participantes. O relacionamento é baseado na parceria, confiança, dedicação a objetivos comuns, em um entendimento das expectativas individuais de cada um.

ABC Classification ou Classificação ABC
Utilização da Curva de Pareto para classificar produtos em três categorias, usando critérios de demanda e valor. Itens do grupo “A” – pouca quantidade, mas representam grande valor.Itens do grupo “B” – quantidade e valores intermediários.Itens do grupo “C” – muita quantidade, mas representam pouco valor.Itens do grupo “C” – muita quantidade, mas representam pouco valor.

ABC Costs
Activity Based Costing ou Custeio Baseado em Atividades. Método contábil que permite que a empresa adquira um melhor entendimento sobre como e onde realiza seus lucros.

Absorção (Absorption)
Taxas de transporte: transportadoras podem absorver o custo de serviço especial ou benefícios e não incluí-lo no frete. Compras: prática do vendedor pagar pelo frete para equalizar o custo em relação a outros concorrentes. Custos: método tradicional de apropriação de custos indiretos baseado em rateios por taxas de aplicação.

Ação Corretiva
Ação para eliminar a causa de uma não conformidade identificada ou outra situação indesejável. (Norma ISO 9000: 2000

Ação Preventiva
Ação para eliminar a causa de uma potencial não conformidade ou outra situação potencialmente indesejável. (Norma ISO 9000: 2000)

Accordion Roller Conveyor
Veja Transportador Contínuo Extensível

Accumulating
Veja Acumulação

Accuracy

Veja Acurácia


Aceite (Acceptance)
É o documento assinado pelo cliente que formaliza a aprovação de uma cotação para que o fornecedor entregue um produto ou serviço.

Acessibilidade (Accessibility)
Capacidade de um transportador prestar serviço entre uma origem e um destino.

ACF
Attainable Cubic Feet ou Espaço Cúbico Permitido.

Acknowledgement of Receipt ou Confirmação de Recebimento
Notificação relacionada a algo recebido. Veja Confirmação de Recebimento.

Acknowlegement of Delivery
Veja Conhecimento de Entrega

Acolchoamento (Shielding)
Resultado da aplicação de elementos protetores contra choques e vibrações.

Acompanhamento (Tracking ou Follow Up)
O processo de acompanhamento de um embarque de modo a determinar a natureza de seus movimentos no ponto onde as cargas foram perdidas e como podem ser recuperadas. Enquanto a expedição deve priorizar o embarque, o acompanhamento incia-se após este embarque. Embora alguns embarcadores solicitem que seja acompanhada amaioria de seus embarques, isto normalmente deveria apenas ser utilizado para localizar um embarque que foi perdido. Entre diversas formas de acompanhamento estão: fax ou e-mail, telefonemas e registro de entregas. Quando realizado um acompanhamento, particularmente são necessários o número de conhecimento, a data, o número do veículo, o manifesto, o embarcador e o registro.

Acondicionamento (Conditioning)
Processo de colocar cuidadosamente os materiais em recipiente ou contenedor destinado a proteger e acomodar materiais e equipamentos.

Acordo de Co-Fabricante (Co-Maker Agreement)
Acordo feito entre o fornecedor / co-fabricante e o cliente que, além do objetivo e termo do acordo, traz anotações de longo prazo: tempos de entrega, confiabilidade de entrega, desempenho da qualidade e quantidade, procedimentos para efetuar redução no preço, e cooperação, no desenvolvimento de novos produtos, entre outros.

Acordo de Livre Comércio Norte Americano (North American Free Trade Agreement – NAFTA)
Um acordo aduaneiro relacionado à aliança econômica definida pelo Canadá, México e Estados Unidos.

Acordo ou Contrato de Nível de Serviço (Service Level Agreement – SLA)
Especifica as exigências do serviço contratado e as penalidades no caso do não cumprimento do acordo.

Activity Planning
Veja Planejamento de Atividade

Acumulação (Accumulating)
Atividade de combinar estoques homogêneos de produtos ou materiais em grandes quantidades.

Acúmulo de Perdas de Rendimento (Cascading Yield Loss)
Condição em que ocorre perda de rendimento em múltiplas operações ou tarefas.

Acurácia (Accuracy)
Grau de ausência de erro ou grau de conformidade com o padrão. Acuracidade é diferente de precisão. Por exemplo, uma quantidade de quatro dígitos é menos precisa do que uma quantidade de seis dígitos. Entretanto, uma quantidade de quatro dígitos adequadamente informada, pode apresentar maior acuracidade do que uma quantidade de seis dígitos inadequadamente informada.

Acurácia da Estrutura de Produto (Product Structure Accuracy)
Grau de conformidade entre as proporções dos componentes de um produto registradas e praticadas.

Acurácia de Previsão (Forecasting Accuracy)
Grau de acerto entre quantidades previstas e efetivas.

Acurácia de Registros (Record Accuracy)
Conformidade dos dados de registro com os dados físicos. Por exemplo, em um sistema de controle de estoque, lista de materiais, lista de funcionários, etc.

Acuracidade
Grau de ausência de erro ou grau de conformidade com o padrão.

Acuracidade do inventário (como indicador de eficácia)
É a quantidade de itens com saldo correto, dividida pela quantidade de itens verificados, vezes 100.

Added Value
Veja Valor Agregado

ADR – Articles Dangereux de Route
Veja Transporte de Artigos Perigosos

Aduana (Custom)
São impostos ou taxas, definidos pelo governo, sobre produtos importados ou exportados de um país.

Advalorem
Proporcionalmente ao valor: uma taxa aplicada a certas tarifas de frete ou alfandegárias, cobradas sobre produtos como porcentagem do seu valor.

Advanced Charge
Veja Cobrança Antecipada

Advanced Supply Chain Management
Veja Gerenciamento Avançado da Cadeia de Abastecimento.

Aeroporto Hub (Hub Airport)
Aeroporto que serve como ponto para início e conclusão de vôos de longa distância; vôos a áreas de custo maior são levados ao aeroporto hub para vôos com conexão / re-dispacho.

AFRMM
Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante.

Aftermarket
Pós-venda.

Agency Fee
Veja Comissão de Agência

Agente de Pedidos (Order Clerk)
Pessoa encarregada de ler, validar e assegurar a acuracidade dos pedidos.

Agente de Tráfego (Traffic Agent)
Empresa especializada na organização e gestão de toda a cadeia de transporte de mercadorias (ou parte dessa), e encarregada pelo estivador de efetuar esse serviço. Para realizar esse trabalho faz contratos, relativamente às diversas fases do transporte, com outros operadores, por exemplo, consignatários, agentes alfandegários, agentes de transporte, etc.

Agente Marítimo (Ship Broker)
Empresa intermediária que, em nome e por conta do armador ou da empresa de navegação proprietária do navio, atua como depositária das mercadorias enquanto estas se encontram no terminal portuário, assumindo a sua recepção e entrega e cobrando os respectivos fretes. Além disso, presta serviços ao próprio navio e à sua tripulação, e efetua as operações de gestão relacionadas com a presença do navio no porto. Parte que recebe a carga, conforme mencionado no conhecimento de transporte.

Aggregate Forecast
Veja Previsão Agregada

Aggregate Inventory Management
Veja Gerenciamento de Estoque Agregado

Aggregate Planning
Veja Planejamento Agregado

Aggregated Stock
Veja Estoque Agregado

Aggregation Level
Veja Nível de Agregação

Agile Manufaturing
Veja Manufatura Ágil

Agilizar (Expedite)
Apressar ou acompanhar ordens de produção ou aquisição necessárias em um período menor do que o lead time normal; adotar a ação extraordinária por causa de um aumento na prioridade relativa.

Agregação (Aggregation)
Combinar partes para formar conjuntos com base em determinado critério. O objetivo é possibilitar que esses conjuntos sejam considerados um todo com relação a pontos específicos ou funções de planejamento. Esses conjuntos podem ser combinados para formar novos conjuntos.

Agrupamento (Grouping)
Relacionamento de operações e realização conjunta das mesmas, sequencialmente, aproveitando a mesma preparação.

AGVS
Automated Guided Vehicle System ou Sistema de Veículo Guiado Automaticamente.

Aileron
Dispositivo existente no bordo de fuga das asas dos aviões, próximo as pontas das mesmas, que funciona somente em vôo para fazer as curvas, quando girado o manche para os lados.

Aircraft ULD
Paletes e Containers que fazem parte da aeronave.

Airway Bill
Conhecimento de carga aérea, emitido pela companhia aérea para cargas únicas, não-consolidadas.

AIS
Automated Information System ou Sistema Automatizado de Informações.

Aisle
Veja Corredor

Ale Load
Veja Carga Sobre Eixo

Alfandegado (Inbond)
Estocagem de produtos em custódia do governo em armazéns alfandegados ou transportador de onde os produtos podem ser retirados apenas com pagamento de taxas ou impostos para uma agência governamental apropriada.

Algoritmo Wagner Within (Wagner Within Algorithm)
Técnica matemática complexa de dimensionamento de lote, que avalia todas as formas possíveis de se efetuar um pedido para cobrir as necessidades em cada período do horizonte de planejamento e chegar a uma estratégia ótima de pedido de todo o programa de necessidades.

Aliança Estratégica Horizontal (Strategic Alliance Horizontal)
A ligação com outra empresa com o propósito de ampliação de seu mercado e escopo geográfico. Na aviação, duas ou mais empresas geralmente desenvolvem uma aliança de mercado, a qual é referenciada como estratégia, de modo a ampliar a sua estrutura de rotas.

Aliança Estratégica Vertical (Strategic Alliance Vertical)
Uma ligação com outra empresa com o propósito de obter vantagens e ampliar competências como acesso a capital, habilidades ou atender determinada região. Um exemplo pode ser uma aliança com um fornecedor, de modo a obter sua tecnologia, que não será vendida para outra empresa.

All Cargo
Avião cargueiro. Tipo de aeronave própria para o transporte exclusivo de cargas.

All-Time Order
Veja Pedido Final

Allocated Stock
Veja Estoque final

Alocação (Allocation)
Divisão ou distribuição de produtos, atividades, capacidade, custos e / ou recursos para unidades organziacionais como clientes, fornecedores, fábricas ou departamentos.

Alocação de pedidos (Order Allocation)
Procedimento de priorização de pedidos em carteira, usado quando um estoque é insuficiente para atender a todas as solicitações. Uma gestão define a alocação das mercadorias a partir de critérios de prioridades.

Alternate Feedstock
Estoque de Abastecimento Alternativo.

Alternate Operation
Veja Operação Alternativa

Alternative Routing
Veja Roteiro Alternativo

Alto Giro (Fast Mover)
Produto entregue ou usado na produção com grande frequencia ou em um número relativamente elevado por período.

Altura Máxima Abaixado (Overall Lowered Height)
A máxima dimensão vertical entre o solo e o ponto mais alto do mastro da empilhadeira com os garfos abaixados sem carregamento.

Altura Mínima ( Minimum Underclearance)
Dimensão vertical do ponto mais baixo do veículo, até o nível de apoio do veículo.

Amostra (Sampling)
Inspeção que se executa sobre uma fração (amostra) representativa da população, inferindo-se, com bases estatísticas, às características da qualidade de toda a população.

Análise ABC
Veja Classificação ABC

Análise de Entrada / Saída (Input / Output Analysis)
Análise das relações mútuas entre as variáveis decisivas para os processos de produção e distribuição em um centro de distribuição, unidade industrial, setor e / ou toda empresa quanto a entrada e saída de produtos necessários para o processo.

Análise de fator com peso (Weighted Factor Analysis)
Tomada de decisão baseada em uma combinação de diversos fatores, tanto qualitativos quanto quantitativos. Primeiramente faz-se a identificação dos fatores para, em seguida, estabelecer os pesos e classificar as opções.

Análise de Modos e Efeitos de Falha de Processo (Process Failure Modes Analysis – PFMA)
Técnica analítica da manufatura para assegurar que os modos de falha em potencial e as suas causas tenham sido consideradas.

Análise de Perigo e Ponto Crítico de Controle (HACCP – Hazard Analysis and Critical Point)
Uma metodologia internacionalmente reconhecida para segurança de alimentos, a qual fornece diretirzes para identificação e controle de riscos.

Análise de Suporte Logístico (Logistics Support Analysis)
Processo interativo analítico, parte do processo de engenharia de sistemas, elaborado para identificar e avaliar o suporte logístico para um sistema, definido: – considerações de suporte para influenciar o projeto; – as necessidades de suporte relacionadas à otimização do projeto; – aquisição do suporte necessário; – fornecimento do suporte necessário durante a fase de operação.

Análise do ciclo de vida (Life Cycle Analysis)
Técnica quantitativa de previsão que se baseia na aplicação de padrões históricos dos dados de demanda de produtos similares para a nova família de produtos, cobrindo as fases de lançamento, crescimento, maturidade, saturação e declínio.

Análise do Fluxo de Materiais (Material Flow Analysis)
Utilização dos dados coletados para o cálculo e análise do fluxo de materiais entre cada unidade de processamento.

Análise do Valor do Trabalho Realizado (Earned Value Added – EVA)
Método de acompanhamento do progresso físico e econômico dos projetos.

Análise dos Geradores de Custo (Cost Drivers Analysis)
Exame, quantificação e discussão dos efeitos geradores de custos. A administração utiliza, com frequência, os resultados da análise dos geradores de custos em programas de melhoria continua, para auxiliar na redução do tempo de processamento, aprimorar a qualidade e reduzir custos.

Análise E-Se (What If Analysis)
Uma análise geralmente computadorizada para simulação de várias alternativas ou cenários e avaliação da viabilidade de seus resultados.

Análise estatística
Serve de subsídio gerencial para analisar a frequência e intensidade de qualquer item durante determinado período estabelecido.

Ancoradouro (Berth)
Local em um porto em que uma embarcação pode ser atracada, frequentemente indicado por um código ou um nome.

ANP
Automated Negotiation Protocol ou Protocolo de Negociações Automatizadas.

ANSI X12
Um conjunto de normas promulgadas pelo American National Standards Institute, para uso na formatação e manuseio de documentos relacionados a compra transmitidos via EDI.

ANSI – American National Standards Institute)
Organziação que define os padrões americanos baseados no consenso de todas as organizações envolvidas.

Antecipação de Expedição (Forwarding)
Ação anterior ao envio de remessas, consolidando informações relacionadas aos produtos e seu transporte e, em caso de transporte internacional, especificando o órgão responsável pelo controle de exportações / importações.

Anticipated Delay Report
Veja Relatório de Atraso Previsto

Anticipation Inventory
Veja Estoque de Antecipação

AOD – Acknowledgment of Delivery
Veja Conhecimento de Entrega

APD – Additional Product Documentation
Veja Documentação Adicional de Produto

APICS – American Production and Inventory Control Society
Associação americana para controle de produção e estoque.

Application Identifier
Veja Identificação de Aplicação

APS
Advanced Planning Scheduling ou Planejamento da demanda do suprimento, programação, execução avançada e otimização.

APS – Advanced Planning Systems
Veja Sistema de Planejamento Avançado

Aquisição Rápida de Peças Fabricadas (Rapid Aquisition of Manufactured Parts – Ramp)
Uma forma de processamento de pedido para reduzir o tempo de compra pelo cliente de peças fabricadas com longo lead time, onde os dados do produto são intercambiados em formato eletrônico quando o pedido é colocado.

Aquisition Annual Cost
Veja Custo Anual de Aquisição

Aquisition Cost
Veja Custo de Aquisição

Area de carregamento (Loading Area)

A superfície que pode ser o piso ou plataforma de um palete onde as cargas são posicionadas.


Area de expedição

É a área demarcada nos armazéns, próxima das rampas/plataformas de carregamento, onde os materiais que serão embarcados/carregados são pré-separados e conferidos, a fim de agilizar a operação de carregamento.


Area de quebra

É a área demarcada nos armazéns, geralmente próxima da entrada, onde as embalagens, produtos e materiais recebidos são desembalados, separados, classificados e até reembalados de acordo com o sistema ou interesse de armazenamento do armazém/empresa.


Armador
Proprietário de navios

Armazém Alfandegado
Armazém especifico para cargas procedentes ou com destino ao exterior

Armazém de Abastecimento (Supply Warehouse)
Um armazém para matérias primas em uma empresa, combinando produtos de diferentes fornecedores e preparando os pedidos para a fábrica.

Armazém de Ditribuição (Distribution Warehouse)
Armazém no qual produtos acabados são estocados e de onde os pedidos dos clientes são atendidos.

Armazém Geral (Public Warehouse)
Armazém operado por terceiros que presta serviços a vários clientes do mercado.

Armazém Intermediário ( Intermediated Warehouse)
Armazém localizado entre fábricas e cleintes para prestar melhor atendimento ao cliente e reduzir o custo de distribuição.

Armazém ou Warehouse
Lugar coberto, onde os materiais/produtos são recebidos, classificados, estocados e expedidos.

Armazém Próprio (Private Warehouse)
Armazém operado pela empresa para seus próprios produtos.

Armazém Temporário (Overflow Warehouse)
É um armazém que guarda temporariamente os produtos em picos de demanda ou períodos de safra.

Armazenagem (Warehousing)
É a denominação genérica e ampla que inclui todas as atividades em um local destinado à guarda temporária e à distribuição de materiais (depósitos, almoxarifados, centros de distribuição, etc). Conjunto de atividades executadas em um almoxarifado, depósito, galpão, armazém ou centro de distribuição. Entre as diversas atividades estão o recebimento, endereçamento, estocagem, separação dos itens, embalagem ,expedição, etc.

Armazenagem de Transporte (Transportation Warehousing)
Representa um custo de arazenagem economizado. A roteirização sobre circunstâncias diversas oferece oportunidades para maximizar o tempo em trânsito e, assim, o recebimento de um serviço de armazenamgem sem ônus. As economias no custo de armazenagem, a partir de uma estocagem sem ônus pelo transportador, podem ser obtidas ao ínves de pagar um armazém geral ou próprio.

Arranjo Físico (Layout)
É a arte e a ciência de converter os elementos complexos e inter-relacionados da fabricação e instalações físicas em uma disposição capaz de atingir os objetivos da empresa.

Arrebite
Expressão utilizada pelos caminhoneiros, que significa mistura de bebida feita para deixar sem sono, visando fazer longa jornada de trabalho na estrada, sem parar para dormir.

Arrendador (Lessor)
Parte que concede a propriedade de um bem sob acordo de leasing.

Artificial Intelligence
Veja Inteligência Artificial

Arvore de Produtos (Product Tree)

Estrutura que mostra os níveis relevantes de agregação de determinada categoria de tipos de produtos.


AS / RS – Automated Storage / Retrieval System
Veja Sistema de Estocagem / Recuperação Automática

ASN – Advanced Shipment Notification
Veja Aviso Antecipado de Embarque

ASP – Application Service Provider
Veja Provedor de Serviço e Aplicação

Assemble to order
Só é fabricado por encomenda. Veja Montagem sob encomenda.

Assembly
Veja Montagem

Assorting
Veja Classificação

Atacadista (Wholesaler)
Intermediário entre fabricantes e varejistas em várias atividades como promoção, armazenagem, transporte e distribuição física. Compra e vende as mercadorias. Trabalha para diversos fornecedores, inclusive com linhas concorrentes.

Atendimento de Pedidos (como indicador de eficácia)
É a quantidade de pedidos atendidos prontamente, dividida pelo total de pedidos recebidos, vezes 100.

Atividade de Valor Agregado ( Value Added Activity)
Uma atividade que contribui para adicionar valor ao cliente ou satisfazer uma necessidade organizacional. O valor agregado reflete uma crença de que a atividade não pode ser eliminada sem uma redução de quantidades, da capacidade de reação ou da qualidade dos resultados desejados pelos clientes ou pela organziação.

Atividade que não agrega valor (Non Value Added Activity)
Uma atividade que é considerada como não contribuidora para o processo de adicionar valor ao cliente ou para as necessidades organizacionais. A designação “que não adiciona valor” reflete uma crença de que a atividade pode ser reestruturada, reduzida ou eliminada, sem a correspondente redução das quantidades, da capacidade, da qualidade dos resultados desejados pelos clientes ou pela empresa.

ATP – Available to Promise
Veja Disponível para Promessa

Authorized Deviation
Veja Desvio Autorizado

Auto Id
Identificação Automática.

Automação
Está relacionado a automatização de procesos e sistemas, tornando-os independente da atuação manual e repetitiva do ser humano.

Automação do Processo de Negócio (Business Process Automation)
Automação da Distribuição, revisão e avaliação da informação, incluindo tarefas como integração de dados, relatórios específicos, reconciliação de cobrança, inteligência do negócio, autorização e execução da transação comercial.

Automação Flexível (Flexible Automation)
Uso de máquinas automáticas acionadas por computador, que são facilmente reprogramáveis para outros.

Automação Rígida ( Fixed Automation)
Uso de máquinas automáticas que são difíceis de modificar para outros produtos.

Automatic Order (Port Authority)
Entidade de Direito Público responsável pela administração, gestão e exploração do porto e que, ainda exerce o controle dos serviços portuários. Tem personalidade jurídica e patrimônio próprios e dispõe de plenos poderes para agir no sentido de cumprir os seus objetivos, segundo o princípio geral de autonomia de gestão.

Availability
Veja Disponibilidade

Available Stock
Veja estoque Disponível

Average Deviation
Veja Desvio Médio

Average Inventory
Veja Estoque Médio

Avião Misto (Combi)
Uma aeronave que transporta passageiros e carga, na cabine central.

Aviso Antecipado de Embarque (Advanced Shipment Notification – ASN)
Informe antecipado aos clientes alertando quando os produtos deverão chegar.

AWB (Air Waybill)
Veja Conhecimento de Transporte Aéreo.

B

B/L
Bill of Lading ou Conhecimento de Embarque.

B2
A mistura de 2% de biodiesel ao diesel de petróleo é chamada de B2 e assim sucessivamente, até o biodiesel puro, denominado B100.

B2B
Significa business-to-business, ou seja, transações de CE realizadas entre empresas, por exemplo, quando uma empresa adquire produtos e/ou serviços de outra empresa, a exemplo do que ocorre na indústria petroquímica, onde não há transações com consumidores finais.

B2Bi
Business-to-Business integration, que permitem integração ponto a ponto entre duas empresas.

B2C
É a contração da expressão business-to-consumer que, por sua vez, quer dizer compra de produtos e/ou serviços pelos consumidores, diretamente de empresas, utilizando-se a Internet.

Back Order
Pedido em atraso.

Back Scheduling
Programação Retrocendente. Veja programação retroativa.

Back to Back
Consolidação de uma única expedição em um MAWB (Master Air Waybill – Conhecimento Principal de Transporte Aéreo) abrangendo um HAWB (House Air Waybill – Guia de Transporte Aéreo emitida por um expedidor).

Backflushing ou Baixa por Explosão
Baixa no estoque do grupo de peças e componentes utilizados na montagem ou fabricação de determinado equipamento ou produto.

Backhauling
Veja Viagem de Retorno

Backhauling
Veja Viagem de Retorno

Backward Integration
Veja Integração Reversa

Baia (Bay)
Denominação utilizada nas indústrias para áreas geralmente abertas, destinadas ao armazenamento de insumos, geralmente a granel. São numeradas para localização, identificação e controle.

Baixa em Estoque de Único Nível (Single Level Backflush)
Uma forma de dedução em estoque que reduz o estoque somente das peças usadas no nível seguinte de uma montagem ou submontagens.

Baixa no ponto de contagem (Count Point Backflush)
Técnica de dedução em estoque que usa mais de um nível da lista de materiais retornando aos pontos anteriores onde a produção passou por contagem.

Balanceamento de Linha (Line Balancing)
Técnica para determinar o mix de produtos que pode ser inserido em uma linha de montagem proporcionando um fluxo de materiais consistente para trabalhar em um ritmo planejado. Um processo de linha de montagem pode ser dividido em tarefas elementares, cada uma com um tempo necessário por unidade de produto e uma relação sequencial com as outras tarefas. O balanceamento de linha é a designação dessas tarefas para estações de trabalho visando minimizar o número de estações de trabalho e o tempo ocioso nessas estações.

Balsa
Embarcação utilizada em rios e canais para o transporte de veículos e pessoas, geralmente para pequenas distâncias.

Banguela
Expressão utilizada no transporte rodoviário, que significa andar sem estar engrenado, ou seja, no ponto morto da marcha.

Bar Coding
Veja Código de barras.

Barbeiro
Nome utilizado no transporte rodoviário para motoristas não hábeis na condução de veículos.

Bareboat Charter
Afretamento a casco nú. Modalidade de afretamento de navio.

Barge ou Barcaça
Embarcação de baixo calado, utilizada em rios e canais com ou sem propulsão com a finalidade de transportar produtos.

Barra
Local próximo ao porto, onde os navios ficam ancourados aguardando autorização para atracarem no caís.

Base Stock
Veja Estoque de Base

Basic Structure of Goods Flow
Veja Estrutura Básica de Fluxo de Produtos

Batch
Veja Lote

Batch Manufacturing
Veja Fabricação em Lote

Batch Number
Veja Número de Lote

Batch Picking
Veja Separação em Lote.

Batch Processing
Processamento por Lotes.

Batch Sensitivity Factor
Veja Fator de Sensibilidade de Lote

Batendo lata
Expressão utilizada no transporte rodoviário, quando o caminhão volta vazio (não tem carga de retorno).

Belt
Veja Correia

Benchmark
Conjunto de índices utilizados para estabelecer metas de melhorias nos processos, produtos, etc. Os índices de referências geralmente provêm de outras empresas, as quais foram reconhecidas pelos seus êxitos e que poderiam ser classificadas como sendo as melhores de sua categoria.

BENCHMARKING
Processo contínuo e sistemático para avaliar produtos, serviços e processos de trabalho de organizações reconhecidas como representantes das melhores práticas, com a finalidade de melhoria organizacional. (SPENDOLINI, 1992).

Benchmarking ou Marcos Referenciais
Processo sistemático usado para estabelecer metas para melhorias no processo, nas funções, nos produtos etc., comparando uma empresa com outras. As medidas de benchmark derivam, em geral, de outras empresas que apresentam o desempenho “Melhor da classe”, não sendo necessariamente concorrentes. A empresa tem que adaptar o modelo, de acordo com o seu dia a dia (próprias características).

Bens de Consumo Duráveis ( Durable Products)
Produtos que são usados diretamente pelos consumidores e que se espera que durem pelo menos três anos.

Berth
Veja Ancoradouro

Berth Cargo
Veja Carga de Lastro

Best of Breed
Veja Melhor da Classe

Best Practices
Também conhecidas como benchmarking competitivo, a metodologia que determina o melhor estado de desempenho ou aplicação.

Bi-trem, Reboque ou VCC (Veículo Combinado de Cargas)
É o conjunto monolítico formado pela carroceria com o conjunto de dois eixos e pelo menos quatro rodas. É engatado na carroceria do caminhão para o transporte, formando um conjunto de duas carrocerias puxadas por um só caminhão. É muito utilizado no transporte de cana de açúcar.

Big-Bag
Expressão popular de se chamar os contentores ou contenedores flexíveis, geralmente feito de polietileno.

Bill of LadingB/L
Conhecimento de Embarque, Conhecimento Marítimo, documento do armador, preenchido pelo embarcador e assinado pelo comandante ou o agente do navio, confirmando o recebimento de determinada carga a bordo (ou para embarque) e especificando, entre outros vários detalhes, o frete pago ou a ser pago no destino. É, ao mesmo tempo, um recibo de bordo, um título de posse e uma evidência de contrato de transporte, cujas cláusulas estão incorporadas no mesmo.

Billing
Veja Faturamento

Bimodal Distribution
Veja Distribuição Bimodal

Bin
Veja Escaninho

Bin Storage
Veja Estocagem em Contenedores

Biodiesel
É um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que pode ser obtido por diferentes processos tais como o craqueamento, a esterificação ou pela transesterificação. Pode ser produzido a partir de gorduras animais ou de óleos vegetais, existindo dezenas de espécies vegetais no Brasil que podem ser utilizadas, tais como mamona, dendê (palma), girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso e soja, dentre outras.

Blanket Purchase Order
Veja Pedido de Compra em Aberto

Blend Order
Veja Ordem de Mistura

Blocagem ou Block Stacking
Empilhamento simples sem uso de porta-paletes, no qual os paletes são empilhados diretamente no chão.

Block Layout
Veja Layout de Blocos

Block Scheduling
Programação por Blocos.

Block Stacking
Empilhamento dos paletes diretamente no chão.

Blocking
Veja Calço

Bluetooth
Comunicação sem fio entre aparelhos.

Boards
Primeiro nível da escala administrativa, tem a missão de proteger e valorizar o patrimônio, bem como maximizar o retorno do investimento.

Bol – Bill of labour
Veja Lista de Trabalho

Bombordo
Lado esquerdo do navio.

Bonded Warehousing
Armazém Alfandegado, onde as mercadorias importadas ficam guardadas até que haja o desembaraço das mesmas.

Booking
Relação numérica dos containeres que serão colocados a disposição para uso

Bordereau
Veja Romaneio

Bottleneck
Veja Gargalo

Bounded
Veja Retido

Box Jenkins Model
Veja Modelo de Box Jenkins

BPF
Boas Práticas de Fabricação.

Brainstorming (tempestade de idéias)
Técnica de reunião em que os participantes expõem livremente suas idéias, sem censura, em busca de solução criativa para um determinado assunto ou problema, uma campanha publicitária, etc., com alguém estimulando a todos e anotando tudo falado.

Break-Bulk
Expressão utilizada no transporte marítimo, que significa o transporte de carga geral, solta ou fracionadas, não conteinerizada e sem homogeneidade.

Break-Bulk (2)
Sistema convencional de transporte marítimo de carga geral, transportada solta e em volumes individuais, diferenciando-se, principalmente, de quando é transportada em contêineres.

Break-Even Point
É o ponto de equíbrio ou nível de produção ou nível de volume de vendas a partir do qual o empreendimento ou negócio se torna rentável. Qualquer valor abaixo do Ponto de Equilíbrio significa prejuízo.

Break-Out Area
Veja Área de Quebra

Breaking DownTime
Veja Tempo de Reabilitação

Breeder Bill of Material
Veja Lista de Material Regeneradora

Bricks and Clicks
Veja Tijolos e Cliques

Bridge Shipment
Veja Redespacho

Broadcasting
Envio de uma mensagem para múltiplos destinatários, garantindo que todos receberão a mesma mensagem e ao mesmo tempo.

Broken Stowage
Veja Perda de Estiva

Broker
Pessoa que intermedia a compra e venda de serviços e produtos em troca de comissão.

Brokerage Houses
Empresas especializadas em intermediar afretamento marítimo.

Brown Method
Veja Método de Brown

BSCBalanced Scorecard
Metodologia conhecida como Balanced Score Card, desenvolvida por KAPLAN, Robert S. & NORTON, David P.; para efetuar a avaliação do desempenho da Empresa através de métricas divididas em 4 grandes grupos: aprendizado e crescimento, processos, mercado e financeira, as quais guardam entre si uma relação de causa e efeito.

BTB ou B2B
Business-to-Business ou comércio eletrônico entre empresas.

BTC ou B2C
Business-to-Consumer ou comércio eletrônico de empresas para o consumidor.

Bucketed System
Veja Sistema de Planejamento Sincronizado

Bucketless System
Veja Sistema de Planejamento Defasado

Budget
Orçamento.

Buffer
Veja Pulmão

Buffer Inventory
Veja Estoque Pulmão

Buffer Management
Veja Gerenciamento do Pulmão

Built to Order
Veja Construído sob encomenda

Bulk Cargo
Carga à granel, ou seja, sem embalagem.

Bulk Carrier
Navio graneleiro, ou seja, próprio para o transporte de cargas à granel.

C

C&F Cost and Freight
Veja Custo de Frete

C2B – Consumer to Business
Aqui se encaixa o leilão reverso. Ao invés do consumidor procurar o melhor lugar para comprar o que deseja e de acordo com suas possibilidades, são as empresas que devem se adequar e tentar oferecer a melhor proposta.

C2C – Consumer to Consumer
É onde consumidores negociam com consumidores. O exemplo clássico são os leilões virtuais.

C?lula (Cell)
Unidade de manufatura consistindo em duas ou mais esta??es de trabalho ou m?quinas e mecanismos de movimenta??o e pulm?es para interconex?o.

Cabotagem
Navegação costeira que tem lugar entre portos de um mesmo país ou região.

Cábrea
Equipamento usado em portos para levantar grandes cargas pesadas ou materiais em obras, e que consta de 3 pontaletes unidos no topo onde recebem uma roldana por onde passa o cabo.

Cábrea flutuante
Embarcação sobre o qual se instala uma cábrea, para embarcar ou desembarcar grandes pesos de navios e de outras embarcações.

CAD – Cash Against Documents
Veja Pagamento Contra Entrega de Documento

CAD – Computer Aided Design
Veja Projeto Auxiliado por Computador

Cadeia de Abastecimento (Supply Chain)
A cadeia de abastecimento é constituída pelo conjunto de organziações que mantém relações mútuas do início até o fim da cadeia logística, criando valor na forma de produtos e serviços, desde os fornecedores até o consumior final.

Cadeia de Abastecimento Estendida (Extended Supply Chain)
Inclui fornecedores do fornecedor direto e clientes do cliente direto, todos interligados por um ou mais fluxos, produtos, serviços, finanças e informações.

Cadeia de Valor (Value Chain)
Funções que agregam valor aos produtos ou serviços vendidos para os clientes. Uma série de atividades agrupadas em atividades primárias e de apoio, que uma organização desempenha para produzir valor agregado a seus produtos e serviços.

CAE – Computer Aided Engineering
Veja Engenharia Auxiliada por Computador

Caged Storage
Veja Estocagem de Acesso Controlado

Cais (Quay / Wharf)
Parte de um porto destinada à atracação ou ancoradouro de embarcações na qual se efetua o embarque e desembarque de passageiros e carga. Área de doca paralela que permite a carga e descarga de um navio ou embarcação de um dos lados.

Cais a Cais ( Pier to Pier)
Contêineres carregados ou enviados de um porto de carregamento e descarregamento em um porto distinto.

Caixa (Box)
Caixa ou contenedor para acondicionamento dos itens

Caixa Principal (Master Carton)
Uma caixa utilizada como caixa de expedição para pacotes menores. É utilizada principalmente como proteção. Permite simplificar a movimentação dos materiais por meio da redução do númro de pacotes a serem manuseados.

Caixa Retornável (Returnable Box)
São contenedores utilizados na distribuição e devolvidos aos fabricantes para uso futuro.

Calado
Expressão do transporte marítimo, que significa profundidade em que cada navio está submerso na água. Tecnicamente é a distância da lâmina d’água até a quilha do navio.

Calado 2
Expressão do transporte marítimo, que significa profundidade dos canais dos portos.

Calço (Blocking)
Quando peças de madeira ou outro material são usados para evitar o movimento de produtos em carros, caminhões, navios ou contêineres. É usado nas cargas de modo a prevenir ou reduzir os efeitos das ações de frenagem e aceleração.

Calculated Capacity
Veja Capacidade Calculada

Cálculo de Necessidades
É o método de programação da produção, baseado na demanda derivada, ou seja, todas as peças, componentes, materiais e suprimentos que vão no produto ou serviço final.

Cálculo Estatístico do Estoque de Segurança
Determinação matemática de quantidades de estoque de segurança que considera previsão de falhas, tamanho de lote, níveis desejados de atendimento ao cliente e o índice de lead time frente ao período de previsão. O estoque de segurança frequentemente é o produto do fator de segurança adequado e o desvio padrão ou desvio absoluto da distribuição das falhas de previsão da demanda.

Call Center
Veja Central de Atendimento

Call Off List
Veja Lista de Pedido a Prazo fixo

Call Off Order
Veja Pedido a Prazo Fixo

Call Off Quantity
Veja Quantidade a Prazo Fixo

CAM – Computer Aided Manufacturing
Veja Manufatura Auxiliada por Computador

Câmara de Compensação (Clearing House)
Organização constituída para processar e coletar tarifas para um grupo de transportadoras.

Caminhão (Truck)
Veículo de tração projetado primariamente para o transporte de produtos ou como equipamento com propósito geral.

Caminho Alternativo (Side Track)
É um atalho ou caminho diferente do usualmente utilizado, conectando as duas pontas.

Caminhões na prateleira
Expressão utilizada no transporte rodoviário, que significa quando há ociosidade na utilização de caminhões, ficando parados à disposição de uma eventual utilização.

Canal (Pipeline)
Canal no qual o fluxo de material, pessoas e informações flui desde a fonte de abastecimento até o ponto de uso, ou do ponto de falha até o ponto de reparo.

Canal de Abastecimento Supply Channel)
Composto pelos negócios, desde os fornecedores de compras, seguindo pela fabricação (produção, operação e montagem), distribuição e chegando finalmente ao consumidor.

Canal de Armazém Único (Single Warehouse Channel)
Uso de um único armazém que atende às necessidades do varejo dentro de determinada área. O canal de armazém único geralmente é chamado de canal de disparo porque os produtos saem diretamente da fábrica para o atacadista, que então atende às necessidades dos varejistas.

Canal de Distribuição (Distribution Channel)
O meio de entrega de produtos ao consumidor final, incluindo o escoamento ao varejista, pedidos postais, catálogos e novas mídias tais como TV, home shopping e comércio eletrônico.

Canal Escalonado (Echelon Channel)
Método utilizado na movimentação de produtos das instalações de um fabricante por uma série de instalações intermediárias até chegar ao varejista. Neste método, cada nó escalonado atende às necessidades do nó seguinte. Uma expedição de uma fábrica pode consistir em um lote de determinado produto que seria movido para armazéns regionais. Nos armazéns regionais, uma operação de fracionamento de carga misturaria as combinações deste produto com outros para serem levados a um novo armazém regional.

Canal Logístico (Logistic Channel)
Rede de intermediários envolvidos na armazenagem, movimentação e comunicação em funções que contribuem para o fluxo eficiente de produtos.

Canal Pós Produção (Post Production Channel)
Segmento do canal logístico que tem por objetivo incluir apenas as atividades encontradas após o produto sair da produção.

Canal Pré Produção (Pre Production Channel)
Segmento do canal logístico que tem por objetivo incluir apenas as atividades encontradas antes de a matéria prima e os componentes entrarem na produção.

Cantilever Rack
Veja Estrutura de Braços em Balanço

CAO – Computer Aided Ordering
Veja Pedido Auxiliado por Computador

CAP – Computer Aided Purchasing
Veja Compra Auxiliada por Computador

Capacidade Calculada (Calculated Capacity)
Capacidade Verificada de um sistema. Tradicionalmente, a capacidade é calculada a partir de dados como as horas planejadas, eficiência e utilização. No contexto da teoria das restrições, capacidade calculada = horas disponíveis x disponibilidade x ativação, de onde a ativação é função da produção programada e da disponibilidade relacionada ao tempo de operação.

Capacidade Contínua de Reabastecimento (Continuous Replenishment Capability)
Porcentagem dos clientes que estão sendo reabastecidos dentro de um acordo de reabastecimento contínuo.

Capacidade de Atender ao pedido (Order Fill Capacity)
Capacidade de prover as quantidades desejadas em uma base consistente.

Capacidade de Segurança (Safety Capacity)
Planejamento ou reserva de potencial humano ou equipamentos acima das necessidades conhecidas para apoiar a demanda inesperada.

Capacidade Demonstrada (Demonstrated Capacity)
Capacidade provável, calculada a partir de dados reais de comportamento da produção, normalmente expressa como um número médio de produtos multiplicado pelas horas padrão por produto.

Capacidade do Processo (Process Capability)
A habilidade de produzir um produto dentro das especificações do cliente. Esta é uma boa forma de identificar a possibilidade de produzir um produto com um determinado nível de qualidade. Capacidade física básica de um equipamento de produção e dos procedimentos associados, para manter as dimensões e outras características dos produtos dentro de limites aceitáveis. Não é o mesmo que tolerância ou especificação das unidades produzidas.

Capacidade Estratégia (Strategy Capacity)
Uma das ações estratégicas que uma empresa deve adotar como parte de sua estratégia de fabricação. Existem três estratégias de capacidade comumente conhecidas: antecipada, postergada e de acompanhamento. A estratégia de capacidade antecipada ocorre na antecipação do aumento da demanda. A estratégia postergada refere-se à capacidade sobre a qual a empresa está operando ou sobre a capacidade total. Estas duas estratégias podem ser combinadas e são chamadas de estratégia de gestão. A estratégia de acompanhamento consiste em eliminar a capacidade para as pequenas quantidades, de modo a responder a uma demandas mutante do mercado. Esta estratégia também é conhecida como estratégia de equilíbrio.

Capacidade Flexível (Flexible Capacity)
Capacidade para operar equipamentos de fabricação em taxas distintas de produção, variando o lote de produção e o tempo de operação, ou acionando ou desligando os equipamentos voluntariamente.

Capacidade Logística (Logistic Capacity)
Capacidade de uma empresa em fornecer competitivamente alto nível de serviço ao cliente e economia de custos na logística e uma forte posição de mercado devido a um sistema logístico estruturado. Existem sete diferentes dimensões: serviço ao cliente, qualidade da logística, canal de distribuição, custo baixo, disponibilidade, tempo e comunicação.

Capacidade Máxima Demonstrada (Maximum Demonstrated Capacity)
O resultado mais elevado produzido no passado quando se efetuou todos os esforços paa “otimizar” os recursos; por exemplo: horas extras, pessoal adicional, turnos extras ou uso de equiamentos adicionais. A capacidade máxima demonstrada é o máximo que se espera produzir em um período de tempo, mas representa um índice que não pode ser mantido por um longo período de tempo.

Capacidade Nominal (Nominal Capacity)
Capacidade demonstrada por um sistema. Tradicionalmente, a capacidade é calculada a partir de dados, por exemplo as horas planejadas, a eficiência, a utilização. A capacidade nominal é igual as horas disponíveis x eficiência x utilização.

Capacidade Produtiva (Productive Capacity)
Capacidade adicionais de geração de saída de um recurso quando é operado a 100% de utilização.

Capacidade Protetiva (Protetive Capacity)
Determinada quantia de capacidade extra acima da capacidade da restrição do sistema, usada para proteger contra as flutuações estatísticas (quebras, recebimentos de materiais com atraso, problemas de qualidade, etc).

Capacidade Requerida (Required Capacity)
Capacidade de um sistema ou recurso necessário para produzir uma quantidade necessária em um período de tempo determinado).

Capacity Management
Veja Gerenciamento da Capacidade

Capacity Planning
Veja Planejamento da Capacidade

Capacity Simulation
Veja Simula??o da Capacidade

Capatazia
? o servi?o utilizado geralmente em portos e esta??es/terminais ferrovi?rios, onde profissionais aut?nomos, ligados a sindicatos ou de empresas particulares, executam o trabalho de carregamento/ descarregamento, movimenta??o e armazenagem de cargas

Captive Pallet
Veja Pallet Cativo

Carga (Cargo)
Produtos transportados ou a serem transportados

Carga (Load)
A quantidade de trabalho programada em uma f?brica, usualmente expressa em termos de horas de trabalho.

Carga Combinada (Co Load)
Dois embarques de diferentes terminais combinados para envio como carga ?nica.

Carga Comercial (Trade Load)
Pr?tica de vender e embarcar grande quantidade de produtos para um varejista ao final de um trimestre ou ano, assim o fabricante pode postergar essas vendas e considerar os receb?veis nesse per?odo. Esta pr?tica cria uma distor??o no planejamento e gerenciamento eficientes da cadeia de abastecimento.

Carga Completa de Cont?iner (Full Container Load ? FCL)
O mesmo que carga completa em um cont?iner, mas referindo-se ao transporte rodovi?rio.

Carga Completa do Caminh?o (Full Truck Load ? FTL)
O mesmo que carga completa em um cont?iner, mas referindo-se ao transporte rodovi?rio.

Carga Conteinerizada (Containerized Load)
Carga acondicionada em cont?ineres intermodais.

Carga de Lastro (Berth Cargo)
Este tipo de carga n?o ? normalmente solicitada devido a sua baixa caracter?stca para embarque ou taxa de frete baixo, mas ? geralmente transportada a baixas taxas como lastro de embarca??o.

Carga Direta (Direct Load)
Expedi??o, retirada ou entrega diretamente ao cliente sem manuseio no terminal.

Carga Distribu?da Uniformemente (Uniformly Distributed Load)
Uma carga unit?ria uniformemente distribu?da sobre um unitizador. O peso distribu?do na ?rea vaga n? varia significamente de um ponto a outro.

Carga do Ve?culo (Truck Load)
Quantidade de carga necess?ria para completar um caminh?o. Quando usada em conex?o com taxas de transporte, a quantidade de carga necess?ria para qualificar um embarque para uma taxa de carga de ve?culo usualmente excede 4.500 kg.

Carga Fora das Dimens?es (Out of Gauge Cargo)
Carga cujas dimens?es excedem as dimens?es normais de um cont?iner de 20 ou 40 p?s, por exemplo, na largura, comprimento ou altura.

Carga Fracionada (Part Load)
Carga geral solta.

Carga Geral (General Cargo)
Mercadoria Armazenada e transportada em sacarias, caixas, tambores ou barris.

Carga Granel (Bulk Cargo)
Carga homog?nea, n?o embalada, disposta em determinado espa?o de uma embarca??o, por exemplo: l?quido ou gr?os.

Carga Incompleta de um cont?iner (Less than Container Load)
Cont?iner carregado com produtos de mais de um consignat?rio ou para mais de um embarcador.

Carga inferior a um caminh?o (Less than Truck Load)
Uma pequena expedi??o que n?o ocupa todo o caminh?o ou uma expedi??o que n?o tem o peso suficiente para qualificar-se a obter um desconto por quantidade.

Carga Inferior a um Vag?o (Less than CarLoad)
Uma pequena expedi??o que n?o ocupa todo o vag?o ou uma expedi??o que n?o tem o peso suficiente para qualificar-se a obter um desconto por quantidade.

Carga M?quina (Machine Load)
Estudo da capacidade de um determinado equipamento, visualizado pelo histograma, identificando ociosidade e sobrecarga.

Carga Misturada (Mixed Load)
Movimento simult?neo de produtos regulares ou exce??es em um mesmo ve?culo.

Carga Paletizada ( Pallet Load)
Unidade de carga acondicionada em pallets.

Carga Planejada (Planned Loan)
Horas padr?o de trabalho necess?rias para as ordens de produ??o (planejadas) recomendadas pelo MRP.

Carga Segura de Trabalho ( Safe Working Load ? SWL)
Carga m?xima que um mecanismo ou dispositivo de eleva??o pode suportar.

Carga Sobre Eixo (Axle Load)
Pode-se referir ? permiss?o ou exist?ncia de carga carregada sobre o eixo de um ve?culo. Uma limita??o de carga sobre eixo em uma rodovia n?o pode ser excedida pelo ixo mais pesado. Essa ? uma medida crucial para o piso e limites de carga em pontes.

Carga Unitizada (Unit Load)
? a carga constitu?da de materiais (embalados ou n?o) arranjados e acondicionados de modo a possibilitar a movimenta??o e estocagem por meios mecanizados como uma ?nica unidade. Constitui uma base para um sistema integrado de acondicionamento, movimenta??o, armazenagem e transporte de materiais.

Cargo Declaration
Veja Declara??o de Carga

Cargo Interchange Message Procedure
Veja Procedimento para mensagem de interc?mbio de carga

Cargo Manifest
Veja Manifesto de Carga

Carn? Ata (Ata Carnet)
Documento alfandeg?rio internacional para uso dos expositores em que precisam cruzar fronteiras transportando produtos valiosos temporariamente. O carn? permite que os expositores levem os produtos temporariamente ao exterior para evitar os impostos e formalidades na fronteira.

Carregamento Finito (Finite Loading)
Designa??o de mais trabalho a um centro de trabalho do que o esperado em determinado per?odo de tempo. O termo espec?fico geralmente refere-se a uma t?cnica de computa??o que envolve o c?lculo de revis?es das prioridades de f?brica para nivelar a carga-m?quina, opera??o por opera??o.

Carregamento Infinito (Infinite Loading)
C?lculo da capacidade necess?ria dos centros de trabalho em per?odos de tempo necess?rio, sem respeitar a capacidade dispon?vel para realizar o trabalho, possibilitando a identifica??o de sobrecargas.

Carregamento Nivelado da F?brica (Level Plant Loading)
Conjunto de t?cnicas para reduzir a variabilidade na produ??o em cada unidade de neg?cio e na cadeia de abastecimento. ? considerado uma das melhores pr?ticas para atingir a efici?ncia na cadeia de abastecimento.

Carreta ba?
? uma carreta fechada.

Carreta Intermodal (PiggyBack Trailer on Flatcar)
Forma de conteineriza??o especializada em que se coordena o transporte ferrovi?rio e rodovi?rio.

Carreta isot?rmica
? uma carreta fechada, com isolamento t?rmico em suas paredes, que conserva a temperatura da carga.

Carreteiro
? o motorista que conduz o seu pr?prio ve?culo (caminh?o) no caso do transporte rodovi?rio.

Carrier
Veja Transportadora

Carrier Haulage
Veja Despesa com Transporte

Carriera Liability
Veja Responsabilidade do Transportador

Carrinho de m?o ( WheelBarrow)
Um equipamento com uma roda para movimenta??o de materiais que permite a concentra??o da maior parte do peso sobre a roda; da mesma forma que uma ?nica roda otimiza a manobralidade.

Carrossel Horizontal (Horizontal Carousel)
Sistema de estocagem que possui cestas suspensas e fracionadas por um sistema mec?nico. A separa??o do pedido ? feita diretamente da cesta, a qual ? parada em uma esta??o de opera??o. Grandes alturas podem ser obtidas por meio da instala??o de unidades adicionais sobre mezaninos. Tipicamente as instala??es de unidades de carrossel possuem v?rios carross?is para uma ?nica esta??o de opera??o, ent?o o operador n?o precisa esperar uma ?nica m?quina para alcan?ar a posi??o do cesto desejado. Pode ser controlado manualmente ou por computador com sistema integrado de controle de estoques.

Carrossel Vertical (Vertical Carousel)
Similar ao carrossel horizontal, por?m operando verticalmente com cestas suspenas.

Cart?o Inteligente (Smart Card)
? um cart?o pl?stico que inclui um chip que armazena informa??es de forma criptografada, para agiliza??o de processos de controle e pagamento.

Carta de Cr?dito (Letter of Credit)
Emitida por um banco e obtida pelo importador, autoriza um determinado banco a pagar ao exportador uma espec?fica quantia em dinheiro, uma vez que esse banco receba documenta??o que assegure que as condi??es estabelecidas na carta de cr?dito sejam cumpridas, por exemplo, os termos de venda, data de despacho, etc.

Carteira de Pedidos (On Order Stock)
Total dos pedidos pendentes. O saldo de pedidos aumenta quando um novo pedido ? recebido e diminui quando um pedido ? atendido.

Cartela (Skin-Pack)
Filme pl?stico que envolve fielm

Cascading Yield Loss ou Ac?mulo de Perdas de Rendimento
? quando ocorre perda de rendimento em muitas opera??es e/ou tarefas.

Cash to Cash
Tempo entre o pagamento do cliente final e do pagamento a fornecedores. Este ?ndice ? um importante indicador do desemepnho da cadeia de abastecmento, refletindo o desempenho do processo de gest?o de estoques e financeiro. Algumas empresas obt?m valores negativos, o que significa um ou outro desempenho.

CASS ? Cargo Accounts Settlement System)
Veja Sistema de Liquida??o de Contas de Transporte de Carga

Cataloga??o de Material (Material Catalogation)
Consolida??o dos dados de identifica??o de material e dos respectivos c?digos em publica??es espec?ficas: cat?logos ou banco de dados para consulta ou dissemina??o da informa??o. Tem por finalidade consolidar, organizar e divulgar os dados de identifica??o, caracteriza??o e codifica??o de itens de suprimento adquiridos ou distribuidos pela empresa.

Category Management
Veja Gerenciamento de Categoria

Cavalo mec?nico
? o conjunto monol?tico formado pela cabine, motor e rodas de tra??o do caminh?o. Pode ser engatado em v?rios tipos de carretas e semi-reboques, para o transporte.

Cavername
? o conjunto de cavernas de um navio.

CBD ? Cash Before Delivery
Veja Pagamento antes da entrega

CBR ? Case Based Reasoning
Veja Racioc?nio baseado em casos

CCR ? Capacity Constraint Resource
Veja Recurso com Restri??o de capacidade

CCS ? Cash Collection Shipment
Veja Pagamento contra Expedi??o

CD ? Centro de Distribui??o (Distribution Center)
? um armaz?m cuja miss?o ? realizar a gest?o de estoques de produtos para distribui??o. As atividades englobam movimenta??o, armazenagem, administra??o de produtos e informa??es, processamento de pedidos, emiss?o de notas fiscais e em alguns casos embalagem e coloca??o de etiquetas.

Cellular Manufacturing
Veja Manufatura Celular

CEM ? Collaborative Event Management
Veja Gerenciamento de Evento Colaborativo

Central de Atendimento (Call Center)
Um local com o qual o cliente entra em contato para colocar um pedido, perguntar sobre produtos e servi?os ou para solucionar problemas t?cnicos. Atualmente ? chamado de Contact Center.

Central de Contatos (Contact Center)
Central que re?ne os atendimentos feitos atrav?s do telefone (chamada telef?nica ou fax) e pela internet (chat ou e-mail).

Centraliza??o Virtual ( Virtual Centralization)
Um termo para a coordena??o de fun??es separadas dentro das linhas de neg?cio em uma empresa que de alguma forma possui um ponto ?nico de contato com fornecedores e clientes. Na verdade, elas n?o est?o centralziadas, mas atuam para o ambiente externo como se estivessem.

Centralized Purchasing
Veja Compra Centralizada

Centro de Agrupamento ( Groupage Center)
Local onde se efetua o agrupamento, reagrupamento e / ou desagrupamento de cargas.

Centro de Compet?ncia (Competency Center)
Uma ?rea da empresa considerada essencial e estrat?gica para o sucesso da mesma.

Centro de Desconsolida??o (De-Consolidation Center)
Um armaz?m em que a maioria dos fretes entram em lotes de carga completa e saem em pequenas quantidades.

Centro de Separa??o de cargas (Load Sortation Center)
Centro de Recebimento de cargas que, s?o separadas para serem expedidas para seus destinos.

Centro Log?stico (Logistic Center)
Centro de Distribui??o que inclui servi?os operacionais, agregando valor aos produtos e materiais que processa.

CEO
Chief Executive Operation ou Officer.

CEP
Controle Estat?stico do Processo. Metodologia usada para o controle de dados de forma estat?stica para o aprimoramento cont?nuo da qualidade.

Certificado de Recebimento do Expedidor (Forwarder Certificate of Receipt ? FCR)
Documento pelo qual o agente de transportes certifica que tomou posse dos produtos com instru??es irrevog?veis para entreg?-los ao destinat?rio.

Certificado de Transporte do Expedidor (Forwarder Certificate of Transport ? FCT)
Documento pelo qual o agente de transportes certifica que encaminhou os produtos ao destino. Chamamos aten??o para a diferen?a entre ser respons?vel pelos custos e ser respons?vel pela mercadoria.

CFR
Cost and Freight ou Custo e Frete.

Chamber of Commerce
C?mara de Com?rcio, associa??o de importadores e exportadores com o objetivo principal de desenvolver o com?rcio entre si.

ChangeOver Cost
Veja Custo de Mudan?a de Fabrica??o

Chapa
? a denomina??o dada ao profissional aut?nomo que ? contratado pelo motorista de caminh?o para fazer o carregamento ou descarregamento da carga, na origem ou destino.

Charter Party
Veja Contrato de Fretamento

Charterer
Veja Fretador

Chassi Combinado (Combination Chassis)
Chassi que pode transportar um cont?iner de quarenta ou trinta p?s ou uma combina??o de cont?ineres menores.

Chata
Barca?a larga e pouco funda; Embarca??o de estrutura resistente, fundo chato e pequeno calado, em geral sem propuls?o pr?pria, para o transporte de carga pesada.

Chicotes
S?o os cabos que fazem a liga??o entre o cavalo mec?nico e a carreta para a passagem de fios el?tricos (luz da lanterna, luz de freios/r? e luz da placa do ve?culo) e para os flu?dos (?leo) de acionamento dos freios.

Ciclo de Fabrica??o (Manufacturing Cycle)
Tempo transcorrido entre o recebimento da mat?ria prima e o envio do produto ao cliente final ou o recebimento nos armaz?ns de produtos acabados.

Ciclo de Vida do Produto (Product Life Cycle)
Per?odo de tempo entre a data da introdu??o e a data final de um produto no mercado. Entre as fases do ciclo de vida, pode-se distinguir: introdu??o, crescimento, maturidade, satura??o, decl?nio e retirada.

Ciclo PDCA
Mais conhecido dos ciclos de controle de processos, o ciclo PDCA aborda as fun??es: P (Plan) que trata do planejamento da atividade ou tarefa analisada, D (Do) da sua execu??o, da compara??o dos resultados obtidos com o planejamento efetuado atrav?s do C (Check), e da implementa??o de a??es A (Act) de melhoria, a partir da estabiliza??o do processo, ou corretivas quando se observarem desvios.

CIF
Cost, Insurance and Freight ou Custo, Seguro e Frete. Neste caso, o material cotado j? tem tudo embutido no pre?o, ou seja, ? posto no destino.

CIM
Computer Integrated Manufacturing ou Manufatura Integrada com Computadores.

Cinta (Stringer)
As cargas s?o presas em um palete por cintas de cima a baixo. S?o colocadas de duas a tr?s cintas por palete que possuem largura usualmente de 5 a 10 cm.

Cintamento (Strapping)
Fita fina utlizada para segurar a carga no palete.

CKD – Complete Knocked Down
Unidade de expedição de produto que permite sua montagem completa no destino.

Classe Mundial (World Class)
Ser o melhor no seu ramo, obtendo fatores de competitividade suficientes para atingir metas de lucro e qualidade.

Classificação (Assorting)
Atividade de separar itens nas categorias que os clientes e usuários finais necessitam. A atividade geralmente é realizada em instalações de distribuição orientadas ao mercado.

Classificação ABC (ABC Classification)
Utilização da Análise de Pareto para classificar itens (produtos, itens, etc) em três categorias, usando algum tipo de critério como demanda e valor. Designam-se as categorias A, B e C: A – um pequeno grupo de produtos que representam uma grande parte do valor de consumo total e/ou valor de produção. Esta categoria requer atenção especial. B – um grupo intermediário que requer menor atenção do que a categoria A. C – um grande grupo de produtos que representa somente uma pequena parte do valor total de consumo e/ou valor de produção ou giro. Relativamente, esta categoria é a que requer mínima atenção.

Classificação GUS (GUS Classification)
Classificação dos produtos em três categorias em benefício do fluxo de produtos e controle de estoques, com base em uma área de aplicação de produtos. G – Geral: Produtos que podem ser necessários em vários centros de operações ou grupos principais de produtos e cuja administração é centralizada. U – Única: Produtos que são usados somente em um centro de operações ou grupo principal de artigos mas em vários produtos. S – Específica: Produtos usados exclusivamente em um produto de nível mais elevado.

Classificação Uniforme de Frete (Uniform Freight Classification)
Um sistema de classificação de produtos similares dentro de categorias de taxas específicas. As categorias das taxas são baseadas nos atributos de movimentação de um produto tais como volume, necessidades especiais de movimentação, valores, etc.

Clearance
Liberação, desembaraço aduaneiro.

Clearing House
Veja Câmara de Compensação

CLM – Council of Logistics Management
É uma associação norte americana para promoção da logística e cadeia de abastecimento.

Cloased Loop Material Requirements Planning
Veja Planejamento das Necessidades de Materiais em Circuito Fechado

Closed Distribution System
Veja Sistema de Distribuição Fechada

Cluster
São concentrações geográficas de empresas interligadas entre si, que atuam em um mesmo setor com fornecedores especializados, provedores de serviços e instituições associadas.

Co-Carregamento (Co-Loading)
Carregamento, no trajeto, de carga de outro embarcador, com o mesmo destino que a carga que já está sendo transportada.

Co-CustomerShip
Conceito para medição do desempenho do valor real de produtos e serviços do fornecedor para o cliente com base em índices estabelecidos pelos próprios clientes.

Co-Load
Veja Carga Combinada

Co-Maker
Veja Acordo de Co-Fabricante

Co-Makership
Relacionamento a longo prazo entre, por exemplo, um fornecedor ou transportador e um cliente, com base em confiança mútua na realziação de determinada atividade produtiva.

Co-Managed Inventory
Veja Estoque Co-Gerenciado.

Co-Opetição (Co-Opetition)
Colaboração entre competidores para atender a uma necessidade específica do cliente, ou aproveitar uma janela de portunidade do mercado.

Coach
Facilitador; instrutor; entidade (pessoa, equipe, departamento, empresa, etc.) que atue como agregador das capacidades de cada elemento da cadeia (equipe, departamento, empresa, etc.).

Cobertura Abrangente de Distribuição (WideSpread Distribution Coverage)
Capacidade de atingir, de forma abrangente e eficaz, uma determinada região de distribuição.

Cobertura Média ou CM
É a indicação de quantas vezes o estoque se renovou durante o período (n). CM = 12/Cr ou sejam os 12 meses do ano divididos pelo coeficiente de rotação.

Cobertura Seletiva de Distribuição (Selective Distribution Coverage)
Capacidade de atingir, de forma eficaz, clientes exclusivos ou selecionados.

Cobrança Antecipada (Advanced Charge)
Cobrança efetuada por um transportador a um agente ou outro transportador que o entregador depois receberá do consignatário. Tais cobranças geralmente são para pagamento de tarifas e despesas extras para expedição efetuada por um agente ou outro transportador.

Cobrança na Entrega (Colect on Delivery – COD)
Serviço oferecido pelas transportadoras no qual o embarcador autoriza o motorista a cobrar uma quantia de dinheiro para o embarcador como condição de entrega.

COD – Cash on Delivery
Veja Pagamento Contra Entrega

COD – Collect on Delivery
Veja Cobrança na Entrega

Code Stitching
Tecnologia que permite decifrar e reconstruir os códigos de barras danificados ou truncados.

Codficação de Material (Material Codification)
Compreende a apropriação de códigos alfanuméricos para itens de suprimento, agrupados ou individualizados e sob as seguintes denominações: códig de grupo, código de subgrupo, código de identifcação ou código de estoque.

Código de Unidade de Distribuição (Distribution Unit Number – DUN)
Código de barras onde se acrescenta o dígito que trata da varante logística relacionada à distribuição física e/ou entrega de determinado produto.

Código Universal de Produto (Universal Product Code)
Um sistema de codificação de barras para identificação dos itens dos consumidores que são tipicamente escaneados nos pontos de venda por varejo nos Estados Unidos.

Coeficiente de Rotação
É a relação entre as retiradas de um estoque e o seu próprio estoque médio: Cr = saídas/estoque médio.

Cofre de Carga
Veja Contêiner

Colaboração (Collaboration)
Orientação por meio de metas comuns estabelecidas e trabalhadas em conjunto entre indivíduos e departamentos.

Coleta Programada (Milk Run)
Técnica de abastecimento onde um caminhão visita os fornecedores, retirando as mercadorias programadas para atender às necessidades.

Coletor (Scanner)
Equipamento ótico utilizado para a leitura de códigos de barras.

Collaborative Execution System
Veja Sistema de Execução Colaborativo

Collaborative Logistics Network
Veja Rede Logística Colaborativa

Collaborative Product Development – CPD
Veja Desenvolvimento Colaborativo do Produto

Collapsible Container
Veja Contenedor Colapsível

Colocar Pedido Contra Contrato (Place na Order Against Contract)
Prática de solicitar pedidos de um fornecedor coberto por um acordo. Esses pedidos individuais não necessitam de uma documentação completa como transações de pedido em separado, contidos no contrato existente.

Combi
Veja Avião Misto

Combinação de Pedido (Order Pooling)
Método de agrupamento de um ou mais pedidos adquiridos de um ou mais fornecedores dentro de uma simples entrega para um centro de distribuição ou loja.

Combination Chassis
Veja Chassis Combinado

Combination Joint Rate
Veja Tarifa Combinada de Transporte

Combined Transport
Veja Transporte Combinado

Comboio
Conjunto de veículos que seguem juntos para um mesmo destino. Utilizado principalmente por motivo de segurança; carros de munições e mantimentos que acompanham forças militares; composição ferroviária (em Portugal).

Comissão de Agência (Agency Free)
Valor pago pelo prorietário ou operador do navio para um agente portuário.

Comitê Draft
Comitê de Planejamento.

Commodities
são produtos que possuem pouca ou nenhuma diferenciação. Normalmente são cotados em bolsas de mercadorias, que definem seus preços. Além das commodities agrícolas, pode-se citar os produtos petroquímicos e alguns metalúrgicos, como o cobre.

Commodity
Artigo ou mercadoria com especificação comum no mercado, sem diferenciações e de fácil obtenção.

Common Carrier
Veja Transportadora Comum

Compartilhamento de Modais (Modal Share)
Uso relativo de modos de transporte. Estatísticas utilizadas incluindo toneladas/km, passageiros e receita.

Competency Center
Veja Centro de Competência

Compra (Purchasing)
O termo usado na indústria e administração para denotar a função e responsabilidade de adquirir materiais e serviços. Funções associadas com aquisição de produtos e serviços necessários a uma empresa para operar o seu negócio.

Compra Auxiliada por Computador (Computer Aided Purchasing)
O uso da tecnologia na automatização de diversas atividades de compras.

Compra Centralizada (Centralized Purchasing)
Na compra centralizada, um indivíduo ou departamento é posicionado dentro da organização, o qual recebe autoridade para efetuar as compras. Existem diversas vantagens em se organziar este tipo de função de compra, inclusive a facilidade de padronização dos produtos, maior capacidade de alavancamento devido a uma maior quantidade de compras, maior controle sobre as compras, maior eficiência administrativa com os fornecedores e desenvolvimento de especialização nas atividades de compra. Pode-se implementar a centralização em uma organziação com instalação única ou com diversas instalações.

Compra da mão para a boca (Hand to mouth buying)
A prática de realizar compras periódicas de lotes pequenos ou com consumo conhecido. Tipicamente feita em períodos onde a empresa busca reduzir seus estoques. As previsões econômicas podem aumentar o uso de um sistema de compras da mão para a boca quando demonstram uma possível recessão.

Compra especulativa
É quando mesmo não havendo necessidade da aquisição, poderá ser feita, baseada em fatores como contratos, previsões de aumento de preços, incertezas da disponibilidade do material em um futuro próximo e políticas estratégicas.

Compra gerenciada pelo fornecedor (Vendor Managed Purchase – VMP)
Sistema de compras e controle de estoques administrado diretamente pelo fornecedor de determinado produto.

Compra por Lote Fixo (Lot Purchasing)
Compra de lotes fixos de materiais, determinados por técnica econômica e que sempre é realizada em períodos variáveis, devido a não constância da demanda.

Compra por Período Fixo (Time Purchasing)
Abastecimento de itens-padrão realziado sempre num período fixo, como semanal e mensal, aplicado a material.

Compra sem papéis (Paperless Purchasing)
operação de compra que utiliza sistemas EDI para troca de informações entre fornecedor e comprador evitando assim a necessidade de documentação impressa.

Comprar ou Fabricar (Make or Buy)
Técnica de análise para decidir se a empresa deverá produzir ou comprar um determinado item.

Compressed Cycle Time
Veja Tempo de Ciclo Comprimido

Comprovante de Entrega (Proof of Delivery – POD)
O comprovante de entrega e os produtos são deixados com consignatários para que possam verificar os produtos no recebimento. Às vezes, a empresa de transporte envia o comprovante de entrega via correio antes dos produtos. Na prática, o comprovante de entrega pode ser uma cópia do conhecimento de embarque.

Computador de Bordo (On Board Computer)
Um computador em um veículo que utilizado para fazer o cálculo do uso de combustível, eficiência do motorista e outros dados relacionados ao transporte.

Comunicação de Dados via RadioFrequência (Radio Frequency Data Communication)
É um sistema no qual a comunicação é feita através de uma conexão entre o servidor e o recurso de coleta de dados, tais como terminais. Pode ser usado para fazer uma comunicação com as empilhadeiras ou os funcionários sem a necessidade de uso de papel.

Comunicação Logística (Logistic Communication)
Fornece informações de disponibilidade de estoque durante a colocação de um pedido, antecipando informação sobre cancelamentos e atrasos, e informação da data de entrega proejtada na colocação do pedido.

Conair
Tipo de container frigorífico, sem maquinário de refrigeração e que só pode ser utilizado com clip on ou em navios apropriados.

Conditioning
Veja Acondicionamento

Condomínio Industrial (Industrial Condominnium)
Expressão empregada na indústria de montagem (automobilística, eletrônica, etc) para designar a instalação de unidades avançadas das empresas fornecedoras no mesmo terreno da empresa montadora.

Conexão (Link)
Método de transporte usado para conectar os pontos (fábricas / armazéns ) e um sistema logístico.

Confiabilidade do Processo (Process Reliability)
A probabilidade de que um processo vai desempenhar uma determinada função em um tempo determinado sem que ocorram falhas. Este parâmetro pode auxiliar no planejamento da saída total de um processo.

Configuração (de produto)
Características físicas e funcionais de um produto, inclusive sua estrutura. Este termo também se aplica aos dados necessários para definir, fabricar, testar, instalar e prestar assistência técnica a um produto.

Configurador (Configurator)
Instalação para traduzr as necessidades do cliente (funções desejadas de aplicação) nos módulos de produção e software, a partir do qual o produto acabado tem de ser fabricado (principalmente usado em sistemas).

Confirmação Consolidada (Consolidated Confirmation)
Confirmação de que os produtos foram inclusos na consolidação destinada a partir em determinado embarque.

Confirmação de Despacho (Confirmation of Dispatch)
Comunicação que indica que a carga foi transportada para uma unidade, embarcação ou aeronave e que o trânsito para o destino já foi iniciado.

Confirmação de Entrega (Delivery Confirmation)
É a confirmação dos produtos recebidos. Também se refere a uma prova de entrega.

Confirmação de Recebimento (Acknowledgement of Receipt)
Notificação relacionada ao recebimento de algo como produtos, mensagens e documentos.

Confirming Order
Veja Ordem de Confirmação

Conhecimento (Waybill)
Documento oficial utilizado para identificar o embarcador e o consignatário apresentando a rota, descrevendo os produtos, peso e outras informações sobre o transporte.

Conhecimento da Cadeia de Abastecimento (Supply Chain Knowledge)
Dado que é acessado através da cadeia de abastecimento por uma empresa ou empresas integradas em uma cadeia e é combinado para formar vantagem competitiva. Isto pode ser em forma de conhecimento sobre as últimas tecnologias ou vantagens logísticas.

Conhecimento de Carga (Consignment Note)
Documento preparado pelo embarcador que envolve um contrato de transporte. Contém detalhes sobre a remessa a ser transportada e assinada pelo transportador como prova de recebimento.

Conhecimento de carga de navegação interna (Inland Waterway Bill of Loading)
Documento de transporte feito em nome de determinada pessoa assinado pelo transportador e enviado ao remetente após recebimento dos produtos.

Conhecimento de Embarque (Bill of Loading)
Documento que evidencia o contrato de transporte e prova o direito sobre as mercadorias. Também constitui o documento que é, ou pode ser, necessário para atender a uma reivindicação de seguro.

Conhecimento de Embarque Completo (Through Bill of Loading)
Conhecimento de embarque que abrange todos os produtos desde seu ponto de origem até o destino final, mesmo que forem usados por diversas transportadoras.

Conhecimento de Embarque de Pedido (Order Bill of Loading)
Uma forma de conhecimento de embarque que pode ser usado para vender (pelo transportador) ou afetar o pagamento (pelo embarcador) para os produtos na rota atendida pelo transportador.

Conhecimento de Embarque Governamental (Government Bill of Loading)
Um formulário especial de conhecimento de embarque usado pelo governo norte-americano e trafégo militar.

Conhecimento de entrega (Acknowlegement of Delivery)
Serviço especial oferecido por transportadoras que necessitam que o consignatário assine um recibo. Uma cópia é enviada ao embarcador como prova de entrega.

Conhecimento de Recebimento de Pedido (Order Acknowledgement)
Notificação de um fornecedor para um cliente que recebeu o pedido.

Conhecimento de Transporte
Documento emitido pela transportadora, baseado nos dados da Nota Fiscal, que informa o valor do frete e acompanha a carga. O destinatário assina o recebimento em uma das vias.

Conhecimento de Transporte Aéreo (Airway Bill – AWB)
Documento emitido pela transportadora ou em nome dela, confirmando o recebimento dos produtos e evidenciando contrato entre aquele que expediu e a transportadora, para carregamento de produtos via aérea. Também existe o DAWB (Direct Airway Bill) e NAWB (Neutral Airway Bill).

Conhecimento de Transporte Ferroviário (Railroad WayBill)
Normalmente conhecido como registro de embarque, preparado para cada vagão. Os pedidos de embarque são uma cópia do conhecimento de transporte. Uma cópia do conhecimento ferroviário é acompanhado com o produto embarcado desde o ponto de origem até o destino, independente do número de transportadoras envolvidas. Este conhecimento consiste de uma lista de informações, tais como peso, número de embalagem e necessidades especiais, entre outras. O conhecimento original irá eventualmente ser encaminhado para a audtoria.

Conhecimento Padrão (Standard Bill of Landing)
Uma forma de conhecimento utilizada no sudeste dos Estados Unidos, diferente de um conhecimento uniforme.

Conjunto (Kit)
Componentes de um item que são transferidos para o estoque e posicionados para montagem de conjuntos, geralmente para reparos.

Consecução do Programa (Schedule Attainment)
Produção atual dividida por meio do planejamento da produção, medindo a habilidade de produzir apenas um produto necessário para satisfazer às exigências de demanda de um cliente.

Consignação
Prática utilizada no comércio, onde o comerciante coloca a disposição no ponto de venda para pronta entrega, produtos de fabricantes / terceiros, sem que faça a aquisição dos mesmos. Só irá adquirir, se vender. Com isto, não precisa desembolsar antecipadamente na aquisição dos mesmos.

Consignatário / Destinatário (Consignee)
Parte, conforme mencionado no documento de transporte, que recebe os produtos, cargas ou contêineres. A pessoa ou empresa para qual os artigos são transportados.

Consigned Material
Veja Material em Consignação

Consignment Note
Veja Conhecimento de Carga

Consolidação (Consolidating)
Agrupamento de várias pequenas remessas numa unidade maior, para facilitar o manuseio e reduzr taxas. Combinação de pequenas expedições para obter taxas de frete reduzidas em função de um volume maior.

Consolidação de cargas
Consiste em criar grandes carregamentos a partir de vários outros pequenos. Resulta em economia de escala no custo dos fretes. É preciso um bom gerenciamento para utilizar este método, pois é necessário analisar quais cargas podem esperar um pouco mais e serem consolidadas. Se mal executado, compromete a qualidade do serviço de transportes, pois gerará atrasos.

Consolidação de embarque (Consolidation of Shipment)
O processo de combinação de um número de LCLs e LTLs em um vagão ou contêiner.

Consolidação de Exportação
Um agrupamento de empresas com o objetivo de juntar sinergias e aumentar a sua competitividade, reduzindo os riscos e os custos de internacionalização.

Consolidação de Frete (Freight Consolidation)
Agrupamento de expedições para obter custos reduzidos ou utilização aperfeiçoada da função de transporte. A consolidação pode ocorrer por meio do agrupamento da área de mercao, agrupando-se de acordo com as entregas de programação ou usando serviços de terceiros como armazéns públicos e agentes de transporte de frete.

Consolidação em Trânsito (Merge in Transit)
Uma técnica para combinar remessa de componentes de várias fontes enquanto esses componentes estão em trânsito dos fornecedores para os clientes.

Consolidar (Consolidate)
Agrupar e acomodar várias expedições juntas em um único contêiner ou veículo.

Consolidate Order
(Veja Pedido Consolidado)

Consolidated Bill of Loading
Veja Conhecimento de Embarque Consolidado

Consolidated Confirmation
Veja Confirmação Consolidada

Consolidated Container
Veja Contêiner Consolidado

Consolidation Point
Veja Ponto de Consolidação

Consórcio (Consortium)
Forma de cooperação entre duas ou mais mpresas para operar em determinado negócio

Consórcio Modular (Modular Partnership)
Alianças de duas ou mais empresas que fabricam e montam os componentes num produto final sem o emprego de mão de obra pela empresa contratante. Xpressão usada na indústria automobilística.

Construído sob encomenda (Built to Order)
O mesmo que montado sob encomenda. (Assemble to Order)

Consumidor-Cliente (Consumer-Customer)
Distinção entre loja (cliente) e o consumidor (último cliente). Muitos fabricantes estão investindo em forma de alcançar o consumidor diretamente através de ligações e-commerce e cadeias de abastecimento eficientes.

Consumo médio mensal
valor obtido através da média dos consumos mensais.

Contact Center
Veja Central de Contatos

Contacting Package
Veja Embalagem de Contenção

Contagem Cíclica
Veja Inventário Rotativo

Containerized Load
Veja Carga Conteinerizada

Contêiner
Equipamento de metal no formato de uma grande caixa, que serve para o transporte de diversos materiais, fazendo assim uma unitização de cargas, que ao estarem acondicionados no seu interior, não sofrem danos durante o percurso e nem em caso de transbordo para outros modais. São reutilizáveis e possuem quatro tamanhos principais de 30, 25, 20 e 10 toneladas.

Contêiner Completo (Full Container Load – FCL)
Operacionalmente, um contêienr completo é considerado um contêiner ao qual não se pode acrescentar carga durante o tempo em que está sendo transportado.

Contêiner Consolidado (Consolidated Container)
Contêiner contendo várias expedições de diferentes expedidores para entrega a um ou mais destinatários.

Contêiner de Transporte Aéreo (Air Cargo Container)
Uma embalagem projetada de acordo com o interior de uma eronave. Existem diversos tamanhos e formas para estes contêineres.

Contêiner Frigorífico (Reefer)
Contêiner que possui sistema de refrigeração, dispondo de uma ou mais câmaras frias para preservação de produtos perecíveis em baixas temperaturas.

Contêiner Graneleiro (Bulk Container)
Contêiner de expedição projetado para transporte de cargas secas carregadas por abertura no teto do contêiner descarregadas por aberturas em um dos lados do contêiner.

Contêiner Isso (Iso Container)
Contêiner totalmente fechado e a prova de intempéries, com paredes rígidas, com pelo menos uma das paredes equipadas com porta e adequado para transporte de carga da maior variedade possível. A forma mais simples desse tipo de contêiner recebe o código 00. Este contêiner atende a todos os padrões relevantes da ISO no momento da fabricação. São utilizados quatro tamanhos principais: de 40, 30, 20 e 10 pés com 30, 25, 20 e 10 toneladas respectivamente. Quanto à composição da carga, distinguem-se dois tipos de contenedores: os FCL (Full Container Load) e LCL (Less Than Container Load) ou contêineres incompletos.

Conteinerização (Conteinerization)
Método de expedição em que os produtos são colocados em contêineres e não são movimentados isoladamente até serem descarregados no destino.

Contenedor (Container)
Todo tipo de recipiente (caixa, caçamba, rack, berço, etc) capaz de conter qualquer tipo de material (sólido, líquido ou gasoso) com quaisquer dimensões. Podem ser rígidos (inclusive com estruturas colapsíveis) ou flexíveis (para granéis).

Contenedor Colapsível (Collapsible Container)
Um contenedor cujas partes podem ser rebatidas com propósito de reduzir seu volume efetivo para transporte quando vazio, tornando mais eficiente o uso do espaço.

Contenedor Desmontável (Demountable Cargo Container)
Um contenedor cujas partes podem ser removidas com propósito de reduzir seu volume quando vazios.

Contenedor Metálico Portátil Empilhável (Portable Metal Stacking Rack)
Consiste de uma estrutura formada por um conjunto de tubos unidos em um perímetro de carregamento quadrado ou retangular.

Contenedor Padrão (Standard Container)
Contenedores especificamente dimensionados, usados para estocagem e movimentação. Estes contenedores protegem os produtos de avarias e simplificam a tarefa de controle.

Contenedores Intermediários para Granéis (Intermediate Bulk Container – IBC)
Contenedores apoiados ou construídos em berços empilháveis geralmente destinados ao acondicionamento de produtos químicos e / ou perigosos. São movimentados e estocados por meios mecânicos.

Conteúdo Declarado (Said to Contain – STC)
Termo que significa que o transportador não está ciente da natureza ou da quantidade dos conteúdos de, por exemplo, uma caixa ou contenedor e conta com a descrição fornecida pelo expedidor.

Contingence Plan
Veja Plano de Contingência

Contingence Plan
Veja Plano de Contingência

Contingência (Contingence)
Resposta corretiva para minimizar as consequências de determinado risco, à medida que o mesmo venha a ocorrer.

Contingência (Contingence)
Resposta corretiva para minimizar as consequências de determinado risco, à medida que o mesmo venha a ocorrer.

Contingency Stock
Veja Estoque de Contingência

Continuous Flow
Veja Fluxo Contínuo

Continuous Flow Distribution
Veja Fluxo Contínuo de Distribuição

Continuous Flow Production
Veja Fluxo Contínuo de Produção

Continuous Improvement (melhoria contínua)
Componente essencial no just-in-Time e na Qualidade Total que reflete uma determinação inabalável para eliminar as causas dos problemas. É o oposto da mentalidade de “apagar incêndios”.

Continuous Manufacturing
Veja Fabricação Contínua

Continuous Replenishment Capability
Veja Capacidade Contínua de Reabastecimento

Contract logistic
Veja Logística contratada. Operação delegada ao operador logístico.

Contract Manufacturer
Veja Fabricante Contratado

Contrato de Fretamento (Charter Party)
Contrato no qual o responsável pelo transporte concorda em colocar sua embarcação ou parte dela à disposição de um comerciante ou expedidor, para transporte de produtos de um porto ou portos para outro porto ou portos e pelo qual ele recebe um frete por tonelada de carga ou coloca à disposição para uso por determinado aluguel.

Contrato de Frete (Freight Contract)
O transportador marítimo agenda as cargas antes da chegada do navio. Isto permite um carregamento mais eficiente e completo da embarcação. Um contrato autoriza um transportador de acordo com os requisitos especificados. O contrato de frete contém o nome do navio, porto, tempo de carregamento, descrição da carga, etc. O transportador pode cancelar qualquer parte do contrato por circunstâncias como greve ou outras fora do seu controle. Os contratos de frete são agendados em uma planilha de agendamento e ainda estão limitados a cargas granéis.

Contribution Margin
Veja Margem de Contribuição

Controle da Vida de Prateleira (Shelf Life Control)
Técnica de uso do sistema FIFO ou FEFO visando minimizar a obsolescência do estoque.

Controle de Atividade da Produção (Production Activity Control – PAC)
Técnica para medir ou avaliar as etapas do processo de produção.

Controle de Chão-de-Fábrica (Shpo Floor Control – SFC)
Função de encaminhar, programar e enviar trabalho a ser realizado no chão-de-fábrica, determinando prioridade para cada ordem de trabalho, matendo registros de todo o material em processo e transmitindo informações sobre a condição das ordens de trabalho em comparação com o plano de gestão da produção.

Controle de Entrada/Saída (Input/Output Control)
Técnica para controle da capacidade onde o resultado real de um centro de trabalho é comparado com o resultado desenvolvido no planejamento das necessidades de capacidade. Os recursos também são monitorados para verificar se correspondem aos planos para que os centros de trabalho não estejam programados para gerar resultados quando não há material disponível.

Controle de Estoque Determinístico (Deterministics Inventory Control)
Sistema de controle de estoque, onde todas as variáveis e parâmetros usados são conhecidos ou podem ser calculados com certeza. A taxa de demanda para os itens e os custos associados de estoques são assumidos por serem conhecidos com certeza, e o tempo de reabastecimento é considerado constante e independente da demanda.

Controle de Estoques (Inventory Control)
Consiste em todas as atividades e procedimentos utilizados para controlar e manter certa quantidade de item em estoque ou para fornecer um item necessário de serviço ao menor custo.

Controle Estatístico de Estoque (Statiscal Inventory Control)
Uso de métodos estatísticos para modelar a demanda e lead times experimentados por um item ou grupo de itens em estoque. É possível modelar a demanda durante o lead time e entre as análises, pode-se definir os pontos de reposição de pedido, estoques de segurança e níveis máximos de estoques para atingirem os níveis desejados de serviço ao cliente, investimentos em estoque, eficiência na distribuição e fabricação e retorno de investimentos.

Conversão (Conversion)
O processo de apropriar todas as partes de um embarque para um transportador. Tipicamente feito para recuperar fretes não pagos.

Convés
Área da primeira coberta do navio, ou seja, o piso do andar principal do navio.

Conveyor
Veja Transportador Contínuo Extensível

Coordinated Transportation
Veja Transporte Coordenado

Core Business
Relativo ao próprio negócio ou especialidade no negócio que faz.

Corner Fitting
Veja Ponto de Fixação

Corredor (Aisle)
O espaço utilizado para permitir o tráfego de pessoal, material e/ou equipamentos.

Correia (Belt)
Componente de um transportador contínuo. Observe que o termo não define o tipo de transportador (pode ser de tela ou talisca)

Corrida de Produção (Running)
É um produto feito com a utlização de todas as ferramentas, processos, equipamentos, ambiente, instalações e tempo de ciclo de produção.

Cost Drivers
Fatores Direcionadores de Custos.

Cost Drivers Analysis
Veja Análise dos Geradores de Custo

Cost Pass Through
Veja Custo por Passagem

Cost to Serve
Veja Custo para Atender

Costado
Chapas que revestem exteriormente as cavernas do navio.

Cota
Quantidade especificada e limitada para produção, aquisição, importação ou exportação. Os fatores para limitação são os mais variados.

Cota (Quota)
Sistema de controlar importações, exportações ou produção especificando uma certa limitação.

Cotação / Oferta (Quotation)
Declaração de preço, termos de venda e descrição dos produtos ou serviços oferecidos por uma empresa para um comprador potencial.

Count Point
Veja Ponto de Contagem

Count Point Backflush
Veja Baixa no Ponto de Contagem

CPC
Commerce Planning Colaboration.

CPFR – Collaborative Planning, Forecasting and Replenishment
Sistema de controle colaborativo que permite elaborar previsões de vendas, o planejamento da produção e da distribuição de forma a otimizar o equilíbrio entre o melhor custo e a melhor taxa de serviço. Darli Vieira (2001)

CPFR – Collaborative Planning, Forecasting and Replenishment
Conjunto de normas e procedimentos com os quais é possível a fornecedores e varejistas estabelecer objetivos comuns, trabalhando em conjunto no planejamento e atualização de previsões de venda e ressuprimento. Joe Andraski (2001)

CPM
Critical Path Method. Veja Método do Caminho Crítico.

CPT
Cariage Paid To. Veja Transporte Pago Até.

CR – Continuous Replenishment
Veja Reabastecimento Contínuo

Crane
Veja Guindaste

Critical Ratio
Veja Índice de Criticidade

Critical Success Factor
Veja Fator Crítico de Sucesso

Criticidade de um item
grau de importância que o item tem no contexto do negócio. Se a importância for vital onde sua falta traz prejuízos sérios, a criticidade é máxima. Se apenas trouxer transtornos ela é mínima.

CRM
Customer Relationship Management. Veja Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente.

Cronograma
É estabelecer sequencialmente as tarefas/trabalhos a serem executados, de acordo com datas estipuladas para cada tarefa/trabalho desta sequência.

Cronograma
É estabelecer sequencialmente as tarefas/trabalhos a serem executados, de acordo com datas estipuladas para cada tarefa/trabalho desta sequência.

Cross Docking
É uma operação de rápida movimentação de produtos acabados para expedição, entre fornecedores e clientes. Chegou e já sai (transbordo sem estocagem).

Cross Functional Team
Veja Equipe Multifuncional

Cross Trade
Veja Comércio entre países

Cross-Docking
Sistema de expedição de pedido imediatamente após o recebimento, de modo a evitar a estocagem. O cross-docking real é o recebimento em um armazém de pedidos para outro, onde um segundo armazém consolida as cargas despachadas. Engloba recebimento, separação, roteirização e despacho de produtos num mínimo intervalo de tempo, podendo, em alguns casos, envolver atividades que agreguem valor, em geral etiquetagem e reembalagem. Uma sincronia perfeita do que entra e do que sai é crucial. Quando se trata de paletes, estes são recebidos do vendedor e transferidos diretamente para os caminhões sem que exista manuseio adicional. Também conhecido como baldeação.

CRP
Continuous Replenishment Process. Veja Programa de Reabastecimento Contínuo.

CRP – Capacity Requirements Planning
Veja Planejamento da Necessidade das Capacidades

CSP – Capacity Service Provider
Veja Provedor de Serviço de Capacidade

CTD
Combined Transport Document. Veja Documento de Transporte Combinado.

CTI
Computer Telephony Integrated ou Sistema Integrado de Telefonia e Computação.

Cubado (Cubed Out)
Espaço referente à porcentagem de volume cúbico do veículo que é utilizado no transporte. Se um veículo em particular está 100% (cubed out), não exsite espaço adicional para que ocorra mais carregamento.

Cubagem ou Cubage
Volume cúbico disponível para estocar ou transportar. Calcula-se o metro cúbico multiplicando-se o comprimento pela largura e pela altura.

Curva ABC
Demonstração gráfica com eixos de valores e quantidades, que considera os materiais divididos em três grandes grupos, de acordo com seus valores de preço/custo e quantidades, onde materiais classe “A” representam a minoria da quantidade total e a maioria do valor total, classe “C” a maioria da quantidade total e a minoria do valor total e “B” valores e quantidades intermediários.

Custeio baseado em atividades (Activity Based Costing – ABC)
Método de contabilidade gerencial que permite que a empresa adquira um melhor entendimento sobre como e onde ocorrem seus custos.

Custo Anual da Aquisição (Aquisition Annual Cost)
O custo total para comprar ou produzir um material durante o ano inteiro. Calculado multiplicando-se a demanda anual pelo custo de aquisição por unidade.

Custo Anual de Manutenção de Estoque (Stock Keeping Annual Cost)
O custo total de manter estoques para o ano inteiro. Calculado para um material multiplicando-se o nível de estoque médio pelo custo de capital por ano.

Custo da Falta de estoque
custos envolvidos pelo prejuízo potencial da descontinuidade do negócio, somados à falta de faturamento, somado ao desgaste da imagem perante o cliente, somado ao baixo moral da equipe, somado aos custos fixos – energia elétrica, salários, ….. –

Custo de Aquisição (Aquisition Cost)
É um dos custos componentes do custo administrativos e de suprimentos. Corresponde ao preço do fornecedor e dos processos para disponibilizar a matéria-prima na empresa.

Custo de Armazenamento (Warehousing Cost)
É um componente do custo de estoque. Envolve os custos gerados pelo armazém, sejam de área (metros quadrados próprios ou locados) ou instalações (empilhadeiras, estruturas de estocagem, etc.) Devem ser incluídos os custos com sistemas de movimentação de materiais e mão-de-obra do armazém.

Custo de Capital (Money Cost)
Custo para manter uma unidade monetária aplicada durante um período de tempo, geralmente um ano. Costuma-se expressar esse número em porcentagem (%) sobre o valor do inventário.

Custo de Falta ou Stockout Cost
É o custo considerado pela falta de um item, por falta de estoque, quando se recebe um pedido. Este custo pode ser variado, devido a se perder um pedido total ou parcial, pelo custo de se repor de forma urgente ou pelo custo de se alterar toda a programação de produção para fabricá-lo.

Custo de Mudança de Fabricação (Changeover Cost)
Custo gerado pela mudança de uma produção.

Custo de Obsolescência ou Obsolescence Cost
É o custo de se manter em estoque itens obsoletos ou sucateados. Geralmente os itens obsoletos são componentes de equipamentos ou máquinas fora de linha de fabricação.

Custo de Oportunidade ou Opportunity Cost
É a taxa de retorno do capital investido que uma empresa ou pessoa espera ter, referente a um investimento diferente dos habituais ou normais que utiliza.

Custo de Posse (Holding Cost)
Custo associado com a posse de uma unidade ou item em estoque por um período de tempo incorporando elementos como custo do capital, taxas, juros, seguro, estocagem, movimentação, administração, perda, obsolência e deterioração.

Custo de Re-Pedido (Reorder Cost)
São os custos de colocação de um pedido repetido para um item tanto externamente a um forncedor como um internamente à fábrica. Os custos podem incluir elementos como: preparação do pedido, administração, transporte, processamento do recebimento, inspeção e, para a fábrica, inclui custos de lotes e outras despesas de produção.

Custo de Suprimento (Supplying Cost)
No ambiente de logística integrada, é o custo correspondente ao processo de suprimentos, ou seja, o custo dos materiais no momento em que são entregues aos departamentos de clientes de compras (produção ou comercial) para seu uso. Desdobra-se nos seguintes custos: de pedido, de aquisição, de transporte de compras, de estoque, economia de capitale custo de utilização.

Custo Direto (Direct Cost)
Custo variável que pode ser diretamente atribuído a uma atividade ou operação contabilizando-se todos os custos diretos identificáveis.

Custo do Capital em Estoque (materiais em processo)
É o valor médio do estoque em processo, vezes custo do capital, dividido pela receita operacional líquida vezes 100%.

Custo do Capital em Estoque (matérias-primas)
É o valor médio do estoque de matérias-primas, vezes custo do capital, dividido pela receita operacional líquida, vezes 100%.

Custo do Capital em Estoque (produtos acabados)
É o valor médio do estoque de produtos acabados, vezes custo do capital, dividido pela receita operacional líquida vezes 100%.

Custo do Ciclo de Vida (Life Cycle Cost)
Identificação, avaliação, acompanhamento e acúmulo dos custos reais de cada produto desde a sua criação e desenvolvimento inicial até o serviço ao cliente final e suporte ao mercado.

Custo do Estoque (Inventory Cost)
O custo de estocar produtos, usualmente expresso como uma porcentagem do valor do inventário que inclui os custos de capital, de estocagem, taxas, segurança e depreciação dos equipamentos.

Custo do Pedido ou Order Cost
É o custo considerado somando basicamente as operações de fazer a solicitação a Compras, acompanhar seu atendimento, fazer o recebimento, inspecionar quando da chegada, movimentá-lo internamente e fazer seu pagamento.

Custo e Frete (Cost and Freight – C&F)
Termo que indica que o vendedor deve assumir todos os custos necessários para transportar a mercadoria ao local de destino designado, mas o risco de perdas e danos das mercadorias bem como qualquer aumento das despesas é transferido do vendedor ao comprador.

Custo Fixo (Fixed Cost)
Custo que não varia com o volume da produção, por exemplo: aluguel, salários, etc.

Custo Global do Fornecimento (Global Supplying Cost)
Custo que o fornecimento de um itêm acarreta para a empresa, com qualidade, confiabilidade, tempo de resposta, lotes de reabastecimento, falta de aperfeiçoamento, custos da obsolência e preço.

Custo Indireto (Indirect Cost)
Custo no qual não se incorre diretamente pelo ato de realizar uma atividade ou operação. Exemplo: despesas administrativas.

Custo Interno de Falha (Internal Failure Cost)
O custo dos erros antes que o produtoalcance o cliente final. Exemplos incluem sujeira, falhas de usinagem, rejeitos em função da qualidade, peças expedidas erradas e trabalho não feito.

Custo Logístico
É a somatória do custo do transporte, do custo de armazenagem e do custo de manutenção de estoque.

Custo Logístico Decrescente (Decreasing Logistic
São os custos logísticos que decrescem com o aumento no volume de embarque, em custos por unidade, em contraste com o custo total.

Custo Logístico Total (Total Logistic Cost)
Soma de todos os custos logísticos envolvidos, desde a aquisição de matérias-primas até o custo de distribuição ao cliente final.

Custo Marginal (Marginal Cost)
O custo adicional de se produzir uma unidade a mais.

Custo Padrão (Standard-Cost)
Custo orçado de uma operação, processo ou produto que inclui o material empregado, custos de fabricação e as despesas gerais.

Custo para Atender (Cost to Serve)
O custo para um fornecedor atender a uma expectativa de nível de serviço ao cliente.

Custo por Passagem (Cost-Pass Through)
É um sistema de divisão de custos, onde o custo parcial de um palete é passado do comprador para o recebedor da carga paletizada.

Custo por Unidade Estocada (Inventoried Cost per Unit)
Este tempo não deve ser confudido com custo unitário de estocagem, o qual é a taxa de juros sobre o valor dos produtos estocados por um determinado período de tempo. O custo por unidade estocada representa o valor dos produtos. Normalmente inclui o preço de compra e os custos de transporte. Para produtos produzidos dentro da empresa inclui os custos de fabricação. Considerando que o custo estocado inclui transporte, o valor de um produto num centro de distribuição será maior do que em suas fábricas.

Custo Total da Distribuição (Total Cost of Distribution)
A soma dos custos de compras, transporte e estocagem dos produtos acabados em movimento a partir do final da produção. Distribuição é apenas o canal pós-produção. Todos os custos diretos e indiretos estão incluidos no custo total de distribuição. Isto pode significar mais de 50 diferentes elementos de custos logísticos.

Custo Total de Propriedade (Total Cost Ownership)
Corresponde à soma dos gatos decorrentes da posse e utilização de um equipamento, incluindo custos de aquisição, manutenção, melhorias, atualização, seguro, treinamento, etc.

Custo Total de Relacionamento (Total Cost Relationship)
O relacionamento estabelecido por uma empresa compradora com uma fornecedora, envolvendo os custos totais da cadeia de abastecimento entre os dois. Isso geralmente está relacionado a duas empresas que estão com sua cadeia de abastecimento integradas e estão competindo com outras empresas que também possuem um relacionamento de cadeia de abastecimento muito estreito, onde estas empresas estão todas competindo pelos memos clientes.

Custo Variável (Variables Cost)
Custos operacionais que variam com a mudança de uma unidade no volume da produção. Exemplo: material consumido diretamente, comissões de vendas, etc.

Custo, Seguro, Frete (Cost, Insurance, Freight – CIF)
Termo idêntico a Custo e Frete mas, além disto, o vendedor deve fornecer um seguro contra o risco de perdas e danos das mercadorias no decorrer do transporte. O vendedor firma o contrato com a seguradora e paga o prêmio do seguro.

Custo-Alvo (Target Cost)
Um planejamento do lucro e um sistema de gerenciamento dos custos, que incorpora um estrito foco nas necessidades, e valores dos clientes e traduz esses requisitos na entrega de produto e serviços. Também é empregado como um critério para projeto no desenvolvimento de produtos.

Custom
Veja Aduana

Customer Deal Effectiveness
Veja Efetividade de um negócio com o cliente

Customer Pick Up
Veja Retirada por Conta do Cliente

Customer Service Level
Veja Nível de Serviço de Atendimento ao Cliente

Customer Service – SAC
Veja Serviço de Atendimento ao Cliente

Customização em Massa (Mass Customization)
Capacidade de produzir em massa produtos customizados a um baixo custo e volume elevado.

Cut-Off Procedure
Veja Procedimento de Corte

Cut-Off Time
Veja Tempo de Corte

CWE – Cleared Without Examination
Veja Liberado sem Inspeção

Cycle Stock
Veja Estoque de Ciclo

Cycle Time
Veja Tempo de Ciclo

Cyclical Inventory
Veja Inventário Rotativo

D

DAF - Delivered At Frontier
Veja Entregue na Fronteira.

Data de Ínicio mais tarde (Late Start Date – LS)
Última data para início de uma atividade sem atrasar o projeto por inteiro do qual a atividade em questão é par integrante.

Data de Término mais tarde (Late Finish Date – LF)
Última data para completar uma atividade sem interferir no projeto do qual a atividade em questão é par integrante.

Data de Vencimento da Cotação (Quotation Expiration Date)
Data em que a cotação de preço perde a validade.

Data Limite de Expedição (Ship Age Limit)
Data após a qual um produto não pode ser expedido para o cliente.

Data Mais Cedo (Earliest Due Date)
Corresponde às datas das atividades na estratégia de execução o mais cedo possível.

Data mais cedo de início (Early Start Date)
É a data em que uma atividade pode ser iniciada mais cedo, limitada pela atividade predecessora.

Data mais cedo de término (Early Finish Date)
É a data mais cedo de conclusão de uma tarefa, decorrente da data mais cedo de início e da duração da atividade.

Data mais tarde (Late Due Date)
Corresponde às datas das atividades na estratégia de execução o mais tarde possível (as late as possible).

Data mais tarde de término (Late Finish Date)
É a data mais tarde que uma atividade pode terminar sem que a conclusão do proejto seja postergada.

Data mining
Mineração de dados.

Data Warehouse
Armazenamento de dados.

DC – Distribution Center
Veja CD – Centro de Distribuição

DDP ou Door to Door
Delivered Duty Paid. Veja Entregue com Taxas Pagas.

DDU
Delivered Duty Unpaid. Veja Entregue sem Taxas Pagas.

De-Consolidation Center
Veja Centro de Desconsolidação

Dead Line
Dia e hora limite para disponibilizar as cargas no terminal para posterior embarque

Dead Stock
Veja Estoque Morto

Decision Support System
Veja Sistema de apoio a decisão

Deck
Convés ou o piso principal dos navios.

Declaração de Carga (Cargo Declaration)
Termo genérico, às vezes chamado de declaração de frete, aplicado aos documentos conforme as especificações exigidas pela alfândega relacionada à carga (frete) transportada comercialmente.

Declared Value
Veja Valor Declarado

Deconsolidating
Veja Desconsolidação

Decoupling Stock
Veja Estoque de Balanceamento

Decreasing Logistic Cost
Veja Custo Logístico Decrescente

Dedicated Contract Carriage
Veja Transporte Contratado Dedicado

Defensa ou Guard Rails
Dispositivo que tem como objetivo a contenção de veículos que saiam da pista. Podem ser metálicas ou de concreto.

Delay
Veja Espera

Delay Rate
Veja Índice de Fila

Delineamento de Experimento (Desing of Experiment)
Processo para estruturar estatisticamente estudos válidos em qualquer ciência. Uma técnica de gerenciamento da qualidade usada para avaliar o efeito de mudanças cuidadosamente controladas e planejadas. O objetivo é melhorar os processos de produção.

Delivery
Veja Entrega

Delivery Confirmation
Veja Confirmação de Entrega

Delivery Dependability
Veja Dependência de Entrega

Delivery Receipt
Veja Recibo de Entrega

Delivery Speed
Veja Rapidez de Entrega

Delphi Method
Veja Método Delphi

Demand / Supply Strategy
Veja Estratégia de Demanda e Oferta

Demand Chain Management
Gerenciamento da Cadeia de Demanda.

Demand Flow
Veja Fluxo de Demanda

Demand Forecasting Unit
Veja Unidade de Previsão de Demanda

Demand Management
Veja Gerenciamento da Demanda

Demand Plan
Veja Plano da Demanda

Demanda
Em busca ou em procura de um produto ou serviço no mercado.

Demanda Anormal (Abnormal Demand)
Mudança imprevista no nível de pedidos de clientes.

Demanda de Armazém (Warehouse Demand)
Necessidade de reabastecimento de um item no estoque em determinado armazém.

Demanda de Pico (Pick Demand)
Período de tempo durante o qual uma quantidade demandada é maior se comparada com outro período.

Demanda Dependente (Dependet Demand)
Demanda diretamente relacionada com, ou derivada da estrutura de uma lista de materiais, de outros artigos ou produtos finais. Essas demandas podem então, ser calculadas e não necessitam de previsões.

Demanda Duradoura (Evergreen Demand)
Produto que apresentou demanda por um longo período de tempo e para o qual espera-se continuar existindo.

Demanda durante o Lead Time (Lead Time During Demand)
Número de unidades de um material necessário durante o processo ou lead time de renovação de estoque.

Demanda Esperada Durante o Leadtime (Expected Demand During Lead Time)
Demanda média por dia multiplicada pelo lead time médio.

Demanda Esperada Durante o Leadtime (Expected Demand During Lead Time)
Demanda média por dia multiplicada pelo lead time médio.

Demanda Estratégica
Demanda um estoque devido a importância vital. Esta demanda, muitas vezes incerta, tem o custo da falta maior que os custos de manutenção no estoque.

Demanda incerta
necessidade sem mecanismo confiável de previsão.

Demanda Independente (Independent Demand)
A necessidade de um item não está relacionada com outros itens. Por exemplo: peças de reposição vendida diretamente ao cliente.

Demanda Instável (instable Demand)
Demanda por um material que tem padrão irregular de intervalo a intervalo.

Demanda Interfábricas (Interplant Demand)
Necessidade de um fábrica por um material ou peça que é produzida por outra fábrica ou divisão na mesma empresa. Apesar de não ser um pedido de cliente, geralmente é incluída no plano mestre de produção.

Demanda Irregular (Lumpy Demand)
Entrada irregular de pedidos que causa picos e quedas na demanda da fábrica.

Demanda Probabilística
necessidade de material baseada em histórico representativo de consumo ou de venda. Deve-se levar em consideração fatores que influenciam na representatividade deste histórico, depurando-se estes dados.

Demanda Programada
necessidade que ao ser percebida inicia-se o processo de ressuprimento para esta programação num tempo futuro.

Demonstrated Capacity
Veja Capacidade Demonstrada

Demountable Cargo Container
Veja Contenedor Desmontável

Demurrage ou Sobreestadia
Multa determinada em contrato, a ser paga pelo contratante de um navio, quando este demora mais do que o acordado nos portos de embarque ou de descarga.

Densidade (Density)
Uma característica física de medição da massa de um produto pela unidade de volume. Um fator importante desde que a densidade afete a utilização do veículo de uma transportadora.

Densidade de Embalagem (Packaging Density)
O número de caixas por volume ocupado. Uma caixa pode envolver um ou vários produtos.

Dependência de Entrega (Delivery Dependability)
Capacidade de cumprir datas e quantidades de entrega previstas de forma consistente.

Dependent Demand
Veja Demanda Dependente

Depósito de Contêineres (Depot)
Local designado para o transportador em que os contêineres vazios são mantidos em estoque e recebidos ou entregues a operadores ou embarcador.

Depreciação de Estoque (Inventory Writeoff)
Dedução do valor do estoque na declaração financeira quando o item estocado não é mais vendável ou devido a perdas e avarias. Apropriado quando o valor do estoque físico é inferior ao valor no livro fiscal.

DEQ
Delivered Ex Quay ou entrega no cais. O vendedor entrega a mercadoria no cais do porto de destino.

DES
Delivered Ex Ship ou Entrega no Navio.

Desconsolidação (Deconsolidating)
Inverso de consolidação.

Desconto (Rebate)
Desconto legítimo para uma organização que efetua compra, em função da quantidade estipulada ou valor em espécie dentro de m tempo específico. Prática legal ou ilegal no qual a transportadora devolve parte do valor de transporte ao embacador. Essa prática estimula o embacador a usar a mesma transportadora novamente.

Desconto por Quantidade Comprada (Purchase Quantity Discount)
Se uma redução no preço é obtida a partir da compra em grandes quantidades, esta representa um descontopor quantidade comprada. Então, um valor padrão por produto pode ser definido e reduzido a um valor menor por unidade baseado em um volume mínimo de compra. A existência de desconto por quantidade comprada cria a necessidadede definição de volumes, considerando os custos de logística associados. Em determinado volume, menor que o especificadocomo mínimo, o custo total de compras pode ser exatamnteo mesmo que o preço normal multiplicado pelo preço do desconto.

Deseconomia de Escala (Scale Uneconomy)
Aumento do custo unitário causado por volume adicional de saídas além do ponto de melhor nível operacional para uma instalação.

Desenvolvimento Colaborativo do Produto (Collaborative Product Development (CPD)
Processos que criam total definição do produto. O software de CPD permite que os processos, através das hieraquias de modelagem de produto, versões, ciclo de vida e interfaces no suporte de processos de tomada de decisão, incorporem os requisitos de toda empresa no produto final,

Desova (Wharfing)
Processo de retirada dos itens de um contêiner.

Despachante Aduaneiro (Custom Agent)
Intermediário entre o expedidor e a aduana. O despachante viabiliza o transporte para os expedidores e representa os embarcadores ou transportadores junto aos agentes fiscais transportadores.

Despacho (Dispatch)
Atividade de carregamento que envolve controle, abastecimento de combustível, motoristas, equipamentos e espaços em terminais.

Despatch ou Presteza
Prêmio determinado em contrato, a que faz jus o contratante de um navio, quando este permanece menos tempo do que o acordado nos portos de embarque ou de descarga.

Desperdício (Wastage)
Perda de produtos devido à movimentação, vazamento, extravio, etc.

Despesa com Transporte (Carrier Haulage)
Desembolsos de correntes de serviço de transporte oferecido pelo transportador sob os termos e condições dos documentos de transporte e tarifas.

Despesas de Embarque do Armador e Desembarque do Importador (Linear in Free Out)
Condição de transporte que informa que as despesas de embarque correm por conta do armador e de desembarque por conta do importador.

Destino (Destination)
Ponto ou localização no qual a carga é descarregada e/ou o transporte é encerrado.

Desvio (Deviation)
Quantidade de produtos que é a diferença entre a quantidade necessária e a quantidade acordada. Se esta diferença for positiva é um surplus (excedente), e se for negativa, é uma falta (shortage).

Desvio Autorizado (Authorized Deviation)
Permissão para um fornecedor ou fábrica produzir um item que não apresenta conformidade com os desenhos e especificações aplicáveis.

E

E-Business
É a estratégia de inserção da empresa na internet com o objetivo de automatizar suas atividades em várias áreas, como as de comunicações internas e externas, a transmissão de dados, os controles internos, o treinamento de pessoal e os contatos com os fornecedores e clientes. Termo que é mais frequentemente aplicado aos negócios resultantes do uso da tecnologia digital e da internet como principal meio de comunicação e interação.

E-business
“Negócio Eletrônico”, ou seja, é a execução dos processos de um negócio utilizando-se Sistemas de Informação (SI).

E-Commerce
É o nome dado ao sistema comercial com a capacidade de realizar transações envovlvendo troca de bens ou serviços entre duas ou mais partes de forma automática, utilizando a internet. Mais que uma transação ou intercâmbio de pagamentos, o comércio eletrônico ajuda a gerar demanda para produtos ou serviços, melhorando a comunicação, o gerenciamento de pedidos e pagamentos. Isso permite minimizar custos mediante a redução dos valores de transação e dos processos dos negócios. É parte integrante do E-Business.

E-commerce
Sinônimo de “Comércio Eletrônico”, parte importante do E-business é o que trata do uso dos meios eletrônicos para viabilizar processos de compra e venda de mercadorias.

E-Procurement
Processo de cotação de preços, compra e venda on-line.

E-Procurement
Modelo de suprimentos baseado em Web. São sistemas que automatizam o processo de busca de parceiros e concorrências para a compra de materiais produtivos (que serão usados diretamente no produto final da empresa, como peças de um carro) e não produtivos (dos quais a empresa precisa para funcionar, como material de escritório).

E-procurement
realização das aquisições corporativas através de meios eletrônicos.

E-Supply-Chain
Um conceito em que todos os participantes de uma cadeia de abastecimento estão conectados eletronicamente em rede para, simultaneamente, responder às necessidades dos clientes finais.

EADI - Estação Aduaneira Interior.
Armazém geral alfandegado em zona secundária.

EAI – Integração de Aplicações Empresariais – Enterprise Application Integration
Conjunto de software que faz a interligação entre vários aplicativos e soluções da informática. É um grupo de tecnologias que permite integração entre aplicativos e processos de negócios internamente ou entre empresas.

EAN – European Article Numbering
Sistema europeu de codificação que foi projetado para ser compatível com o sistema UPC.

Earliest Due Rate
Veja Data Mais Cedo

Early Finish Date
Veja Data Mais Cedo de Término

Early Start Date
Veja Data Mais Cedo de Início

Earned Value Added – EVA
Veja EVA – Análise do Valor do Trabalho Realizado.

EAV
Engenharia e Análise do Valor.

Echelon Channel
Veja Canal Escalonado

Economia de Escala (Economy of Scale)
Fenômeno de redução do custo unitário em decorrência da produção em grande escala, que gera uma distribuição dos custos fixos sobre uma quantidade maior de unidades.

Economia de Escopo (Scope Economy)
Produção de muitos modelos de produto em uma instalação de produção altamente flexível de maneira mais econômica do que em instalações de produção separadas.

Economic Life
Veja Vida Econômica

Economic Order Interval
Veja Intervalo de Pedido Econômico

Economic Stock
Veja Estoque Econômico.

ECR - Efficient Consumer Response
Veja Resposta Eficiente ao Consumidor.

ECR – Efficient Consumer Response
Veja Resposta Eficiente ao Consumidor

EDI - Electronic Data Interchange ou Intercâmbio Eletrônico de Dados
Veja Intercâmbio Eletrônico de Dado

EDIFACT – Eletronic Data Interchange for Administration, Commerce and Transport
Regras de sintaxe em termos de aplicação isso para estruturação de dados de um usuário e dados de serviços associados, na troca de mensagens em um ambiente aberto. O padrão mais comumente adotado para formulários eletrônicos de compras utilizados no comércio internacional.

Efeito Chicote (Whipping Effect)
Efeito que se dá em toda a cadeia de abastecimento devido a flutuações na demanda que surgem no final da cadeia produtiva (consumidor), sentida com maior intensidade no início da cadeia (fornecedores de matéria prima). Este efeito é causado pelo fato de em cada uma das cadeias intermediárias a mudança ser intensificada como resultado de ajuste nos estoques em relação à alteração de informações sobre mudanças no final da cadeia como uma grande influência no efeito da amplificação.

Efetividade de um negócio com o cliente (Customer deal Effectiveness)
Uma rede incremental que é gerada por meio da divisão de um negócio com o cliente pelos custos totais do negócio, distribuição e csuto do capital associado com os estoques incrementais recebidos, somando-se a isso o desdobramento dos custos incorridos para que ocorra a execução do negócio.

Effective Stock
Veja Estoque Efetivo

Eficiência (Efficiency)
Media percentual do resultado real frente ao resultado esperado. A eficiência mede o resultado frente às expectativas, não o resultado frente aos recursos. Ou seja, eficiência é o índice de unidades produzidas frente produção esperada em determinada período.

EFT – Eletronic Funds Transfer
Veja Transferência Eletrônica de Fundos

ELQ - Economic Logistic Quantity ou Quantidade Logística Econômica
É a quantidade que minimiza o custo logístico.

ELQ – Economic Logistic Quantity
Veja Quantidade Logística Econômica

Embalagem de Apresentação (Window Package)
Embalagem que envolve a embalagem de contenção, e com a qual o produto se apresenta ao usuário no ponto de venda.

Embalagem de Comercialização (Trade Package)
Embalagem que contém um múltiplo da embalagem de apresentação, constitui a unidade para atender ao pedido e, por sua vez, é um sub-múltiplo da embalagem de movimentação.

Embalagem de Contenção (Contacting Package)
Embalagem em contato direto com o produto e que, portanto, tem de apresentar compatibilidade entre os materiais do produto e da embalagem.

Embalagem de Movimentação (Handling Package)
Embalagens movimentadas racionalmente por equipamentos mecânicos.

Embalagem de Quinto Nível (Fifth Pack)
É a unidade conteineizada ou as embalagens especiais para envio a longa distância.

Embalagem Externa (OverPack)
Usada por um único embarcador para envolver uma ou mais embalagens e formar uma unidade para maior convivência de movimentação e estocagem. Também denominada Caixa de Expedição.

Embalagem Múltlipa (MultiPack)
Embalagem de transporte contendo embalagens de comercialização mistas para entrega do pedido a um cliente.

Embalagem ou Package
Envoltório apropriado, aplicado diretamente ao produto para sua proteção e preservação até o consumo/utilização final.

Embalagem Primária (First Pack)
É aquela que contém o produto (vidro, lata, plástico, etc) sendo também uma medida de produção e de consumo. Também pode ser a unidade de venda no varejo.

Embalagem Quaternária (Forth Pack)
Envolve o contenedor, que facilita a movimentação e a estocagem.

Embalagem Secuundária (Second Pack)
É o acondicionamento que protege a embalagem primária. Por exemplo, uma bandeja de cartão com filme termoencolhível. A combinação da embalagem primária e secundária acaba sendo a unidade de venda ao atacadista.

Embalagem Ultramarina (Overseas Pack)
Contêiner projetado para suportar a movimentação inerente ao transporte, armazenagem e distribuição oceânica.

Embalagwm Terciária (Third Pack)
É o caso das caixas de madeira, papelão, plástico ou outro material.

Embarcação (Vessel)
Denominação genérica para veículo marítimo, cabotagem, fluvial ou lacustre.

Embarcação de Carregamento Vertical (Lift-On Lift-Off Vessel – LOLO)
Embarcação da qual as operações de carga e descarga são realizadas por guindastes.

Embarcação de Transporte Ocasional (Tramp)
Embarcação sem programação fixa, mas que atende às necessidades de qualquer porto em que houver carga disponível.

Embarcação Estrangeira (Foreign Vessel)
Termo geralmente utilizado para embarcações não registradas ou licenciadas em referência aos privilégios derivados de um sistema de recebimento. Geralmente, o termo designa uma embarcação sob uma bandeira e com a documentação de outro governo.

Embarcador (Load Owner)
Parte que embarca a carga, conforme mencionado no conhecimento de transporte.

Embargo (Embargo)
Um pedido expedido por um transportador ou entidade reguladora para restringir o frete.

Emissão Planejada (Planned Issue)
Emissão de um item previsto pelo MRP através da criação de uma alocação ou necessidade bruta.

Empilhadeira de Mastro Retrátil / Pantográfica (Reach Forklift)
Uma forma de empilhadeira que avança a carga, permitindo que os garfos alcancem ou posicionem um palete ou unitizador de produtos.

Empilhadeira ou Fork Lift Truck
Equipamento utilizado com a finalidade de empilhar e mover cargas em diversos ambientes.

Empilhadeira para corredor estreito (Narrow Aisle Truck)
Empilhadeira para operações em corredores mais estreitos dos que normalmente necessários para empilhadeiras contrabalanceadas de uma mesma capacidade. Os tipos de equipamentos para corredores estreitos são representados por empilhadeiras de mastro retrátil e pantográficas.

Empilhadeira Selecionadora de pedido (Order Picking Lift Truck)
Veículo industrial, equipado com plataforma de carga e uma plataforma de controle do operador, móvel como um todo no mastro.

Empowerment
Dar poder ao grupo/equipe ou estabelecimento de autonomia e responsabilidade às pessoas na tomada de decisões e ações.

Empresa Virtual (Virtual Enterprise)
Um grupo de empresas organziadas para encontrar uma oportunidade de negócio, como se fossem uma única empresa, com um objetivo comum.

Encargo (Burden)
Custo, geralmente expresso em unidades monetárias por hora, que se transmite normalmente no custo de cada hora-padrão de produção para cobrir os gastos gerais.

Encerramento do Inventário (Ending Inventory)
Declaração das quantidades disponíveis ou valor monetário de uma SKU no final de um período, geralmente determinado por um estoque físico.

Encolhimento (Shrinkcage)
Redução de medida no granel. Um encolhimento é uma perda de peso ou redução devido à evaporaçãode líquidos ou perda nos granéis como grãos e sementes.

Ending Inventory
Inventário Final.

Ending Inventory
Veja Encerramento do Inventário

Endomarketing
Marketing interno realizado por meio de um conjunto de ações desenvolvidas para conscientizar, informar e motivar o indivíduo.

Endosso (Endorsement)
Transferência do direito de obtenção da entrega dos produtos do transportador por meio da assinatura do destinatário no verso de um conhecimento de embarque. Se não constar o nome do novo destinatário, o endosso está em aberto, o que significa que qualquer um que estiver de posse do documento pode receber os produtos.

Engenharia Auxiliada por Computador (Computer Aided Engineering – CAE)
Sistema de computador com funcionalidades para auxiliar projetos de engenharia.

Engineering to Order
Veja Projetar por Pedido.

Enterprise Commmerce Management
Veja Gerenciamento do Comércio Empresarial

Entrega (Delivery)
Transferência de custódia e cuidado do contenedor cheio ou vazio do transportador para o ocnsignatário ou seu representate legal.

Entrega a tempo (On-Time Delivery)
Entrega de material ou produto 100% das vezes no prazo. A tempo significa que entregas adiantadas ou atrasadas não são aceitas.

Entrega Direta (Direct Delivery)
Transporte de produtos diretamente do fornecedor ao comprador.

Entrega Direta à Loja (Direct Stote Delivery)
Um método de entrega de mercadoria diretamente ao varejista através de uma saída nas instalações do armazém que se destina ao varejo.

Entrega Fracionada (Split Delivery)
Método pelo qual uma grande quantidade é solicitada em uma ordem de compra para garantir um preço inferior mas a entrega é dividida em lotes de quantidades menores e entregue em datas diferentes para controlar os níveis de estoque, economizar espaço em um armazém, etc.

Entrega Parcial (Part Delivery)
Entrega de uma parte da quantidade total de produtos que devem ser entregues a um cliente em uma data específica de entrega.

Entregue com Taxas Pagas (Delivery Duty Paid)
Siginifica que o vendedor transfere os bens ao comprador, já desembaraçados, no país importador, porém sem serem descarregados de qualquer meio de transporte no local de destino mencionado. O vendedor tem que assumir os custos e riscos até a chegada dos bens no local de destino mencionado, incluindo, quando for aplicável, qualquer tributo (cuja a definição abrange a responsabilidade e o risco pela realização das formalidades aduaneiras e o pagamento dessas formalidades, tributos aduaneiros, taxas e qualquer outra despesa) necessário para a importação no país de destino. DDP representa a máxima obrigação para o fornecedor.

Entregue na Fronteira (Deliverede at Frontier – DAF)
É um Incoterm com base em que o fornecedor disponibiliza mercadoria ao ocmprador na fronteira. Significa que o vendedor entrega ou transfere os bens quando os mesmos forem disponibilizados para o ocmprador na chegada do meio de transporte combinado, já desembarcados, no ponto e local indicados na fronteira (do país de exportação) e antes da fronteira alfandegária do país limítrofe, ficando a cargo do comprador o desembaraço para importação. O termo fronteira, deve ser usado para qualquer fronteira, incluindo nesse conceito o país exportador. Assim sendo, será de vital importância que a fronteira em questão seja definida de forma precisa, indicando sempre o ponto e o local.

Entregue sem taxas pagas (Delivered Duty Unpaid – DDU)
Significa que o vendedor transfere os bens ao ocmprador, sem estarem desembaraçados para importação, no país importador e sem serem descarregados de qualquer meio de transporte utilizados até o local de destino mencionado. O vendedor deve assumir os custos e riscos até a chegada dos bens no local de destino designado. Os tributos devem ser assumidos pelo comprador, assim como qualquer despesa e risco causados por ele ter falhado no instante de liberar os bens comprados.

Enviar conforme pedido (Ship to order)
Entrega de uma empresa como resposta ao real pedido dos clientes ao invés de produzir e movimentar os produtos para estoque para movimentação posterior.

Enviar para estoque (Ship to Stock)
Transporte da fábrica para o armazém nos quais os embarques serão feitos posteriormente atendendo aos pedidos dos clientes. Este sistema equilibra a capacidade da fábrica para atender flutuações na demanda dos clientes.

Envoltório (Wrapper)
Material que envolve produtos na operação de embalagem ou acondicionamento.

EOM (Electric Overhead Monorail)
Veja Monotrole Aéreo Eletrificado.

EOQ (Economic Order Quantity)
Veja Lote Econômico.

EPI
Equipamento de Proteção Individual.

ER – Efficient Replenishment
Veja Reabastecimento Eficiente.

Ergonomia
Ciência que estuda a adaptação do ambiente às medidas do corpo humano, considerando assim a interação perfeita entre os funcionários e o ambiente de trabalho, como luz, calor, ruídos, odores e os equipamentos e ferramentas utilizados.

Ergonomia (Ergonomics)
Enfoque utilizado para o projeto do posto de trabalho que se concentra nas interações que ocorrem entre operadores e o meio no qual eles atuam, como contaminantes atmosféricos, calor, luz, ruídos sonoros e todas as ferramentas e equipamentos do posto de trabalho.

Ergonomic Performance Shaping Factor
Veja Fator que Modela o Desempenho Ergonômico.

Ergonomic Risk Factor
Veja Fator de Risco Ergonômico

ERM – Employment Resource Management
Veja Gerenciamento dos Recursos Humanos

ERP (Enterprise Resource Planning )
sigla derivada da expressão Enterprise Resource Planning, que pode ser traduzida como sistema para planejamento dos recursos empresariais. Sua função é integrar os vários aplicativos dos processos de negócio de uma organização num único sistema.

Escaninho (Bin)
Pequeno compartimento ou divisão em uma estanteria.

Espaço Bruto de Armazém (Gross Warehouse Space)
É o comprimento multiplicado pela largura de uma construção, medido pelo lado externo das paredes, expresso em m².

Espaço Cúbico Permitido (Attainable Cubic Feet – ACF)
O espaço permitido por orientações, regulamentações e restrições de segurança com o equipamento disponível. ACF = Área de Estocagem x Altura de Empilhamento.

Espaço para estocagem (Storage Space)
O espaço líquido de um armazém que inclui as dimensões internas do mesmo, excluindo corredores permanentes, escadas, escritórios, plataformas de recebimento e expedição e outras áreas onde os produtos não são usualmente estocados.

Especificação Uniforme de Simbologia (Uniform Symbology Specification)
Qualquer uma das especificações publicadas por fabricantes de identificação automática para codificação, impressão e verificação dos símbolos dos códigos de barras para fornecer padrões comuns para usuários em diferentes aplicações.

Especulação (Speculation)
Compra de materias-primas em excesso com a intenção de revenda, com um lucro em sua forma atual num período mais tarde.

Espera (Delay)
Quantidade de trabalho em um sistema, por exemplo, produção que está esperando operação devido ao desenvolvimento de outro trabalho já no sistema.

ESS – Executive Support System
Veja Sistema de Apoio Executivo

Estabilização de Carga (Load Trimming)
No trabalho de análise de carga, considera-se os aspectos relacionados à existência de planos de clivagem das embalagens, que exigirão o uso de dispositivos de estabilização de carga., para que os movimentos sejam executados com segurança.

Estampado
Termo utilizado em Produção, são peças feitas, geralmente de chapas, que sofrem a pressão (impacto) de uma prensa, ficando definidas suas formas, de acordo com o molde da ferramenta utilizada.

Estante (Shelving Rack)
Conjunto estrutural composto de colunas (ou cantoneiras) onde são afixadas (ou encaixadas) as vigas (ou prateleiras). Denominamos um conjunto de estantes de estanteria.

Estanteria em múltiplos níveis (Multiple Floor Rack)
Conjunto de estantes montadas em 2 ou mais níveis, intercaladas com uma estrutura para suportar o piso. Frequentemente é denomianda de mezanino, que não é o termo correto.

Estibordo
Lado direito do navio.

Estiva (Stowage)
Movimentação de mercadoria desde o momento em que está suspensa paralelamente ao costado do navio até que esteja definitivamente estocada a bordo do mesmo, de forma que não possa sofrer deslocamento, danos ou deteriorações, ocupando o menor espaço possível e colocada de maneira que a sua posterior movimentação seja simples de efetuar.

Estivador
Empregado das Docas que trabalha na carga e decarga dos navios.

Estocagem (Storage)
Uma das atividades da armazenagem, ou seja, é uma parte do armazém. Consiste no ato de depositar qualquer material no seu devido local em estoque. Dentro de um armazém podem existir diversos locais para estocagem, por exemplo, por tipo de materail, por frequência de sepração, etc.

Estocagem a Granel (Bulk Storage)
Estocagem em grande escala de matérias- primas, componentes intermediários e produtos acabados. Cada contenedor normalmente contém uma mescla de lotes e materiais que podem ser reaprovisionados, consumidos ou embalados simultaneamente.

Estocagem ao Lado da Linha (Line Side Storage)
Estocagem posicionada tão próximo quanto possível do local de produção para facilitar o abastecimento em just-in-time.

Estocagem de Acesso Controlado (Caged Storage)
Uma área dentro da fábrica ou do armazém que possui itens sujeitos a furtos, onde devem ser tomadas medidas de segurança como, por exemplo, divisórias ou outros tipos de enclausadores.

Estocagem de Renovação (Renewal Storage)
É a cobrança em base mensal para produtos estocados em um armazém.

Estocagem em Contenedores (Bin Storage)
Estocagem em contenedores onde os itens podem ser retirados sem a necessidade de abrir uma embalagem contendo um número de itens.

Estocagem em Local Aleatório (Random Location Storage)
Técnica de estocagem em que as peças são colocadas em qualquer espaço vazio quando chegam ao local de estocagem. Apesar deste método dinâmico ou aleatório necessitar do uso de um arquivo localizador para identificar a localização dos itens, geralmente exige menor espaço de estocagem do que um método para estocagem em local fixo. Também conhecida como Locação Dinâmica.

Estocagem em local fixo (Fixed Location Storage)
Deisgnação de um local relativamente permanente para estocagem de cada item de um armazém ou instalação com esta finalidade. Enquanto este sistema requer mais espaço para armazenar peças do que o sistema de estocagem em local aleatório, as localidades fixas tornam-se familiares e neste caso não é preciso um localizador.

Estocagem em Zona (Zone Storage)
Mercadorias estocadas em um armazém, em grandes áreas, em dada localização.

Estocagem na linha (Track Storage)
Uma taxa aplicada por exceder o tempo de carregamento na ferrovia. A retenção do vagão em uma linha de transporte ferroviário por muito tempo para carga ou descarga. Isso não pode ser confundido com o demurrage e é aplicado adicionalmente ao demurrage.

Estoque
É a parte da logística responsável pela guarda de produtos e uma das atividades da armazenagem. Geralmente este termo é utilizado para produtos acabados. Pode ter uma variação de tipo de local físico, conforme característica e necessidade do produto, como por exemplo, local coberto, local descoberto, local com temperatura controlada, etc. Pode ter variação de tipo de estocagem, conforme característica e necessidade do produto, como por exemplo prateleira, gaveta, cantilever, baia, etc.

Estoque Aberto (Opening Stock)
O estoque de um ítem no início do período de tempo de contabilização do estoque.

Estoque Agregado (Aggregated Stock)
Estoque de qualquer grupo de itens ou produtos que envolve vários SKUs.

Estoque Ativo (Active Inventory)
Estoque que abrange matéria-prima, material em processo, produtos acabados, que serão usados ou medidos durante um período específico.

Estoque Co-Gerenciado (Co-Managed Inventory)
Suporte semelhante ao estoque gerenciado pelo fornecedor, mas os pedidos de reabastecimento para o estoque consignado são acordados pelo usuário antes da entrega.

Estoque Consignado (Consigned Stock)
Estoques, geralmente de produtos acabdos, que estão em posse dos clientes, distribuidores, agentes, etc, cuja propriedade continua sendo do fabricante por acordo entre eles.

Estoque de Antecipação (Anticipation Inventory)
Estoque formado para nivelar as flutuações previsíveis na demanda, entrega ou produção de um item específico.

Estoque de Balanceamento (Decoupling Stock)
É o estoque acumulado entre atividades dependentes no fluxo de produtos para reduzir a necessidade para sincronização completa das operações.

Estoque de Base (Base Stock)
Uma quantidade de estoque necessária para atender uma determinada demanda.

Estoque de Ciclo (Cycle Stock)
É parte do estoque o qual está esgotado devido às vendas ou ao uso e é reabastecido através de um pedido.

Estoque de Contingência (Contingnecy Stock)
Estoque mantido para cobrir potenciais situações de falha extraordinária no sistema.

Estoque de movimentação lenta (Slow Moving Stock)
Estoque de materiais ou produtos que apresentam padrão de vendas lento e irregular.

Estoque de Parede a Parede (Wall to Wall Inventory)
Uma condição onde os materiais, peças ou componentes são envolvidos no processamento de ponta-a-ponta na fábrica, sem ser considerado um estoque formal em um almoxarifado.

Estoque de Período Único (Single Period Inventory)
Modelos de estoque usados para definir dimensões de lote econômico ou que maximizem os ganhos quando um item é solicitado ou produzido somente uma vez, por exemplo: jornais, calendários, guias de tarifas, cartões ou periódicos, ao mesmo tempo que enfrentam demandas incertas.

Estoque de produto acabado (Finished Good Inventory – FGI)
Produtos completamente fabricados, embalados, estocados e preparados para distribuição aos clientes ou consumidores finais.

Estoque de Proteção ( Hedge Inventory)
É feito quando excepcionalmente está previsto um acontecimento que pode colocar em risco o abastecimento normal de estoque e gerar uma quebra na produção e/ou vendas. Normalmente são greves, problemas de novas legislações, período de negociação de nova tabela de preços, etc.

Estoque de Reserva (Reservation Stock)
Estoque de produtos acabados que pode ser usado quando a demanda for maior do que o previsto ou quando a oferta for menor do que o esperado.

Estoque de Segurança
estoque adicional necessário para garantir um risco dentro de uma margem aceitável do negócio.

Estoque de Segurança (Safety Stock)
Quantidade mantida em estoque para suprir nas ocasiões em que a demanda é maior do que a esperada e/ou quando a oferta para repor estoque ou de matéria-prima para fabricá-la é menor do que a esperada e/ou quando o tempo de ressuprimento é maior que o esperado e/ou quando houver erros de controle de estoque que levam o sistema de controle a indicar mais material do que a existência efetiva.

Estoque de Transporte (Transportation Inventory)
Estoque em trânsito entre localidades,

Estoque Econômico (Economic Stock)
A somatória do estoque físico e produtos pedidos mas não recebidos, menos os produtos vendidos mas não entregues para os quais uma empresa possui riscos quanto a queda dos preços e perda de vendas.

Estoque Efetivo (Effective Stock)
A somatória do estoque físico de um produto particular e a quantidade de produtos pedido para um período em particular, mas ainda não recebido.

Estoque em movimento (Movement Inventory)
Tipo de estoque em processo que surge devido ao tempo necessário para mover os produtos de um lugar para o outro.

Estoque em Processo (Work in Material Catalogation Process – WIP)
Material em váris estágios de conclusão em toda a fábrica, incluindo a matéria-prima que foi liberada para o processamento inicial e o material totalmente processado que aguarda inspeção.

Estoque em trânsito (In Transit Stock)
Refere-se ao tempo no qual as mercadorias permanecem nos veículos de transporte durante sua entrega.

Estoque empenhado (Allocated Stock)
Materiais que estão em estoque ou sob encomenda, mas foram designados a pedidos de produção específicos no futuro. Esses materais não estão, portanto, disponíveis para ser usados em outros pedidos.

Estoque Excedente (Excess Inventory)
Qualquer estoque no sistema que exceda a quantia mínima necessária para atingir o resultado desejado ou que exceda a quantia mínima necessária para atingir o desempenho desejado no prazo.

Estoque Final (All Time Inventory)
Estoque formado em vista do fato do produto não ser mais produzido. Se necessário, este estoque pode ser incorporado ao estoque bloqueado para evitar entregas incidentais e / ou consumo para o qual não estaria reservado.

Estoque Físico (Physical Inventory)
A quantidade de produtos em estoque que é separadamente identificável em um local específico (armazém, estoque ou outro local de estocagem) expresso em termos quantitativos e / ou financeiros.

Estoque Flutuante (Fluctuation Inventory)
Um estoque que é utilizado para dar cobertura ao atendimento às exigências inesperadas e manter os níveis adequados para atender a produção.

Estoque focado (Spot Inventory)
Parcela específica do estoque de uma organziação de consumo exclusivo de uma divisão da área ou setor.

Estoque Gerenciado pelo Fornecedor (Vendor Managed Inventory – VMI)
Sistema de parceria em que o fornecedor, por iniciativa própria, repõe de forma contínua os estoques do cliente com base me informações de estoque, obtidas via internet ou por outros meios. Estratégia que permite que o fornecedor Veja a disponibilidade de seu produto no cliente, eletronicamente.

Estoque Gerenciado pelo Varejista (Retail Managed Inventory – RMI)
Estoque gerenciado pelo varejo. Veja também VMI – Estoque Gerenciado pelo Fornecedor.

Estoque Inativo
Refere-se a itens que estão obsoletos ou que não tiveram saída nos últimos tempos. Este tempo pode variar, conforme determinação do próprio administrador do estoque.

Estoque inativo (Inactive Inventory)
Itens obsoletos, que não foram usados ou vendidos em determinaod período de tempo. O tempo varia de acordo com os produtos envolvidos.

Estoque Intermediário (Intermediate Stock)
Estoque que serve para compensar as disparidades na velocidade de operações sucessivas no processo de produção e as diferenças na sequência que os produtos são manuseados em cada operação. O estoque intermediário é formado entre várias fases da produção em uma empresa. Pode ter a função do estoque de segurança.

Estoque Máximo (Maximum Stock)
Refere-se a quantidade determinada previamente para que ocorra o acionamento da parada de novos pedidos, por motivos de espaço ou financeiro.

Estoque Médio (Average Inventory)
Refere-se a quantidade determinada previamente, que considera a metade do lote normal mais o estoque de segurança.

Estoque médio (Average Stock)
Calcula-se como sendo a metade do tamanho do lote mais o estoque de segurança, quando se espera que a demanda e o tamanho do lote seja relativamente uniforme no tempo. Historicamente, a média pode ser calculada como sendo a média de diferentes observações do estoque tomadas durante vários períodos de tempo.

Estoque Mínimo (Minimum Stock)
Refere-se a quantidade determinada previamente para que ocorra o acionamento da solicitação do pedido de compra. Às vezes é confundido com “Estoque de Segurança”. Também denominado “Ponto de Ressuprimento”.

Estoque Morto (Dead Stock)
Estoque disponível para o qual não exsite mais vendas nem oportunidades de receita. Este estoque é geralmente identificado e descartado.

Estoque no canal (Pipeline Stock)
Estoque para cobrir o canal de transporte e o sistema de distribuição, incluindo o fluxo entre pontos de armazenagem intermediária. O tempo de fluxo na distribuição tem o efeito principal na quantidade de estoque necessário na rede. Os fatores de tempo incluem transmissão, processamento, envio, transporte, recebimento, estocagem, etc.

Estoque no chão de fábrica (Floor Stock)
Estoques de materiais mantidos na fábrica onde os funcionários podem usar sem efetuar requisição.

Estoque Obsoleto (Obsolete Stock)
Estoque que não pode ser ou que provavelmente não será consumido em processos futuros de produção ou vendido da maneira usual.

Estoque projetado disponível (Inventory Projected On Hand)
Saldo do estoque projetado. É a soma do estoque disponível menos as necessidades, mais os recebimentos programados (saldo disponível projetado menos pedidos planejados).

Estoque Pulmão
Refere-se a quantidade determinada previamente e de forma estratégica, que ainda não foi processada. Pode ser de matéria-prima ou de produtos semi-acabados.

Estoque redundante (Redundant stock)
Estoques de proteção duplicados, mantidos tanto no fornecedor como no consumidor daquele item.

Estoque Regulador
É normalmente utilizado em empresas com várias unidades/filiais, onde uma das unidades tem um estoque maior para suprir possíveis faltas em outras unidades.

Estoque Sazonal (Seasonal Inventory)
Refere-se a quantidade determinada previamente para se antecipar a uma demanda maior que é prevista de ocorrer no futuro, fazendo com que a produção ou consumo não sejam prejudicados e tenham uma regularidade.

Estoque-Pulmão (Buffer Inventory)
Quantidade de materiais que aguarda processamento. Pode referir-se a matéria-prima, produtos semi-acabados ou uma pendência propositalmente mantida antes do centro de trabalho.

Estrado (Skid)
Seja de madeira, plástico ou outro tipo de material. É qualquer estrutura cuja plataforma seja elevada do piso. Seu emprego mais comum ocorre em locais que se deseja aumentr a altura de trabalho ou evitar contato com líquidos ou unidade. Plataforma para acomodar caixas ou embalagens que permite elevá-las do solo e facilitar o acesso para empilhadeiras ou outros equipamentos de movimentação.

Estrado para carga aérea (Flight Load Skin)
Estrado de alumínio medindo 230 cm x 270 cm, combinado com uma rede ou capa de material plástico, para carregamento rápido de aeronaves.

Estratégia de Demanda e Oferta (Demand / Supply Strategy)
Descrição de cada família de produtos que define como a empresa “atende ao cliente” com esse produto, seus objetivos em temros de níveis de atendimento ao cliente, e as metas para os níveis de inventário dos produtos acabados ou dos pedidos pendentes / atrasados. Por exemplo, a família A é de produtos feitos para estoque (ou seja, ela é entregue aos clientes a partir do estoque de produtos acabados): sua meta nível de serviço é de 99,5% e seu nível planejado de estoque de produtos acabados é de 10 dias de consumo.

Estratégia de Diversificação (Diversification Strategy)
Expansão do escopo da linha de produto para explorar novos mercados. Um objetivo central da estratégia de diverisifcação é distribuir o risco da empresa em várias linhas de produtos, no caso de haver uma grande mudança no mercado de um dos produtos.

Estratégia de Logística Total (Total Logistic Strategy)
É a lógica da cadeia de valor aplicada ao fluxo físico associado ao processo de gestão (todo o fluxo do material e gestão das ordens.) Segundo o TLS, eles devem ser geridos e desenvolvidos de modo integrado, em uma rede gerencial que opera em tempo real, aplicando os princípios do Gerenciamento Total da Produção a toda a cadeia de gerecniamento. O TLS pode ser também como uma evolução lógica do CIM (Computer Integrated Manufacturing) aplicada a todos os aspectos operacionais do complexo produtivo ou comercial.

Estratégia de Manufatura (Manufacturing Strategy)
Padrão coletivo de decisões após formulação e desdobramento de recursos de manufatura. Para ser mais eficaz, a estratégia de manufatura deve apoiar a direção estratégica geral da empresa e fornecer vantagem competitiva.

Estrutura Básica de Fluxo de Produtos (Basic Structure of Goods Flow)
Forma típica em que os produtos e mercadorias são movimentdas por unidades diferentes de uma organziação de fornecedor para cliente. Pode ser representada graficamente para melhor visualização e análise das “linhas de ruptura” no fluxo de produtos, pontos de estoque, recursos compartilhados com outras combinações de mercado / produto e penetração dos pedidos dos clientes.

Estrutura de Braços em Balanço (Cantilever Racking)
Estrutura de estocagem onde o membro inferior de uma estrutura em contato com o solo que está geralmente fixado a uma coluna. Pode também ser fixado ao solo e usado como um braço de apoio de carga.

Estrutura Porta Paletes (Racking)
Sistema estruturado de estocagem (de nível único ou múltiplo), usado para suportar empilhamento de itens ou cargas paletizadas.

Estrutura Porta Paletes de Dupla Profundidade (Double Deep Packing)
Estrutura Porta Paletes que comporta dois paletes em profundidade, permitindo dessa forma a redução do número de corredores e necessitando o uso de empilhadeiras pantográficas.

Estrutura Porta Paletes Dinâmica (Flow Racking)
Estruturas metálicas dotadas de roletes ou rodízios que permitem que um produto seja deslocado de uma parte para outra da estrutura. Usadas na sepração de pedidos, estas estruturas podem acelerar o processo.

Estrutura Porta Paletes Frive In (Drive In Racking)
Estrutura de estocagem com vigas laterais para permitir um empilhamento elevado em fileiras profundas contribuindo assim, para um maior aproveitamento do espaço. Diferentemente dos porta-paletes drive-through, oferece acesso somente por um corredor.

Estrutura Porta Paletes Push Back (Push Back Racking)
Um sistema de estocagem que permite uma utlização profunda de cada nível do porta palete. Os paletes são colocados e retirados do mesmo lado da estrutura. Dispositivos permitem que os paletes recuem ao se colocar um outro na frente destes. Ao removermos um palete, o palete de traz vem para a frente da estrutura.

Estufar / Ovar (Stuffing)
Atividade de carregamento e proteção da carga em contêineres ou em um meio de transporte.

ETA (Estimated Time of Arrival)
Expressão do transporte marítimo, que significa dia da atracação (chegada) do navio no porto.

ETD (Estimated Time of Departure)
Expressão do transporte marítimo, que significa data estimada ou prevista da saída (zarpar) do navio no porto.

Etiquetagem (Labeling)
São aplicações de etiquetas específicas com preço para as mercadorias serem embarcadas.

ETS
Expressão do transporte marítimo, que significa dia da saída (zarpar) do navio do porto.

EVA – Earned Value Analysis
Veja Análise do Valor de Trabalho Realizado

EVA – Economic Value Added
Veja Valor Econômico Agregado.

Evergreen Demand
Veja Demanda Duradoura

EWS – Early Warnig System
Veja Sistema de Advertência Antecipada

Ex Ship
O vendedor disponibilizará os produtos para o ocmprador no navio até o destino estipulado no contrato de venda. O vendedor assumirá todos os custos e riscos envolvidos em enviar os produtos ao destino.

Ex Warehouse
Vcomprador é responsável por todos os custos até o destino e deve providenciar cobertura de seguro dos produtos, desde o momento que estes deixam o armazém até a chegada no destino final. Tambem conhecido como ex works.

Ex Works
Significa que o vendedor faz a entrega ou coloca os bens à disposição do comprador nas suas próprias instalações ou em outro local, sem desembaraçar os bens para exportação e sem estarem carregados em nenhum meio de transporte, sendo o ocmprador responsável por todos os custos e riscos a partir deste momento. EXW representa a mínima obirgação para o vendedor.

Excess Inventory
Veja Estoque Excedente

Excesso de Peso (Over Weight)
Peso excedente do peso aceitável

Exchange Palete
Veja Palete de Intercâmbio

Execução da cadeia de abastecimento (Supply Chain Execution)
Comprrende a análise da demanda, gerenciamento do transporte e controle de pedidos, estoques e ativos movimentados na cadeia de atendimento.

Executive Support System
Veja Sistema de Apoio Executivo

Expected Demand During Lead Time
Veja Demanda esperada durante o Lead Time

Expedição (Shipping)
Função que oferece instalações para a expedição de peças, produtos e componentes. Inclui embalagem, identificação, pesagem e carregamento de veículo para transporte. É o processo de preparar os produtos para transporte antes do embarque, uma junção ou transit point, de forma a acelerar o movimento de transporte.

Expedição de transferência (Handover Shipment)
Expedição entregue por um agente de transporte de frete, mas que foi transferida a outro agente de transportes, conforme estipulado pelo consignatário para liberação em alfândega e entrega, conforme incoterms.

Expedidor (Forwarder)
Parte que providencia o transporte de produtos incluindo serviços afins e formalidades envolvidas em nome de um expedidor ou consignatário.

Expedidor de Frete (Freight Forwarder)
Pessoao u empresa que prepara, consolida e desenvolve grandes carregamentos e operações de distribuição, assumindo as responsabilidades de transporte desde a origem até o destino. Aquele que recebe cargas fracionadas para um transportador e realiza os procedimentos aduaneiros e documentos envolvidos para embarques internacionais.

Expedidor de Frete Internacional (International Freight Forwarder)
Expedidor de frete que manuseia os papéis e os consolidam para os exportadores, podendo ou não fazer a consolidação da carga.

Expedidor de Tráfego Aéreo (Air Freight Forwarder)
Uma empresa que negocia baixas taxas com as companhias aéreas e as revende em pequenas quantidades para os transportadores.

Expedite
Veja Agilizar

Experimental Order
Veja Pedido Experimental

Explosão (Explosion)
Análise de uma lista de materiais no total de cada um dos componentes necessários para fabricação de determinado produto.

Exponential Distribution
Veja Distribuição Exponencial

Exponential Smoothing
Veja Suavização Exponencial

Extended Supply Chain
Veja Cadeia de Abastecimento Estendida

Extensão para encosto de carga (Load Backrest Extension)
Estrutura removível que se estende verticalmente na estrutura do veículo de transporte para dar suporte e estabilidade a cargas elevadas.

F

FA – Free Astray
Veja Livre de Extravio

Fábrica Externa (External Factory)
Situação em que os fornecedores são vistos como uma extensão da capacidade de fabricação da empresa. As mesmas práticas e preocupações comumente aplicadas ao sistema de fabricação devem ser aplicadas à fábrica externa.

Fábrica Focalizada (Focused Factory)
Fábrica designada para fabricar uma série de produtos semelhantes, que usam a mesma série de processos.

Fábrica Virtual (Virtual Factory)
Modelo computacional de fábrica que descreve os principais aspectos da fábrica real de maneira integrada e efetua previsões muito mais precisas do seu desempenho dentro das mais diversificadas configurações e políticas.

Fabricação contínua (Continuous Manufacturing)
Sistema de produção ns qual o equipamento produtivo é organizado em sequência de acordo com os passos envolvidos na fabricação do produto. Este termo denota que o fluxo de materiais é contínuo durante o processo produtivo. As rotinas de trabalho são fixas e as especificações alteram-se com pouca frequência.

Fabricação Dispersa (Dispersed Manufacturing)
Fabricação de um produto único em diferentes localidades ou fabricação em uma localização mais apropriada para esta atividade específica.

Fabricação em camadas (Tiered Manufacturing)
Um conceito lançado na indústria automotiva no qual um grupo de fornecedores diretamente abastece uma montadora principal, chamados de fornecedores de primeira camada. Os fornecedores que abastecem os fornecedores diretos são os fornecedores de segunda chamada.

Fabricação em fluxo (Flow Manufacturing)
Uma estratégia projetada para auxiliar as empresas a produzir um produto de qualidade num menor tempo de produção ao menor custo possível, reduzindo o tempo de ciclo, minimizando estoques e aumentando giros no estoque. Enfoque da produção com o mínimo de interrupções em um processo real de qualquer atividade, ou entre atividades de produtos similares. O tempo de transferência é virtualmente eliminado, integrando o movimento do produto na operação real do recurso que está realizando o trabalho.

Fabricação em linha (In Line Manufacturing)
Produção na qual produtos seguem caminhos lineares diretos sem recuos ou desvios.

Fabricação em Lote (Batch Manufacturing)
Produção de materiais em programas discretos, intercalados com outras operações da produção.

Fabricação em massa (Mass Manufacturing)
Processo de produção em grandes quantidades, caracterizado pela especialização de equipamentos e mão de obra.

Fabricação Focalizada (Focused Manufacturing)
Conceito segundo o qual cada instalação de produção deve ser especializada, de alguma maneira, para torná-la menos vulnerável à competição.

Fabricação Focalizada (Product Focused Manufacturing)
Operação de fábrica ou de serviço na qual há somente alguns projetos de produto / serviço padronizado: os produtos / serviços geralmente são produzidos para estoques de bens acabados e as taxas de produção de produtos e serviços individuais, geralmente são maiores que seus índices de demanda.

Fabricação Focalizada no Processo (Process Focused Manufacturing)
Operação de fábrica que produz muitos produtos únicos em lotes relativamente pequenos, que fluem ao longo de diferentes caminhos pela fábrica exigindo frequentes preparações de máquina; também chamada de “job shop”.

Fabricação intermitente (Intermittent Manufacturing)
Processo de produção no qual um produto específico é fabricado com interrupções em um período determinado.

Fabricação repetitiva (Repetitive Manufacturing)
Produção de unidades discretas, planejadas e executadas conforme um programa, geralmente em volumes e velocidades relativamente elevados. O material tende a mover-se em fluxo contínuo durante a produção, mas pode-se produzir itens diferentes sequencialmente naquele mesmo fluxo.

Fabricação Sincronizada (Synchronised Manufacturing)
Sistema de planejamento e controle da produção no qual as partes de uma organziação trabalham juntas para atingir a sincronização dos processos.

Fabricante Contratado (Contract Manufacturer)
O termo empregado para uma empresa que realiza produção para outra.

Fabricante Originla do equipamento (Original Equipment Manufacturer – OEM)
Fabricante que compra e incorpora os produtos de outro fornecedor a seus próprios.

Fabricar para estoque (Make-to-Stock)
Os produtos são completados antes do recebimento de um pedido de cliente e, de um modo geral, produzidos de acorod com uma previsão de vendas.

Fabricar sob pedido (Make to order)
Estratégia de manufatura em que a empresa dispara o processo de engenharia (especificação e projeto do produto acabado) e de produção após formalizado um pedido pelo cliente.

Fabrication Level
Veja Nível de Fabricação

Face de Separação (Picking Face)
É a localização, em um armazém, onde a separação do pedido de menos de um palete é realizada.

Faceamento (Facing)
O termo é usalmente usado para descrever uma característica do sistema de separação de pedidos.

Facility
Veja Instalação

Facility Planning
Veja Planejamento da Instalação

Facing
Veja Faceamento

Fadiga (Fatigue)
Redução da capacidade de exercer força em resposta a um esforço voluntário.

Falta em estoque (Stock Out)
Situação em que um produto não está disponível em estoque, quando de sua solicitação.

Família (Family)
Grupo de itens finais cuja semelhança do projeto permite planejamento agregado, cujo desempenho de vendas é monito

FAS
Free Alongside Ship ou Livre no Costado do Navio. O vendedor entrega a mercadoria ao comprador no costado do navio no porto de embarque.

Fast mover
Veja Alto Giro.

Fastener
Veja Prendedor

FAS– Final Assembly Schedule
Veja Programa de Montagem Final

FAS– Free Alongside Ship
Significa que o vendedor entrega ou transfere os bens no costado do navio, no porto previamente determinado. O comprador assume a responsabilidade, os custos e riscos de perdas ou danos dos bens a partir deste instante.

Fatigue
Veja Fadiga

Fator Crítico de Sucesso (Critical Success Factor)
Uma condição mensurável que deve ser satisfeita, a fim de que o processo atenda às necessidades dos clientes. A condição pode ser física ou comportamental.

Fator de carga (Load Factor)
Quociente de carga real de uma produção (grupo de recursos de produção) ou departamento (armazém / estoque) e a capacidade disponível durante um período específico. Indica até que ponto a capacidade é usada durante um períoo específico.

Fator de carregamento (Stowage Factor)
A relação entre o frete (volume) e o peso da carga.

Fator de redução (Shrinkage Factor)
Fator percentual no registor mestre de um item que compensa a perda esperada durante o ciclo de produção, seja aumentando as necessidades brutas ou reduzindo a quantidade de conclusão esperada de pedidos planejados ou em aberto.

Fator de Risco Ergonômico (ergonomic Risk Factor)
Condições de uma atividade, operação ou processo que contribuem para o desenvolvimento de Lesões por esforços Repetitivos (LER) e DORT.

Fator de Sensibilidade de Lote (Batch Sensitivy Factor)
Multiplicador usado em regras de arrendondamento visando determinar o número de lotes necessários para produzir uma dada quantidade de produto.

Fator que modela o desempenho ergonômico (Ergonomic Performance Shaping Factor)
Aspectos do ambiente de trabalho que influenciam o desempenho humano.

Fatura (Invoice)
Documento de Transação comercial entre empresas.

Fatura Pro Farma (Pro Forma Invoice)
Documento preparado antes de uma venda para fornecer evidências sobre o valor da fatura. Fatura enviada a um importador antes da confirmação e expedição do pedido.

Faturamento (Billing)
Atividade que envolve determinação da taxa adequada e dos custos totais para expedição e emissão de uma fatura de frete.

Fazer ou Comprar (Make or Buy)
Processo que leva a uma decisão de produzir um item internamente ou adquirí-lo de um fornecedor ou fonte externa.

FCA
Free Carrier ou Transportador livre. O vendedor está isento de responsabilidades, no momento que entrega a mercadoria para o agente indicado pelo comprador ou para o transportador.

FCA – Free Carrier
Veja Transportador Avulso

FCFS – First Come First Served
Veja Primeiro a chegar, primeiro a atender

FCL
Full Container Load ou Contêiner Completo.

FCL – Full Container Load
Veja Carga de Contêiner Completo

FCR
Forwarder Certificate of Receipt ou Certificado de Recebimento do Agente de Transportes.

FCR – Forwarder Certificate of receipt
Veja Certificado de Recebimento do Expedidor

FCS
Finite Capacity Schedule ou Programação de Capacidade Finita.

FCT – Forwarder Certificate of Transport
Veja Certificado de Transporte do Expedidor

FDA – Food and Drug Administration
Agência do governo norte-americano que regulamenta as atividades relativas aos alimentos e medicamentos, inspecionando fábricas e armazéns.

Feeder
Serviço marítimo de alimentação do porto hub ou de distribuição das cargas nele concentradas. O termo feeder também pode se referir a um porto secundário (alimentador ou distribuidor) em determinada rota. Cabe salientar que um porto pode ser hub para determinadas rotas de navegação e feeder para outras.

Feeder Service
Veja Serviço de Abastecimento

Feeder Ship
Veja Navios de abastecimento.

FEFO
First-Expire, First-Out ou Primeiro que Vence é o Primeiro que Sai. Serve para gerenciar a arrumação e expedição das mercadorias do estoque de acordo com o prazo de validade.

Ferry Boat
Veja Balsa

FEU – Forty Foot Equivalent Unit
Veja Unidade equivalente a quarenta pés

FGI – Finished Good Inventory
Veja Estoque de Produto Acabado

Ficha de Identificação de Segurança do Materisl (Material Safety Data Sheet – MSDS)
Um documento de acompanhamento do produto que evidencia sua segurança e eventuais propriedades químicas, em geral sobre um modo de estocagem, movimentação, etc.

FIFO
First-In, First-Out ou Primeiro que Entra é o Primeiro que Sai (PEPS).

Fifth Pack
Veja Embalagem de quinto nível

Fifth Party Logisitics
Veja Logística de Quinta Parte

Fila (Queue)
Uma linha de espera. Na manufatura, as tarefas eram um dado centro de trabalho que estão esperando para serem processadas.

Fill in Order
Veja Pedido em atendimento

Filme Termo-Retrátil (Shrink Film)
Folha plástica biorentada que, com a ação de uma fonte de calor, tem a propriedade de contrair-se, possibilitando a unitização e unificação de cargas.

Filmes Esticáveis (Stretch Film)
Folha plástica que, com a ação de uma força, tem a propriedade de esticar-se (sem romper) por meio de movimento rotacional, promove a unitização ou unificação de cargas.

FILO – First in Last Out
Veja Primeiro a entrar, último a sair

FILO – Free in Liner Out
Condição de transporte que indica que as despesas de embarque são do exportador e as de desembarque do armador.

Finish to Order
Veja Postponement

Finite Capacity Planning
Veja Planejamento de Capacidade Finita

Finite Loading
Veja Carregamento finito

FIO
Free In and Out ou isento de taxas no embarque e no desembarque. Despesas de embarque são do exportador e as de desembarque do importador. Nada de responsabilidade do Armador.

Firm Planned Order
Veja Pedido Firme Planejado

First Finished Date
Veja Primeira Data de Término

First In Still Here Fish
Veja Primeiro a entrar – Ainda Aqui

First Pack
Veja Embalagem Primária

First Pick Ratio
Veja Índice de Primeira Separação

First Time Date
Veja Primeira Data de Vencimento

Fita Magnética (Magnetic Strip)
Um tipo de identificação que usa uma fita de material magnético preso a um contenedor ou à mercadoria propriamente dita. A fita possui informações codificadas que podem ser lidas por um scanner magnético.

Fixde Period Requirement
Veja Necessidade Fixa por Período

Fixed Automation
Veja Automação Rígida

Fixed Cost
Veja Custo Fixo

Fixed Location Storage
Veja Estocagem em Local Fixo

Fixed Order Quantity
Veja Pedido de Quantidade Fixa

Fixed Period Reorder
Veja Reposição de Pedidos a período fixo

Fixed schedule
Veja Programa Firme ou Congelado

Flape
Dispositivo hipersustentador existente no bordo de fuga das asas dos aviões, próximo ao corpo da aeronave, que serve para aumentar a curvatura média do aerofólio, por meio de deslocamento do bordo de fuga para baixo. É utilizado nos pousos e decolagens, através de acionamento por alavanca. Existem 3 posições de inclinação.

Flat Bill of Material
Veja Lista de Material Aberta

Flat Rack
Tipo de container aberto, possuindo apenas paredes frontais, usado para cargas compridas ou de forma irregular as quais, de outro modo, teriam de ser transportadas soltas em navios convencionais.

Fleet Monitoring
Veja Monitoramento de rota

Flexible Automation
Veja Automação Flexível

Flexible Capacity
Veja Capacidade Flexível

Flexible Schedule
Veja Programa Flexível

Flextime
Veja horário flexível

Flight Load Skid
Veja Estrado para carga aérea

Floor Ready Product
Veja Produto pronto para expedição

Floor Stock
Veja Estoque no chão de fábrica

Flow Diagram
Veja Diagrama de Fluxo

Flow Manufacturing
Veja Fabricação em fluxo

Flow Rack
Veja Estrutura Porta Paletes Dinâmica

Flow Replenishment
Veja Fluxo de Reabastecimento

Flow Shop
Forma de Organização da manufatura na qual os diferentes tipos de equipamento estão localizados contiguamente uns aos outros, com base no que fazem para produzir.

Flow Through Distribution
Veja Distribuição em fluxo

Fluctuation Inventory
Veja Estoque Flutuante

Fluxo abaixo (Downstream)
Processos em uma cadeia de abastecimento que ocorrem após a fabricaç~so e que são dedicados a fornecer produtos e serviços aos clientes, usualmente envolvendo armazenagem e distribuição com transporte subsequente para lojas de varejo.

Fluxo Acima (Upstream)
Processos que acontecem antes da fabricação ou conversão de produtos ou serviços, usualmente dedicado à aquisição de matérias primas dos fornecedores.

Fluxo Contínuo (Continuous Flow)
Refere-se a produtos, materiais, inofrmações, pessoas e a quase tudo que se mova continuamente, parando apenas quando se agrega valor diretamente. Em um fluxo contínuo ideal não há atrasos e o tempo de ciclo do processo é igual ao tempo de ciclo teórico.

Fluxo Contínuo de Distribuição (Continuous Flow Distribution)
Transferir os produtos de forma a responder às exigências dos clientes enquanto se minimiza os custos totais de distribuição.

Fluxo Contínuo de Produção (Continuous Flow Production)
Produção sem lotes, na qual os produtos fluem de uma forma contínua ao invés de quantidades discretas, repetitivas ou não.

Fluxo de Demanda (Demand Flow)
Técnica para acelerar a montagem de produtos finais. Fluxo em demanda usa o conceito de peças em um supermercado, que pode ser utilizado para responder às necessidades imediatas dos clientes.

Fluxo de Reabastecimento (Flow Replenishment)
Um modelo para reabastecimento de produto a um local de varejo. O estoque do varejista, que é mantido pelo fabricante e pelos vendedores aos clientes, é registrado pelas transações dos pontos de venda. O estoque é automaticamente reabastecido pelo fabricante utilizando um acordo de método de reabastecimento.

FMEA
Análise do Modo de Falha e Efeito.

FMS – Flexible Manufacturing System
Veja Sistema de Manufatura Flexível

FOB
Free On Board ou Preço sem Frete Incluso (posto a bordo). Denominação da cláusula de contrato segundo a qual o frete não está incluído no custo da mercadoria. Tem algumas variações de FOB. Pode ser FOB Fábrica, quando o material tem que ser retirado e FOB Cidade, quando o fornecedor coloca o material em uma transportadora escolhida pelo cliente.

Focused Factory
Veja Fábrica focalizada

Focused Factory
Veja Fábrica focalizada

Folga (Free Out)
Folga de uma atividade, obtida por meio da dedução da duração da atividade e da diferença entre o tempo mais recente possível de início da atividade seguinte e o tempo mais recente possível de início da própria atividade

Follow Up
Veja Acompanhamento

Fominha
Expressão utilizada no transporte rodoviário, que significa material em superfície plana, geralmente em metal ou madeira, que serve para prolongar para cima a carroceria do caminhão, com a finalidade de aumentar a capacidade de carga.

Fonte (Source)
Metodologia envolvida na procura de materiais necessários, forncedores e serviços para sustentar uma cadeia de abastecimento. Ato de busca de forncedores potenciais para um produto ou serviço necessário.

Fonte Múltipla (Multisourcing)
Aquisição de um produto ou serviço de mais de um fornecedor independente

Food Town
local que reúne vários fornecedores de um mesmo cliente em comum.

Força (Force)
Ação da mudança de estado de descanso ou movimento de um corpo para o qual esta é aplicada.

Forecasting
Veja previsão.

Forecasting Accuracy
Veja Acurácia de Previsão

Foreign Vessel
Veja Embarcação Estrangeira

Forjar
Termo utilizado em Produção, que significa aquecer uma peça de metal através do calor de maçarico ou brasa até ficar avermelhada, e depois utilizar uma marreta e bigorna como instrumentos, para dar a forma desejada.

Forklift
Veja Empilhadeira

Fórmula de Wilson do Tamanho do Lote (Wilson Lot Size Formula)
Fórmula para cálculo da quantidade ótima do pedido

Fórmula Welch (Welch Formula)
Fórmula utilizada para reduzir o estoque a um número de produtos. Visa reduzir os custos de pedido, sem aumentar ou reduzir os custos de estoque ou aumentar os custos de set up.

Fornecedor (Vendor)
Uma empresa ou indivíduo que abastece de produtos ou serviços o comprador.

Fornecedor Terceirizado (Third Party Provider)
Empresa que fornece produtos e serviços a outras empresas.

Fornecedor Único (Single Source Supplier)
Empresa escolhida para ter 100% dos negócios focados em um único item, apesar de haver forncedores alternativos disponíveis.

Fornecimento Global (Global Sourcing)
Estratégia de aquisição de materiais de forncedores, independente de sua posição no mundo.

Forth Pack
Veja Embalagem Quartenária

Forward Order
Veja Pedido Antecipado

Forwarder
Veja expedidor

Forwarding
Veja Antecipação de Expedição

FOT – Free on Truck
Veja Livre sobre o Veículo

Fourth Party Logistic
Veja Logística de Quarta Parte

FPNQ
Abreviatura de Fundação Prêmio Nacional da Qualidade. Entidade voltada para o desenvolvimento de metodologia para a implementação de processos de excelência na gestão, que instituiu o Prêmio Nacional da Qualidade, e que efetua a sistematização dos requisitos e avaliação das Empresas que concorrem à premiação.

Fracionamento de Carga (Break Bulk)
Quando um grande embarque é recebido em um centor de distribuição e é necessário subdividi-lo em diversos produtos, com o propósito de atender a distribuição. O fracionamento de granel também é uma forma de reduzir um grande embarque de um único produto em diversos embarques menores de modo a atender compradores dispersos. O fracionamento de um embarque consolidado em menores, para entrega aos consignatários. O termo também aplica-se em embarques marítimos, onde as embalagens não são conteneirizadas.

Free Loat
Veja Folga

Free Trade Zone
Veja Zona de Livre Comércio

Freeport
Veja Porto Livre

Freight Consolidation
Veja Consolidação de Frete

Freight Contract
Veja Contrato de Frete

Freight Forwarder ou Expedidor de Frete
Empresa ou profissional autônomo que são responsáveis por toda a operação que consiste em preparar a consolidação de cargas e seu transporte, da origem até o destino final. Esta preparação engloba todo o acerto da documentação necessária.

Freighter
Navio cargueiro.

Fretador (Charterer)
Pessoa que assinou um contrato de fretamento com o proprietário da embarcação ou aeronave, e o aluga ou obtém leasing completo ou de parte da capacidade.

Frete (Freight)
Produtos sendo transportados de um local para outro. Quantia em dinheiro a ser paga pelo transporte de produtos, adiantado ou mediante a entrega. Rednimento resultante da movimentação de carga.

Frete de Porta a Porta (Door to Door Freight)
Cobrança pelos elementos físicos da movimentação de carga, desde as instalações do fornecedor até as instalações de entrega designadas pelos destinatários.

FTL – Full Track Load
Veja Carga Completa do Caminhão

FTS
Fold, Tale, Seal ou Dobra, Fita, Selo. É a sigla de um método de fechamento de sacaria, criado no final dos anos 80, pela Doboy na Alemanha.

Fulfillment
Atender no tempo e no prazo. É o conjunto de operações e atividades desde o recebimento de um pedido até sua entrega.

Full Pegging
Veja Rastreamento Completo

Full Service Truck Lease
Veja Serviço Completo de Locação de Caminhão

Function Management
Veja Gerenciamento por Função

Function Management
Veja Gerenciamento por Função

Functional Layout
Veja Layout Funcional

Functional Layout
Veja Layout Funcional

Fundição
Termo utilizado em Produção, que significa derreter metais com o calor e colocá-los em formas para a confecção de peças, que na maioria das vezes ainda passarão por outros processos até ser um produto final.

Furto (Pilferage)
Subtração fraudulenta de produtos de uma carga em embarcação, armazém, etc.

Fusão (Merge)
Combinação de duas ou mais empresas em uma única, previamente operadas em bases separadas.

Future Order
veja Pedido Futuro

G

Gain Sharing
veja Participação do Ganho

Gangway
veja Prancha

Gantry Crane
veja Pórtico

Gantt Chart
veja Gráfico de Gantt

Garantia (Warranty)
É o recibo de armazém geral que pode ser utilizado como uma garantia para empréstimos, com os produtos estocados sob custódia de um armazém geral.

Gargalo ou Bottleneck
Instalação, função, departamento ou recurso que impede a produção, pois sua capacidade é inferior ou idêntica à demanda.

Gateway
Ponto de troca de mercadorias (em transporte). Ponto em que carga passa para outro tranportador ou troca o modo de transporte. Acesso, entrada.

GED
Gerenciamento Eletrônico de Documentos.

General Cargo
veja Carga Geral

General Commodity Carrier
veja Transportadora de Carga Geral

Gerenciamento Avançado da Cadeia de Abastecimento (Advanced Supply Chain Management)
A criação, sincronização e manutenção de uma rede de organizações dedicadas a construir e constantemente melhorar uma cadeia de valor focalizada em um ramo de atividade específico, segmentos de mercado e grupo de clientes. Este conceito culmina com o gerenciamento de cadeia de abastecimento no qual uma rede de fornecedores, fabricantes, distribuidores, vendas e especialistas de suporte trabalham interdependente para atingir domínio de mercado.

Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento (Supply Chain Management – SCM)
Processo de integração que combina as funções da logística desde o gerenciamento de materiais, com a compra de matérias-primas e/ou componentes, tecnologia de informação e funções de planejamento estratégico, visando o atendimento do consumidor de produtos e/ou serviços. Abordagem integral que envolve questôes fundamentais relacionadas à cadeia de abastecimento como estratégias funcionais, estrutuorganizacional, tomada de decisão, administração de recursos, funções de apoio, sistemas e procedimentos.

Gerenciamento da Capacidade (Capacity Management)
É a função de estabelecer, medir, monitorar e ajustar os limites ou níveis de capacidade, com o objetivo de executar os programas de fabricação e decidir sobre os planos de produção, MPS, MRP e llista de prioridades. A gestão da capacidade é executada em quatro níveis: planejamento de recursos, planejamento preliminar da capacidade, planejamento das necessidades de capacidade além do controle das entradas e saídas.

Gerenciamento da Demanda (Demand Management)
Função de controle e gestão de toda a demanda dos produtos para assegurar que o planejamento mestre seja cumprido. Compreende as atividades de previsão, entrada de pedidos, compromisso de entrega, necessidade dos armazéns, pedidos entre plantas e necessidades de reposição.

Gerenciamento da Logística (Logistic Management)
Processo de planejamento, implementação e controle do fluxo eficiente e eficaz de matérias-primas, estoque de produtos semi-acabados, produtos acabados e do fluxo de informações relativo a eles, desde a origem até o consumo, com o propósito de atender aos requisitos dos clientes.

Gerenciamento de Categorias (Category Management)
A administração de categorias de produtos como unidades estratégicas, unidades de negócio.

Gerenciamento de Estoque (Inventory Management)
Processo que assegura a disponibilidade de produtos através das atividades de administração do inventário tais como planejamento, localização do estoque e monitoramento da validade dos produtos.

Gerenciamento de Estoque Agregado (Aggregate Inventory Management)
Estabelecer os níveis globais de estoque desejados e implementar controles para assegurar que as decisões individuais de reabastecimento atinjam esta meta.

Gerenciamento de Evento Colaborativo (Collaborative Event Management – CEM)
Categoria de softwares especializados no planejamento e controle de atividades, integrando consórcios e prestadores de serviços em projeto.

Gerenciamento de Material (Material Management)
Agrupamento de funções gerenciais que apóiam todo o ciclo do fluxo de materiais, desde a aquisição, planejamento e controle de material em processo, estocagem, expedição e distribuição do produto acabado.

Gerenciamento de Processos (Process Management)
É uma abordagem moderna que envolve a padronização, melhoria e até o redesenho dos processos, caso necessário, de maneira a atender às necessidades e expectativas dos clientes (eficácia), com custos compatíveis (eficiência).

Gerenciamento do Comércio Empresarial (Enterprise Commerce Management)
Auxilia as empresas a identificar, avaliar e mapear as aplicações, processos e tecnologias, críticas necessárias no suporte aos colaboradores, clientes e fornecedores.

Gerenciamento do Conhecimento (Knowledge Management)
Refere-se aos esforços para a gestão do conhecimento dentro da organização. Tais esforços são frequentemente centrados na Tecnologia da Informação. Deve haver uma disseminação do conhecimento como uma novidade, mas o conceito tem um valor na cadeia de abastecimento pelos múltiplos empreendimentos.

Gerenciamento do Desenvolvimento do Produto (Product Development Management)
Sistema responsável pela administração de todo o processo de especificação, concepção, design, detalhamento, programação, produção e lançamento de novos produtos.

Gerenciamento do Fornecedor (Supplier Management)
Qualquer atividade que tem efeito sobre o controle dos fornecedores com o propósito de definir seu comportamento de forma favorável à empresa compradora.

Gerenciamento do Projeto (Project Management)
É a aplicação do conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do proejto, de forma a atingir e exceder as necessidades e expectativas dos interessados pelo projeto.

Gerenciamento do Pulmão (Buffer Management)
Técnica utilizada para gerenciar a proteção necessária de materiais frente ao recurso com restrição de capacidade (Gargalo).

Gerenciamento do Relacionamento com o cliente (Customer Relationship Management – CRM)
É a arte de integrar todos os aspectos da tecnologia da informação em benefício de um completo relacionamento com o cliente, desde atividades de marketing e vendas até contas a receber. Esse modelo de negócios centrado no cliente também é identificado pelas denominações marketing de relacionamento, markting em tempo real, intimidade com o cliente e uma variedade de outros. Mas a idéia é a mesma: estabelecer relacionamento com os clientes de forma individual e depois usar as informações coletadas para tratar clientes diferentes de maneira customizada. O intercâmbio entre um cliente e a empresa torna-se mutuamente benéfico, uma vez que os clientes oferecem informações em retirbuição aos serviços personalizados que atendem às suas necessidades individuais.

Gerenciamento do Relacionamento com o fornecedor (Supplier Relationship Management – SRM)
Soluções que permitem às empresas coletar e acompanhar dados dos fornecedores, para otimizar o processo de suprimentos e relacionamento personalizado com estes.

Gerenciamento do Tráfego (Traffic Management)
A seleção dos modos de transportes e os específicos carregamentos dentro destes modos.

Gerenciamento dos Recursos Humanos (Employment Resource Management – ERM)
Categoria de softwares especializados no processos de Gestão dos Recursos Humanos de uma organização.

Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GED) –
pode permitir a um gestor que autoriza uma compra a visualização de documentos, como propostas comerciais, diretamente na tela do computador.

Gerenciamento por Função (Function Management)
A administração por funções agrupa cargos pelas habilidades necessárias ao desenvolvimento das atividades e pelo desejo de controlar e minimizar riscos.

Gerenciamento por Processo (Process Management)
A adminitração por processos identifica, avalia, redefine e implementa o fluxo das atividades de rotina, visando atender às necessidades dos clientes.

Gerenciamento Total de Fabricação (Total Manufacturing Management – TMM)
Redefinição da produção baseada na lógica do JIT, controle do processo, melhoria contínua, máximo comprometimento com um sistema de gestão com a lógica do custo total.

Gestão à Vista (Visual Management)
Sistema onde as informações necessárias para o gerenciamento estão à vista (exemplos: quadros, paíneis na fábrica, luzes indicando o status das atividades). Serve para promover a participação de todos no melhoramento das atividades.

Gipsy
Veja Carreteiro

Giro de Estoque (Inventory Turn)
O número de vezes que o estoque renova-se durante o ano. Uma forma de calcular os giros de estoque é dividir a demanda anual do item pelo saldo médio em estoque. Por exemplo, um custo médio de vendas de $20 milhões dividido entre um inventário médio de $2 milhões, significa que temos uma rotação de estoque de 10 vezes ao ano.

Giro de estoque (Inventory Turn)
demanda anual dividida pelo estoque médio mensal.

Giro de Estoque Total em uma cadeia de abastecimento (Total Supply Chain Inventory Turn)
Total de unidades vendidas por ano dividido pela média das unidades dos produtos acabados nas mãos dos fabricantes e distribuidores dentro de uma cadeia de abastecimento, incluindo as prateleiras da loja.

Giro de inventário
receita operacional líquida dividida pelo saldo médio do inventário (vezes).

GIS – Geographical Information System
Veja Sistema de Informaão Geográfica

Global Sourcing
Veja Fornecimento Global

Global Supplying Cost
Veja Custo Global do Fornecimento

GMP – Good Manufacturing Practices
Veja Boas Práticas de Fabricação

Goods Movement
Veja Movimento de Produtos

GoodWill
Trata-se da imagem que a empresa tem no mercado. Um dos valores intangíveis que uma empresa adquire perante fornecedores e clientes. É promovido gerando mais negócios em troca de bom serviço, previsões e planos de compartilhamento, trabalhar em conjunto para solucionar problemas, desenvolvimento e pesquisa mútua, etc.

Government Bill of Landing
Veja Conhecimento de Embarque Governamental

GPS
Global Positioning System ou Sistema de Posicionamento Global. Foi desenvolvido pelas forças armadas norte-americanas e é composto por um conjunto de 24 satélites que percorrem a órbita da Terra a cada 12 horas. Esse sistema permite que através de dispositivos eletrônicos, chamados GPS Receivers (Receptores GPS), possam ser convertidos os sinais de satélites em posicionamentos, permitindo assim a localização geográfica de qualquer objeto no globo terrestre com uma precisão em torno de 10 metros.

Grade
Conjunto de trilhos e dormentes pré-reunidos.

Gráfico de Barras ou de Gantt
É um gráfico com todas as atividades sequenciais de uma operação / projeto / produção, onde para cada operação tem uma barra com o tamanho de sua duração. Foi desenvolvido por H. L. Gantt em 1917.

Graneleiro (Bulk Carrier)
Convés único de embarcação proejtado para transportar cargas secas homogêneas não embaladas, como grãos, minério de ferro ou carvão.

Gravity Live Storage
Veja Estocagem por Gravidade

Gross Margin
Veja Margem Bruta

Gross Requirement
Veja Necessidade Bruta

Gross Sale
Veja Venda Bruta

Gross WareHouse Space
Veja Espaço Bruto de Armazém

Gross weight
Peso bruto da carga. Inclui a carga mais a embalagem (ou invólucro).

Grouping
Veja Agrupamento

GSM
Global System for Mobile communications ou Sistema Global para Comunicações Móveis.

Guindaste (Crane)
Equipamento de movimentação de materiais usado para elevação e transferência de itens pesados.

Gus Classification
Veja Classificação Gus

H

HACCP – Hazard Analysis and Critical Control Point
Veja Análise de Perigo e Ponto Crítico de Controle

Hacker
é “aquele que é perito em programar e resolver problemas com o computador; pessoa que acessa sistemas computacionais ilegalmente”. (Dicionário Houaiss, 2004).

Hand to Mouth Buying
Veja Compras da mão para a boca

Handling
Veja Manuseio

Handling charge
Despesas de manuseio ou movimentação de carga.

Handling In / Out
Movimentação de containeres cheios ou vazios em terminais portuários

Handling Package
Veja Embalagem de Movimentação

HandOver Shipment
Veja Expedição de Transferência

Harisson Method
Veja Método de Harrison

Hazmat – Hazardou Material
Veja Material Perigoso

Hedge Inventory
Veja estoque de Proteção

Hinterland
É o potencial gerador de cargas do porto ou sua área de influência terrestre. O Hinterland depende, basicamente, do potencial de desenvolvimento da região em que o porto está localizado e dos custos de transporte terrestre e feeder

Histograma (Histogram)
Gráfico de barras verticais contíguas que representam a distribuição da frequência na qual os grupos ou classes de itens são relacionados (no eixo x) e os diferentes itens de cada classe (no eixo y). Um histograma permite que as pessoas identifiquem padrões dificilmente perceptíveis em uma tabela numérica.

Histórico representativo de consumo ou de venda
conjunto de dados que não esteja contaminado por fatos fortuitos externos ao processo pesquisado.

Hold Order
Veja Pedido Suspenso

Holding Cost
Veja Custo de Posse

Horizontal Carousel
Veja Carrossel Horizontal

Horizonte de Planejamento (Planning horizon)
Período de tempo ao qual um plano específico relaciona-se expresso em unidades de tempo conforme acordo mútuo. Em um sistema MRP, o horizonte de planejamento é determinado pelo período de tempo que vai desde a data presente até uma data futura em que os planos de materiais são gerados. Deve abranger pelo menos o lead time cumulativo de compra e fabricação e, geralmente é um período relativamente extenso. Janela de tempo ou prazo limite para o qual se consideram válidas as premissas e alternativas para identificar os cenários futuros em que se insere a empresa para efeito de planejamento.

Horizonte Firme (Time Fence)
É um limite de tempo estabelecido para identificar até quando mudanças na programação padrão estão ocorrendo. Por exemplo, mudanças no programa mestre de produção podem ser realizadas facilmente além dos lead time acumulados, enquanto mudanças no horizonte firme tornam-se muito mais difíceis ou até mesmo inviáveis.

Housekeeping
técnica para iniciar e manter os processos de Qualidade e Produtividade Total em uma empresa.

HTML
Hypertext Markup Language.

Hub
Ponto central para coletar, separar e distribuir para uma determinada área ou região específica.

Hub Airport
Veja Aeroporto Hub

Hybrid Inventory System
Veja Sistema de Estoque Híbrido

I

IBC
Intermediate Bulk Container ou Contenedor Intermediário para Granel.

IBSP – Internet Business Service Provider
Veja Provedor de Serviços de Negócio da Internet. Empresas que se propõem a entregar serviços baseados na Internet, organizados como portais e “virtuais marketplaces”.

ICO
Inventory Chain Optimization ou Otimização da Cadeia dos Estoques.

Identificação de Material (Material Identification)
Tarefa de identificar e descrever o item inequivocadamente, individualizando-se dentre os demais por suas características físico/ químicas e a sua aplicação. Ver também PDM.

Identificação por Rádio Frequência (Radio Frequency Identification)
A colocação de transponders (os quais podem ser apenas lidos ou lidos e escritos) nos produtos, como uma alternativa aos códigos de barra, de modo a permitir a identificação do produto de alguma distância do scanner ou independente, fora de posicionamento.

Identificador de Aplicação (Application Identifier)
Um prefixo numérico para um código UCC/EAN-18 que define um dado codificado. Eles são geralmente usados como códigos secundários para fornecer a informação que não foi incluída na numeração UPC padrão, tais como data do produto, peso do lote e número da remessa. Isto também pode identificar o código serial UCC do contenedor de transporte.

IFB – Request or Invitation for Bid
Solicitação ou convite para apresentação de proposta ou lance em leilão.

IFR
Sigla usada na aviação para designar as regras de vôo por instrumentos.

Iglus (Igloos)
Paletes e contenedores usados no transporte aéreo. O formato iglu é projetado para ajustar-se aos contornos internos da parede do corpo do avião.

ILN – International Location Number
Veja Número de Localização Internacional

Importation Point
Veja Ponto de Importação

In Line Manufacturing
Veja Fabricação em Linha

Inactive Inventory
Veja Estowur Inativo

Inbond
Veja Alfandegado

Inbound
Dos fornecedores para as fábricas.

Inbound Logistic
Veja Logística de Abastecimento

Inbound Stock Point
Veja Supermercado

Incoming Inspection
Veja Inspeção de Recebimento

Incoterms – International Chamber of Commerce Terms of Sales
Termos de Vendas das Câmaras de Comércio Internacional. Definem as obrigações mútuas dos vendedores e compradores quanto ao transporte de produtos, como resultado de contrato de vendas internacional. Os Incoterms foram expedidos primeiramente pela câmara internacional de comércio, em 1936. São regras internacionais, uniformes e imparciais, que constituem 13 formas acabadas de realizar uma transação internacional e que, quando agregadas a um contrato internacional de venda, passam a ter força legal, com significado jurídico preciso.

Independent Demand
Veja Demanda Independente

Indicador (Metric)
Indicadores de desempenho de um negócio, processo ou projeto.

Indicador Focalizado em Rede (Network-Focused Metric)
São indicadores de desempenho baseados em toda cadeia de abastecimento, desde as matérias primas até o consumidor final, tais como tmepo de ciclo total ou retornos de toda cadeia de abastecimento.

Indice de Atendimento de Pedido (Order Fill Rate)

Porcentagem de atendimento de um pedido ou grupo de pedidos que pode ser completada (preparada e expedida). Para algumas empresas, em particular aquelas que vendem produtos muito similares, este índice é um indicador chave de serviço ao cliente.


Indice de Atendimento por Linha (Line Fill Rate)

É a porcentagem de linhas (itens de cada linha em um pedido do cliente) expedidas no prazo em relação ao número total de linhas do pedido.


Indice de Criticidade (Critical Ratio)

Regra de expedição que calcula uma relação de prioridade, dividindo o prazo até a data de despacho pelo tempo esperado para conclusão do trabalho. Relações abaixo de um representam atraso; acima de um, representam antecipado adiantamento e igual a um, conforme o esperado.


Indice de Elevação (Lifting Index)

Relação entre carga manipulada e limite de peso recomendado.


Indice de Fila (Delay Rate)

Fila originalmente programada entre o início da operação considerada e o prazo programado, dividido pelas horas restantes do tempo de atraso para uma tarefa.


Indice de flexibilidade

Representa a relação entre a média do lote de produção e a média do lote de entrega.


Indice de LeadTime de Fornecimento (Supply Lead Time Ratio)

É o tempo utilizado para fornecer a um requisitante produtos acabados para que ele possa fazer a entrega ao cliente. Isto pode ser igual ou menor à expectativa do cliente em relação ao lead time de reabastecimento. Mede-se dividindo o lead time do fornecimento atual pelo lead time de reabastecimento esperado pelo cliente. O alvo a atingir é um índice menor ou igual a um.


Indice de Primeira Separação (First Pack Ratio)

Durante a separação de um pedido, o percentual de pedidos ou linhas nos quais o atendimento foi alcançado a 100% na primeira coleta.


Indice de Produção (Production Rate)

Ritmo de produção normalmente expressa em unidades, hora ou outra medida; por unidade de tempo, pode ser por hora, turno, dia, semana, etc.


Indice de Valor Agregado (Value Added Ratio)

É o tempo utilizado diretamente nas atividades de desenvolvimento, produção, converter e liberar os produtos para os clientes. O objetivo é agregar valor o tempo todo dentro de uma cadeia de abastecimento. Medido pela divisão do tempo de valor agregado de todo o sistema pelo lead time do fornecimento atual total. O alvo que se deve atingir é uma taxa de valor agregado igual a um.


Indirect Cost
Veja Custo Indireto

Industrial Condominnium
Veja Condomínio Industrial

Infinite Loading
Veja Carregamento Infinito.

Informações (Information)
Conhecimentos relevantes obtidos através dos dados relativos a um objeto, situação ou problema.

Informações Pré-Expedição (Pre Shipping Information)
Informação de um fornecedor para seu cliente com relação, por exemplo, à data de expedição, método de expedição e número de fatura, etc, de produtos antes de realmente serem expedidos.

Information System
Veja Sistema de Informação

Information Tecnology
Veja TI – Tecnologia da Informação

Inland Waterway Bill of Loading
Veja Conhecimento de Embarque para Navegação Interna

Input/Output Analysis
Veja Análise de Entrada / Saída

Input/Output Control
Veja Controle de Entrada / Saída

Inquiry
Veja Solicitação

Inspeção Alternada de Lote (Skip Lot Inspection)
Inspeção de Lotes alternados recebidos de forncedores na totalidade dos itens constantes na folha de especificação da qualidade.

Inspeção de Recebimento (Incoming Inspection)
Conjunto de atividades de medição, exame, ensaio, verificação, quantidade, etc, de uma ou mais características do produto recebido, e a comparação dos resultados com requisitos especificados, a fim de determinar se há conformidade para cada uma dessas características.

Instalação (Facility)
Prédios, estruturas, equipamentos, ruas, estacionamentos ou outros recursos, incluindo a área onde os prédios estão localizados, designados às operações.

Instalação de Transporte (Transportation Facility)
Um termo que envolve os serviços realizados por transportadores na adequada movimentação de um ponto a outro; os carros, veículos, aviões ou navios utilizados em transporte; e algumas áreas como terminais e depósitos, que formam parte de uma transportadora e estão designados para o ato de transportar.

Insulated Container ou Refrigerated Container
Contêiner refrigerado ou frigorífico. Possue isolação térmica e é equipado com motor de refrigeração. Utilizado no transporte de cargas frigoríficas ou perecíveis.

Insurance
Seguro. Contrato ou o risco assumido pelo segurador mediante o pagamento de um prêmio pelo segurado.

Integração da Aplicação da Empresa (Enterprise Application Integration – EAI)
Estrutura comum para integração (ponta a ponta) dos processos e dados do negócio.

Integração Reversa (Backward Integration)
Processo de comprar ou desenvolver elementos do ciclo de produção e canal de distribuição dos fornecedores de matéria-prima.

Integrador de Sistema (System Integrator)
Um fornecedor ou consultor contratado para fornecer ou sub contratar todos os equipamentos e softwares necessários para implementar uma instalação ou sistema.

Integrated Logistic
veja Logística Integrada

Integrated Supply
veja Abastecimento Integrado

Inteligent Transportation
veja Transporte Inteligente

Intercâmbio de Dado Logístico (Logistic Data Interchange -LDI)
Sistema informatizado que transmite informações logísticas eletronicamente.

Intercâmbio de Dado Logístico (Logistic Data Interchange -LDI)
Sistema informatizado que transmite informações logísticas eletronicamente.

Intercâmbio Eletrônico de Dado (Eletronic Data Interchange – EDI)
O Intercâmbio Eletrônico de Dados é a troca de documentos padronizados entre parceiros de uma cadeia de abastecimento ou entre unidade fisicamente separadas de uma mesma empresa. Associado ao uso do código de barras, às leitoras óticas e a sistemas de informação, constitui a base sobre a qual são implementadas as ferramentas que viabilizam a ECR.

Intermediate Stock
veja Estoque Intermediário

Intermediated Warehouse
veja Armazém Intermediário

Intermittent Manufacturing
Veja Fabricação Intermitente

Intermodal (Intermodal)
Sistema integral de transporte de mercadorias agrupadas em unidades de carga que utiliza mais de um meio de transporte (marítimo, ferroviário, rodoviário ou aéreo) entre o ponto de origem e o ponto de destino.

Intermodal Transport
Veja Transporte Intermodal

Intermodalidade (Intermodality)
Sistema pelo qual as mercadorias são transportadas por dois ou mais modos, por diferentes transportadores, que são responsáveis, cada qual, pelo seu trecho de transporte.

Internal Failure Cost
Veja Custo Interno de falha

International Freight Forwarder
Veja Expedidor de Frete Internacional

Interplant Demand
Veja Demanda Interfábricas

Interplant Transfer
Veja Transferência Interfábricas

Intervalo de Pedido Econômico (Economic Order Interval)
Sistema de intervalofixo entre pedidos que minimizará o custo total de estoques a partir de determinadas circunstâncias. É obtido através de análise do custo de fazer o pedido e custo de manter o estoque.

Intervalo de ressuprimento
tempo entre duas compras emitidas

Intranet
Iuma implementação interna e privada da internet usando tecnologias de informação para compartilhar dados e conhecimento dentro de uma organização.

Intransit Stock
Veja Estoque em Trânsito

Intrinsic Forecasting
Veja Previsão Intrínseca

Inventário (Inventory)
Estoques ou itens que dão suporte à produção (matéria-prima e itens de material em processo), atividades de apoio (manutenção e reparo) e atendimento ao cliente (produtos acabados e sobressalentes).

Inventário de Habilidade (Skill Inventory)
Arquivo organziado de informações sobre as habilidades de cada funcionário, capacidades, conhecimento e experiência, geralmente mantido pelo departamento pessoal.

Inventário Focado (Spot Inventory)
Método de contagem física de estoque no qual somente um grupo específico de itens é envolvido.

Inventário Periódico (Periodic Inventory)
Inventário Físico realizado em intervalos fixos, por exemplo, mensal, trimestral ou anual. Sistema de classificação do ocntrole de estoques para itens de demanda independentes, onde o número de itens é revisado em um intervalo fixo de tempo e o tamanho de cada pedido depende do estoque disponível nomomento da revisão.

Inventário Perpétuo (Perpetual Inventory)
Sistema de registro de estoques em que cada transação é registrada e efetua-se o cálculo do novo saldo.

Inventário Racional (Rational Inventory)
A estrutura modal facilita o trabalho de realização adequada dos inventários, m virtude da introdução da filosofia da pré-contagem, sendo esta uma peça chave no bom relacionamento entre a programação, produção e sistemas de informações industriais devido à aderência entre as existencias físicas e os registros do sistema de informação.

Inventário Rotativo (Cyclical Inventory)
Técnica para auditoria da acuracidade de estoque na qual efetuam-se contagens cíclicas ao invés de uma vez por ano. Realização contínua da contagem física dos estoques ao invés de contagens periódicas, distribuída por parcelas semanais ou diárias. Uma contagem cíclica de estoques pode ser feita quando o saldo de estoque é zerado ou quando o material solicitado é recebido ou consumido. Efetua-se contagem cíclica regularmente, e em geral, com maior frequência para itens de valor elevado e rápida movimentação e com menor frequência para itens de baixo valor e lenta movimentação.

Inventoried Cost Per Unit
Veja Custo por Unidade Estocada

Inventory Control
Veja Controle de Estoque

Inventory Cost
Veja Custo do Estoque

Inventory Management
Veja Gerenciamento do Estoque

Inventory Modeling
Veja Modelagem de Estoque

Inventory Policy
Veja Política de Estoque

Inventory Projected On Hand
Veja Estoque Projetado Disponível

Inventory Record
Veja Registro de Estoque

Inventory Shrinkage
Veja Perda de Estoque

Inventory Turn
Veja Giro de Estoque

Inventory Valuation
Veja Valorização do Estoque

Inventory Velocity
Veja Velocidade do Estoque

Inventory WriteOff
Veja Depreciação de Estoque

Investimento em Estoque (Stock Investment)
Quantia em dinheiro imobilizado em todos os níveis de estoque. Também denominado capital de giro em estoques.

Invoice
Veja Fatura

Iso Container
Veja Contêiner Isso

ISO – International Standard Organization
Organização responsável pelos padrões mundiais de documentação, embalagem, rótulos e etiquetagem.

IT – Information Tecnology
Veja Tecnologia da Informação

Item Composto (Parent Item)
Produto de uma lista de peças que é composto por todos os itens constantes nos sub-componentes.

Item de consumo
item que tem um histórico de consumo.

Item de Movimentação Lenta (Slow Moving Item)
Itens em estoque que apresentam baixa rotatividade, ou seja, itens em estoque com um índice relativamente baixo de uso se comparado à quantia normal de estoque mantido.

Item de venda
item que tem um histórico de venda.

Item Equivalente de Suprimento (Supply equivalent Item)
Items de suprimento procedentes de diferentes fontes de venda e/ou fabricação, possuidores dos mesmos dados descritivos e características de operação.

Item Permutável de Suprimento (Supply Exchangeable Item)
Itens de suprimentos diferentes em parte, em suas características físicas, mas que, sem prejuízos de ordem operacional, podem ser utilizados para a mesma aplicação.

Item reparável (Repairable Item)
Um item que não é normalmente consumido mas que será reparado e reutilizado como componente de uma peça normal em estoque. Alguns itens têm um tempo de reparação semelhante ao tempo de suprimento.

ITU – Intermodal Transport Unit
Veja Unidade de Transporte Intermodal

J

JIT – Just In Time
Filosofia de manufatura baseada na eliminação de toda e qualquer perda e na melhoria contínua da pr5odutividade. Envolve a execução com sucesso de todas as atividades de manufatura necessárias para gerar um produto final, desde a engenharia do projeto à entrega, incluindo todas as etapas de conversão de matéria-prima em diante. Os elementos principais do just-in-time são: ter somente o estoque necessário, quando necessário; melhorar a qualidade tendendo a zero defeitos; reduzir lead times diminuindo os tempos de setup, filas e tamanhos de lote; revisar gradualmente as operações e realizar tudo isto a um custo mínimo. De forma ampla, aplica-se a todas as formas de manufatura, seções de trabalho e processos, bem como atividades repetitivas e por projetos.

Job Shop
Forma funcional de organização da manufatura, cujos centros de trabalho são organizados por tipos de equipamentos.

Job Shop Manufacturing
Prática de fabricação que produz um lote de itens não repetitivos, produtos sob encomenda. O termo é aplicado erroneamente à produção de lote de itens repetitivos em centros de trabalhos funcionais, denominados apropriadamente de produção intermitente.

Joint venture
Associação de empresas, não definitiva, para explorar determinado negócio, sem que nenhuma delas perca sua personalidade jurídica.

K

Kaizen
Palavra japonesa que significa processo de melhorias contínuas, com bom senso e baixos investimentos.

Kanban
É uma palavra japonesa para registro visível ou controle por cartão. O princípio desse sistema é baseado no fato de que materiais são movidos em recipientes (contenedores) com seus movimentos controlados por Kanbans (cartões) que são postos nos recipientes de forma visível. Em geral, os kanbans são cartões de plásticos que contêm uma descrição do material contido no recipiente, a quantidade, a origem e o destino dos movimentos e qualquer outra informação relevante. Trata-se de um sistema de “puxar” no qual os centors de trabalho sinalizam com um cartão.

Key Measurement
Veja Medição Chave

Kiss
Acrônimo para a máxima “Keep It Simple and Straight” que recomenda algo como “mantenha o que faz de forma simples e objetiva”.

Kit
Veja Conjunto

Kitting
Montagem simples das peças e dos componentes de modo a satisfazer uma demanda, geralmente para mercado de reposição. Tal atividade é frequentemente desempenhada no armazém.

KLT (Klein Lagerung Und Transport)
Acondicionamento e transporte de pequenos componentes em caixas plásticas modulares.

Knock Down
Veja Desmontagem para Expedição

Knowledge Management
Veja Gerenciamento do Conhecimento

L

L/C ou Letter of Credit (Carta de Crédito)
Ordem de pagamento que o importador contrata junto ao banco, a favor do exportador.

Labeling
Veja Etiquetagem

Lacre (Seal)
Dispositivo usado para contêineres e caminhões para provar que eles mantiveram-se fechados durante o transporte.

Lading ou Loading
Carregamento de cargas ou embarque de cargas.

LAN – Local Area Network
Veja Rede de Área Local

Landbridge
Veja Ponte Terrestre

Landing
Desembarque de cargas ou pessoas.

Lash – Lighter Aboard Ship
Veja Último a Entrar, Primeiro a Sair. Embarcações que transportam barcaças. Embarcações equipadas com guindastes capazes de elevar as barcaças e estivá-las em posições transversais ao navio.

Lashing
Amarração ou fixação de cargas no porão ou convés do navio ou numa aeronave, a fim de evitar o deslocamento da mesma durante a viagem.

Lastro (1)
no transporte marítimo, que significa água que é posta em compartimentos nos porões para dar pêso e equilíbrio ao navio, quando está sem carga.

Lastro (2)
no transporte ferroviário significa camada de substâncias permeáveis como areia, saibro ou pedra britada, posta no leito das estradas de ferro e sobre a qual repousam os dormentes e trilhos.

Late Due Date
Veja Data Mais Tarde

Late Finish
Veja Última Data de Término

Late Finish Date
Veja Data Mais Tarde de Término

Late Start Date
Veja Data de Início Mais Tarde

Layday ou Laytime
estadia do navio no porto, que significa período previsto para acontecer a operação (atracar, carregar/descarregar e zarpar).

Layout
Veja Arranjo Físico

Layout de Blocos (Block Layout)
No planejamento de instalações, um plano de desenvolvimento que começa com blocos designados para cada função ou área entre as unidades de processamento.

Layout Funcional (Functional Layout)
Configurações de instalações nas quais as operações de natureza similares são agrupadas. Estrutura organziacional baseada na especialidade departamental (ex: serras, tornos, tratamentos térmicos e prensas).

LAZ – Logistic Activity Zone
Veja Zona de Atividade Logística

LCL – Less than Carload
Veja Carga Inferior a um vagão

LCL – Less than Conteiner Load
Veja carga Incomplta de um contêiner

LDI – Logistic Data Interchange
Veja Intercâmbio de Dado Logístico

Lead Time
Tempo compreendido entre a primeira atividade até a última de um processo de várias atividades.

Lead Time de Aquisição (Procurement Lead Time)
Tempo necessário para projetar um produto, modificar ou determinar equipamento, efetuar pesquisa de mercado e obter todos os materiais necessários. O lead time começa quando identificou-se a necessidade de determinado material e termina quando o material está liberado para uso pela produção.

Leader Logistic
Veja Líder Logístico

LeadTime de Carregamento (Loading LeadTime)
Período de tempo entre o momento em que a instrução de entrega pode ser executada e a data da nota fiscal ou data real de expedição dos produtos.

LeadTime de Compra (Purchasing LeadTime)
O tempo entre a decisão da compra de um item e sua real liberação pelo controle de qualidade para inclusão ao estoque, ou entrega à produção.

LeadTime de Expedição (Shipping Lead Time)
O número de dias úteis necessários para os produtos percorrerem do ponto de recebimento ao ponto de expedição, mais tempo de aceitação, expresso em dias, no ponto de recebimento.

LeadTime de Fabricação (Manufacturing Lead Time)
Tempo total necessário para fabricar um item, excluindo o tempo de compra dos itens. Estão incluídos os tempos de fabricação, preparação das máquinas, execução, movimentos, inspeção e estocagem ou processo.

LeadTime de Pedido (Order LeadTime)
O tempo de processamento interno necessário para transformar uma necessidade em um pedido e para a transmissão deste pedido ao fornecedor.

LeadTime During Demand
Veja Demanda durante o lead time

LeadTime Total (Total Lead Time)
É o tempo para que um serviço seja totalmente executado, desde sua solicitação até sua entrega.

Lean Manufacturing
Produção Enxuta ou manufatura enxuta.

Lean Production
Veja Manufatura Enxuta

Lean Production
Veja Produção Enxuta

Least Sqaure Method
Veja Método dos Mínimos Quadrados

Leg
Veja Perna

Lei de Murphy (Murphy’s Law)
Um termo coloquial para flutuação estatística ou o que pode sair errado, sairá errado.

Leilão Reverso (Reverse Auction)
Sistema de leilão em que o comprador anuncia o que pretende comprar e convida os fornecedores a apresentarem suas propostas para aquele tipo de produto. Vence quem tiver melhores condições de preço e prazo, colocadas sob sigilo.

Leitura Omnidirecional
Tecnologia que possibilita a leitura do código de barras em qualquer posição, mesmo os de difícil leitura.

LER – Lesões por esforço repetitivo
Lesões ocorridas por falta de um ambiente ou posto de trabalho adaptado às características antropométricas.

LES – Logistic Execution System
Veja sistema de execução logística

Less Time Processing
Veja Menor Tempo de Processamento

Lessor
Veja Arrendador

Letter of Credit
Veja Carta de Crédito

Level Plant Loading
Veja Carregamento Nivelado da Fábrica

Leveled Capacity Plan
Veja Plano de Capacidade Nivelada

LGV – Laser Guided Vehicle
Veja Veículo a Laser Guiado

Liberação (Dispatching)
Alocação detalhada e subsequente controle dos recursos de produção para pedidos de produção individuais necessários à conclusão dos pedidos, de acordo com o programa de produção.

Liberado para receber (Open to Receive)
Autorização para receber produtos, como pedido de compra em aberto ou programa de fornecedor. Representa impacto a curto prazo no estoque e frequentemente é monitorado como uma técnica de controle na gestão de estoques.

Liberado sem Inspeção (Cleared Without Examination – CWE)
Liberado pela alfândega sem ser inspecionado.

Lição de um ponto (One Point Lesson – OPL)
Lição de um ponto utilizada para capacitação de pessoas através da apresentação de apenas um tema por vez em curto perído de tempo (dois a cinco minutos).

Líder Logístico (Leader Logistic)
Empresa capaz de prover ou assumir total responsabilidade por todas as funções da cadeia logística.

Life Cycle Analysis
Veja Análise do Ciclo de Vida

Life Cycle Cost
Veja Custo do Ciclo de Vida

LIFO – Last In First Out
Veja Último a Entrar Primeiro a Sair – UEPS

Lifting Index
Veja Índice de elevação

Ligação Abastecimento Demanda (Supply demand linkage)
A conexão de uma cadeia de demanda com uma cadeia de abastecimento, sendo o reabastecimento a resposta ao verdadeiro consumo puxado.

Limit – Lot Size Inventory Management Interpolation Technique
Veja técnica de interpolação para gerenciamento do tamanho do lote

Limite de Carga (Load Limit)
Máxima carga permitida para um veículo na estrada, ponte ou aeroporto.

Limite de Sinalização (Signalling Limit)
Níveis pré-determinados relacionados a uma variável específica que funciona como um sinal onde o valor da variável relevante excede ou não atinge estes níveis. O planejamento pode ser ajustado com base neste sinal.

Limpa-trilhos ou Saca-boi ou Grelha
Peça que fica à frente e na parte inferior das locomotivas para retirar da via os animais colhidos por elas e evitar descarrilamento.

Line Balancing
Veja Balanceamento de Linha

Line Fill Rate
Veja Índice de Atendimento por Linha

Line Side Storage
Veja Estocagem ao Lado da Linha

Linear in Free out
Veja Despesas de Embarque pelo armador e desembarque pelo importador

Liner Terms
Termo no contrato de transporte marítimo, onde no frete já está incluso todas as despesas de carregamento, estiva e descarga, ficando assim na responsabilidade do armador.

Link
Veja Conexão

Lista de Coleta (Pick Up Sheet)
Documento utilizado para separação de itens em um almoxarifado. Em geral, esta lista corresponde ao BOM.

Lista de Embalagem (Packing List)
Documento que informa detalhadamente os itens contidos em determinada embalagem, caixa, palete ou contêiner para expedição ao cliente. Detalhes incluem uma descrição de itens, código do cliente, quantidade expedida e SKU de itens expedidos.

Lista de Liberação (Dispatch List)
Veja Lista de Prioridade

Lista de Material Aberta (Flat Bill of Material)
Um gráfico da situação da produção para uma empresa que monta subitens em um produto acabado, em um único passo sem ter que realizar submontagens antes da montagem final.

Lista de Material de Múltiplo Nível (Multilevel Bill of Material)
Lista de materiais que mostra todos os componentes direta ou indiretamente, usados em uma montagem juntamente com a quantidade necessária de cada componente.

Lista de Material de Nível Único (Single level Bill of Material)
Apresentação dos componentes que estão diretamente usados em itens compostos. Mostra somente as relações um nível abaixo.

Lista de material fictícia (Phantom Bill of Material)
Técnica de codificação e estruturação das listas de materiais utilizadas principalmente para submontagens transitórias (não estocados). Para o artigo transitório, fixa-se um prazo, assim como a sua respectiva quantidade, segundo a técnica “lote por lote”, possibilitando que o MRP processe as reais necessidades através do artigo fictício, faça seus componentes, retendo sua capacidade de determinar as necessidades líquidas frente a existências ocasionais do artigo. Esta técnica tambem facilita o suo de lista de materiais comuns para a engenharia e fabricação.

Lista de material modular (Modular Bill of Material)
Lista de planejamento organizada por opções ou módulos de produtos. Geralmente usada em empresas em que o produto apresenta muitos opcionais, como por exemplo nas montadoras automobilísticas.

Lista de Material Regeneradora (Breeder Bill of Material)
Lista de materiais que reconhece e planeja a disponibilidade e uso de subprodutos no processo de manufatura. A lista regeneradora permite o MRP completo e o custeio da produtos e subprodutos.

Lista de pedido a prazo fixo (Call Off List)
Relação dos pedidos a prazo fixo.

Lista de Prioridade (Priority List)
Lista das ordens de fabricação em sequência de prioridades. A lista de prioridades geralmente é comunicada ao chão-da-fábrica via pedido por escrito ou painel, e contém informações detalhadas sobre prioridades, localização, ordem de manufatura por operação. As listas de prioridade geralmente são geradas diariamente e dispostas por centro de trabalho.

Lista de separação (Picking List)
Documento que lista os itens a serem separados para atender às ordens de fabricação ou expedição.

Lista de Trabalho (Bill of Labour – BOL)
Lista da capacidade e recursos necessários à fabricação de uma unidade de determinado item ou família de itens. Frequentemente usado para prever o impacto de um item na programação geral e utilização de recursos chave. O planejamento aproximado da capacidade usa estes dados para calcular as necessidades aproximadas de capacidade do programa mestre de produção e/ou plano de produção.

Livre de Extravio (Free Astray – FA)
Termo de expedição que se aplica quando o consignatário assume responsabilidade pela entrega da expedição ao ponto de consumo.

Livre sobre o veículo (Free on Truck – FOT)
É um incoterm no qual o vendedor é responsável pelos custos até o carregamento do caminhão (em geral refere-se a uma plataforma).

LLP
Leading Logistics Provider ou Principal Fornecedor de Serviços Logísticos.

Lo/Lo – Lift On Lift Off Vessel
Veja Embarcação de Carregamento Vertical

Load
Veja Carga

Load Backrest Extension
Veja Extensão para Encosto de Carga

Load Factor
Veja Fator de Carga

Load Limit
Veja Limite de Carga

Load Planning
Veja Planejamento de Carga

Load Profile
Veja Perfil de Carga

Load Sortation Center
Veja Centro de Separação de Cargas

Load Trimming
Veja Estabilização de Cargas

Loading Area
Veja Área de Carregamento

Loading LeadTime
Veja Lead Time de Carregamento

Loading System
Veja Sistema de Carregamento

Locação Dinâmica
Veja estocagem em local aleatório

Locação Fixa
Veja estocagem em local fixo

Locação Semi dinâmica
Método de localização de materiais em um armazém que consiste na combinação do método de locação dinâmica e locação fixa.

Localização
Palavra utilizada em Administração de Materiais, que significa o local exato em que o material está estocado. É composto normalmente por código alfa-numérico, que indica a sigla do depósito / galpão, corredor, coluna da estante e número da prateleira.

Localização em Estoque (Stock Location)
Sistema em que todos os locais em um armazém são codificados para facilitar a estocagem e a recuperação de estoque.

Localização logística
É a forma de identificar geograficamente armazéns, depósitos, filiais, veículos, clientes, etc. As formas mais comuns são por coordenadas de latitude-longitude, códigos postais (CEP no Brasil) e coordenadas lineares simples ou malha, que nada mais são do que se colocar um papel vegetal quadriculado sobreposto a um mapa, com numeração das linhas horizontais e verticais.

Location Checking
Veja Verificação de Locação

Logistic
Veja Logística

Logistic Capability
Veja Capacidade Logística

Logistic Center
Veja Centro Logístico

Logistic Channel
Veja Canal Logístico

Logistic Communication
Veja Comunicação Logística

Logistic Management
Veja Gerenciamento da Logística

Logistic Support Analysis
Veja análise de suporte logístico

Logistic System
Veja Sistema Logístico

Logística (1)
É o sistema de administrar qualquer tipo de negócio de forma integrada e estratégica, planejando e coordenando todas as atividades, otimizando todos os recursos disponíveis, visando o ganho global no processo no sentido operacional e financeiro. (definição de Marcos Valle Verlangieri, diretor do Guia Log).

Logística (2)
É o processo de planejar, implementar e controlar eficientemente, ao custo correto, o fluxo e armazenagem de matérias-primas e estoque durante a produção e produtos acabados, e as informações relativas a estas atividades, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, visando atender aos requisitos do cliente. (definição do Council of Logistics Management).

Logística (3)
Entre os gregos, arte de calcular ou aritmética aplicada. Parte da arte militar relativa ao transporte e suprimento das tropas em operações. Lógica simbólica, cujos princípios são os da lógica formal, e que emprega métodos e símbolos algébricos. (definições do Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa Caldas Aulete).

Logística (4)
do francês Logistique, Parte da arte da guerra que trata do Planejamento e da realização de projeto e desenvolvimento, obtenção, armazenamento, transporte, distribuição, reparação, manutenção e evacuação de material ( para fins operativos e administrativos ); Recrutamento, incorporação, instrução e adestramento, designação, transporte, bem estar, evacuação, hospitalização e desligamento de pessoal; Aquisição ou construção, reparação, manutenção e operação de instalações e acessórios destinados a ajudar o desempenho de qualquer função militar; Contrato ou prestação de serviços.(in, Ferreira, Aurélio Buarque de Hollanda, Novo Dicionário da Língua Portuguesa, 2ª edição, Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1986, p. 1045).

Logística (5)
O transporte; armazenamento e abastecimento de tropas; organização de qualquer projeto; operação (definições do American English Dictionary Collins Gem Webster’s).

Logística Contratada (Contract Logistic)
É a contratação de terceiros a fim de que eles planejem, implementem e controlem a eficiência, o custo do fluxo e a armazenagem da matéria-prima, estoque em processo, produtos acabados, além das informações relacionadas desde o ponto de origem até o ponto final, ou de qualquer outra parte que venha a informação.

Logística da Produção (Manufacturing Logistic)
Atividade que administra a movimentação para abastecer os postos de conformação e montagem, segundo ordens e cronogramas estabelecidos pela programação da produção. Desova das peças conformadas como semi-acabadas e componentes, e estocagem nos almoxarifados de semi-acabados. Deslocamento dos produtos acabados no final das linhas de montagem, para os armazéns de produtos acabados.

Logistica de Abastecimento (Inbound Logistic)
Parte da logistica empresarial que corresponde ao conjunto de operações associadas ao fluxo de materiais e informações, desde a fonte de matérias-primas até a entrada da fábrica. Atividade que administra o transporte de materiais dos fornecedores para a empresa, descarregamento no recebimento e estocagem das matérias-primas e componentes. Estruturação de abastecimento, embalagem de materiais, retorno das embalagens e decisões sobre acordos no sistema de abastecimento da empresa.

Logistica de Distribuição (Distribution Logistic)
Administração do centro de distribuição, localização de unidades de movimentação nos seus endereços, abastecimento da área de separação de pedidos, controle de expedição, transporte de cargas entre fábricas e centros de distribuição e coordenação dos roteiros de transporte.

Logística de Quarta Parte (Fourth party logistic)
Uma empresa terceira que opera tipicamente os serviços de armazenagem e transporte para um cliente e fornece o gerenciamento e análises dos processos destas funções.

Logística de Quinta Parte (Fifth Party Logistic)
Uma forma de terceirização dos serviços logísticos que inclui o gerenciamento das operações, bem como análises e consultoria de como a empresa cliente pode proceder mudanças para melhoria de sua competitividade.

Logística de Terceira Parte (Third Party Logistic)
Empresa que administra toda ou parte das operações logísticas de outra empresa.

Logística Empresarial
Trata-se de todas as atividades de movimentação e armazenagem, que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como dos fluxos de informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável. (definição de Ronald H. Ballou no seu livro “Logística Empresarial”).

Logistica Integrada (Integrated Logistic)
É um amplo sistema de visão gerencial da cadeia de abastecimento, desde o fornecimento de matérias-primas e insumos até a distribuição do produto acabado ao cliente final (consumidor). Pode ainda considerar o retorno dos resíduos oriundos do produto tais como embalagens e o produto propriamente dito para reciclagem.

Logística nos Negócios (Business Logistic)
Proceso de planejamento, implementação e controle da eficiência, fluxo efetivo e armazenagem de produtos acabados, serviços e informações desde o ponto de origem até o ponto de consumo com o propósito de atender às necessidades dos clientes. Note que estas definições incluem suprimentos, produção e distribuição.

Logística Reversa ou Inversa (Reverse Logistics)
No mercado é considerada como o caminho que a embalagem toma após a entrega dos materiais, no sentido da reciclagem das mesmas. Nunca voltando para a origem. Muitos profissionais também utilizam esta expressão para considerar o caminho inverso feito para a entrega, voltando para a origem, só que agora somente com as embalagens. Neste caso, tratam-se de embalagens reutilizáveis ou retornáveis, que são mais caras e específicas / próprias para acondicionar determinados materiais. Ocorre muito no setor automotivo para o transporte, por exemplo de pára-choques, painéis, etc.

Loss and Damage Claim
Veja Reclamação de Perdas e Danos

Lot For Lot
Veja Lote por Lote

Lot Purchasing
Veja Compra por Lote Fixo

Lot Size
Veja Tamanho do Lote

Lote (Batch)
Quantidade definida de um produto ou componente que é tratada e identificada como uma entidade no que diz respeito a certas operações, por exemplo, movimentação, processamento, aquisição, produção e transporte.

Lote de Transferência (Transfer Batch)
Quantidade de um item movido entre centros de trabalho sequenciais durante a produção. A quantidade de unidades que são movimentadas de uma só vez de um recurso para o próximo.

Lote Dinâmico (Part Period Balancing – PPB)
Técnica dinâmica para dimensionamento de lote que usa a mesma lógica que o método de custo total mínimo, mas que acrescenta uma rotina chamada “look ahead / look back”. Quando se utiliza o “look ahead / look back”, calcula-se uma quantidade de lote e, antes de ser fixada, a demanda seguinte ou as demandas dos períodos anteriores são avaliadas para determinar se seria economicamente viável incluí-las no lote atual.

Lote econômico (Economic Order Quantity – EOQ)
Considerando que para avaliar o gasto total de compra de determinado produto ou grupo de produtos é necessário verificar o custo de aquisição, custo de transporte, e custo de manutenção de estoque, e que quanto maior a quantidade adquirida menor o preço do produto e do transporte e maior o custo de manutenção do estoque, consiste em verificar através de arranjos de simulação, qual é o lote de compra que tem o menor custo total.

Lote fracionado (Split Lot)
Quantidade de ordem de manufatura fracionada em duas ou mais quantidades menores, geralmente depois do pedido ter sido liberado. As quantidade de um lote fracionado podem ser administradas para lelamente, ou uma parte da quantidade original pode ser enviada com antecedência para uma operação subsequente enquanto é concluído o trabalho na quantidade restante. O bojetivo de se dividir um lote é reduzir o leadtime de parte do pedido.

Lote Piloto (Pilot Lot)
Pedido preliminar relativamente pequeno de um produto. O propósito deste pequeno lote é correlacionar o projeto de produto com o desenvolvimento de um processo de fabricação eficiente.

Lote por Lote (Lot for Lot)
Técnica de dimensionamento de lote que gera pedidos planejados em quantidades iguais para as necessidades individuais em cada ´período.

LTL – Less than Truck Load
Veja Carga inferior a um caminhão

Lucratividade direta do produto (Direct Product Profitability)
Um método contábil utilizado para determinar a contribuição de cada SKU para o lucro global por meio do refinamento das margens brutas dentro de uma rede de contribuições. Os custos diretos relacionados a estes SKUs são incorporados.

Lucro Operacional através da Administração de Tempo e Estoque (Operational – Profit Through Time and
Método de representação gráfica para visualização dos leadtimes, estrutura de custo e estoques em vários pontos da cadeia de suprimentos.

Lumper
Veja Chapa

Lumpy Demand
Veja Demanda Irregular

M

M/V
Motor Vessel. Trata-se de um navio movido a motor de combustão interna (combustível diesel).

Machine Load
Veja Carga Máquina

Magnetic Strip
Veja Fita Magnética

Maintenance
Veja Manutenção

Make or Buy (Fazer ou Comprar)
Processo de decisão da empresa em produzir um determinado item ou adquiri-lo de um fornecedor externo.

Make to order
Fabricação conforme pedido.

Make to stock
Veja Fabricar para Estoque.

MAM
Veja Movimentação e Armazenagem de Materiais

Manifest ou Manifesto
Documento com a relação de todos os conhecimentos de embarque, mencionando os principais detalhes das cargas embarcadas.

Manifesto de Carga (Cargo Manifest)
Lista contendo todos os itens de carga expedidos em determinado vôo, embarcação ou veículo. Um manifesto geralmente engloba toda a carga e independe do fato desta ser entregue em um único ou vários destinos. Os manifestos geralmente listam a quantidade de peças, peso, nome e endereço do destinatário.

Manufacturing Cycle
Veja Ciclo de Fabricação

Manufacturing Leadtime
Veja Lead Time de Fabricação

Manufacturing Logistic
Veja Logística da Produção

Manufacturing Strategy
Veja Estratégia de Manufatura

Manufatura Ágil (Agile Manufacturing)
Um passo além da manufatura enxuta, baseada nos princípios de entrega de valor ao cliente, sendo comprometido com a mudança, valorização do ser humano e formação de parcerias viirtuais.

Manufatura auxiliada por computador (Computer Aided Manufacturing – CAM)
Automação das técnicas de sistema de manufatura, incluindo contorle numérico, controle de processo, robótica e planejamento dos recursos da manufatura.

Manufatura Celular (Cellular Manufacturing)
Processo de fabricação de famílias de peças dentro de um arranjo de máquinas, operadas por pessoas multifuncionais.

Manufatura discreta (Discrete Manufacturing)
Produção de artigos diferenciados, como por exemplo, automóveis e computadores.

Manufatura integrada por computador (Comuter Integrated Manufacturing – CIM)
Sistemas computacionais de integração das operações de fabricação. Inclui soluções de CAD / CAE / CAM.

Manuseio (Handling)
É todo e qualquer movimento do material com as mãos. Trata-se de uma atividade cujo deslocamento do material ocorre em curtas distâncias (menor que um metro). Este manuseio pode ser efetuado empregando-se alguns dispositivos mecânicos, mas não existe o tal “manuseio mecânico”, exceto se executado por robôs de transferência.

Manutenção (Maintenance)
Combinação de todas as ações técnicas, econômicas e administrativas visando manter ou alterar a condição de um item para que possa desempenhar a função necessária.

Manutenção Corretiva
Termo utilizado em Produção, que siginifica o conjunto de medidas operacionais técnicas de vistoria, visando reparar efetivos problemas dos componentes das máquinas e equipamentos, que comprometam a performance e desempenho dos mesmos, para que possam executar sua função normal.

Manutenção Preditiva
Termo utilizado em Produção, que siginifica o conjunto de medidas operacionais técnicas de vistoria, que indica as condições reais de funcionamento das máquinas com base em dados que informam o seu desgaste ou processo de degradação. Trata-se da manutenção que prediz o tempo de vida útil dos componentes das máquinas e equipamentos e as condições para que esse tempo de vida seja melhor aproveitado.

Manutenção Preventiva
Termo utilizado em Produção, que significa o conjunto de medidas operacionais técnicas de vistoria, visando evitar possíveis problemas dos componentes das máquinas e equipamentos, que comprometam a performance e desempenho dos mesmos, para que possam executar sua função normal.

Manutenção, Reparo e Operação (Maintenance, Repair and Operation – MRO)
Uma categoria de materiais com perfil de demanda especiais. MRO frequentemente demanda de um proejto especial da cadeia de abastecimento e pode ser um importante fator de sucesso na gestão de estoques.

MAP – Manufacturing Automation Protocol
Veja Protocolo de Automação da Manufatura

Mapeamento de Processo (Process Mapping)
Conjunto de atividades sistematizadas com objetivo de atribuir responsabilidades; identificar atividades fragmentadas por diversos departamentos ou áreas, as quais devem ser reagrupadas; determinar atividades repetitivas sem valor agregado ou que não possuem cliente, as quais devem ser eliminadas; identificar desperdícios, gargalos, burocracia, perda de tempo, duplicações ou repetições que devem ser eliminadas; identificar tarefas que, mesmo acrescentando valor, podem ser simplificadas; e descobrir atividades auxiliares que não fazem parte da missão da empresa e que podem ser terceirizadas com vantagens operacionais de qualidade e custo. (PRAZERES, 1996).

Marca de Calado (Plimsoll Mark)
Uma marca, soldada de ambos os lados da embarcação, que dá o limite até o qual pode ser carregado, dependendo do peso específico da água em que a embarcação se situa.

Marco (Milestone)
Marco ou ponto de controle (finais ou intermediários) em um cronograma para contorle de projetos.

Margem Bruta (Gross Margin)
É a diferença entre receita de um pedido pelo valor de venda dos itens e o custo da respectiva mercadoria vendida.

Margem de Contribuição (Contribution Margin)
É igual ao valor das Vendas menos o valor dos Custos Variáveis e das Despesas Variáveis.

Marginal Cost
Veja Custo Marginal

Market Segmentation
Veja Segmentação de Mercado

Market Share
Veja Participação de Mercado.

Marketing de Relacionamento
É um conjunto de estratégias que visam o entendimento e a gestão do relacionamento entre uma empresa e seus clientes, atuais e potenciais, com o objetivo de aumentar a percepção de valor da marca e a rentabilidade da empresa ao longo do tempo

Marketing Um a Um (Marketing One to One)
É fazer a empresa voltar-se para o cliente individual, conhecendo-o mais e de forma contínua. Por meio de interações com esse cliente, a empresa pode aprender como ele deseja ser tratado. Assim, a empresa torna-se capaz de tratar esse cliente de maneira diferente dos outros. No entanto, marketing one-to-one não significa que cada necessidade do cliente deva ser tratada de maneira exclusiv. Em vez disso, significa que cada cliente tem uma colaboração direta na maneira como a empresa se comporta com relação a ele.

Marketplace
Sites em que compradores e fornecedores se comunicam, trocam informações, fazem transações, efetivam concorrências e leilões, coordenam informações estratégicas (como estoques) e administram pedidos. Business to business (B2B): realização de negócios entre as empresas pela internet. Business to Consumer (B2C): realização de negócios pela Internet entre a empresa e o consumidor.

Mass Customization
Veja Customização em Massa

Mass Production
Veja Fabricação em Massa

Master Plan
Veja Plano Diretor

Master Planning
Veja Planejamento Mestre

Matéria-Prima (Raw Material)
Termo que denomina matérias-primas.

Materiais de Ressuprimento Automático
são aqueles que possuem recomendação de estoque, possuindo ponto de ressuprimento e lote econômico definidos.

Materiais Diretos
são usados diretamente na fabricação de um produto, como os insumos e matérias-primas, geralmente possuem alto valor agregado, mas geram poucos processos de compra.

Materiais Indiretos
também conhecidos como MRO (Manutenção, Reparo e Operações), são usados para apoiar a produção, a exemplo de peças de reposição, artigos de escritório e material de limpeza. Estes itens, em grande parte, possuem baixo valor unitário, porém são muito diversos e geram uma enorme quantidade de processos de compra.

Material
Designação genérica para quaisquer itens usados direta ou indiretamente para produzir um produt ou serviço.

Material Catalogation
Veja Catalogação de Material

Material em Consignação (Consigned Material)
Estoque de produtos com um cliente externo que ainda é propriedade do fornecedor. O pagamento por estes produtos só é feito quando eles são utilizados pelo cliente.

Material em Progresso (Work in Progress – WIP)
Itens de terceiros ou itens internos que estão sendo processados, mas que ainda não são um produto acabado. O termo ‘estoque’ diferencia o material em progresso do estoque de material em progresso. O último identifica o fato de que os materiais permanecem ociosos, como estoque, não sendo agregado nenhum valor.

Material Flow Analysis
Veja Análise do Fluxo de Material

Material Handling
Veja Movimentação de Material

Material Identification
Veja Identificação de Material

Material Inativo (Salvage Material)
Material não utlizado que possui certo valor no mercado e pode ser vendido.

Material Management
Veja Gerenciamento de Material

Material Perigoso (Hazardou Material – Hazmat)
Uma substância ou material capaz de oferecer risco à saúde, à segurança e à propriedade quando transportado.

Material Rejeitado (Rejected Material)
Material que não cumpre as exigências de qualidade mas que ainda não foi enviado para retrabalho, refugo ou devolvido a um fornecedor.

Maxambomba
Trole usado nos portos fluviais para o serviço de carga / descarga dos vapores; carruagem de estrada de ferro, com mais de um pavimento.

Maximum Demonstrated Capacity
Veja Capacidade Máxima Demonstrada

Maximum Order Quantity
Veja Quantidade Máxima por pedido

Maximum Stock
Veja Estoque Máximo

MBA
Máster Business Administration.

Média Móvel (Moving Average)
Média aritmética de um certo número (n) das observações mais recentes. À medida que se realizam novas observações, abandona-se as observações mais antigas. O valor de n (número de períodos utilizados para se fazer a medida) reflete a capacidade de resppota frente à estabilidade.

Medição Chave (Key Measurement)
Uma medição que monitora um processo para garantir a eficiência do processo e a eficácia da qualidade do seu resultado.

Medidas de desempenho
São instrumentos utilizados para avaliar a performance de qualquer atividade logística. Podem ser relatórios, auditorias, etc. Não se pode melhorar aquilo que não mensuramos.

Melhor da classe (Best of Breed)
Melhor empresa, produto, serviço, etc. em sua classe ou segmento.

Memory Card
Cartão destinado a armazenar informações como se fosse a memória do equipamento.

Menor tempo de processamento (Less Time of Processing)
Regra de prioridade para sequênciamento das ordens de produção na qual a tarefa seguinte a ser processada é aquela que tem a menor duração de processamento entre as tarefas à espera.

Mensagem de exceção (Action Message)
Mensagem derivada do ritmo do planejamento das necessidades de material (MRP).

Mercado Alvo (Target Market)
Segmento do mercado que uma empresa identificou ocmo contendo um grupo de clientes com necessidades similares aos quais as empresas desejam atender.

Mercadoria Pronta no chão (Floor Ready Merchandise)
Produto que jáestá pronto pelo fabricante para ser enviado a expedição. Produtos expedidos aos varejistas com etiquetas de preços, dispositivos de segurança necessários, etc.

Merge
Veja Fusão

Merge in Transit
Veja Consolidação em Trânsito

MÊS – Manufacturing Execution System
Sistemas integrados de contorle da produção, que permitem programar ordens de produção, coordenar atividades de suporte, gerenciar as execuções do chão-de-fábrica e comunicar a posição e os problemas com as ordens de produção.

Método de Brown (Brown Method)
Método de previsão de séries temporárias, baseado no arranjo excepcional utilizado quando existe uma tendência. Há um modelo para a tendência linear e outro para a quadrática.

Método de Delphi (Delphi Method)
Método sistemático e interativo de análise no qual, a partir das opiniões livres e independentes de um grupo de especialistas, tenta-se conseguir uma opinião condensada sobre os temas analisados. Técnica para previsão qualitativa em que as opiniões de experts são associadas em uma série de reiterações /repetições. Os resultados de cada reiteração são usados para desenvolver a seguinte, para haver convergência na opinião dos experts.

Método de Harrison (Harrison Method)
Método de previsão de séries temporárias, baseado no arranjo excepcional apropriado quando exsite uma componente fixa e outra aleatória de variação relativamente grande. O fator fixo é expressado em função de “harmônicos”, mediante séries de Fourier.

Método de média móvel (Moving Average Method)
Método de previsão de curtoprazo que calcula a média dos dados a partir de alguns períodos passados recentes para formar a previsão para o período seguinte.

Método de Transporte (Transportation Method)
Modelo linear de programação relacionado à minimização de custos relacionado às necessidades de abastecimento em várias localidades, de diversas fontes, com custos diferentes relacionados a varias combinações de fonte e localização.

Método de Weber (Weber Method)
Método gráfico para a localização de um único centro em uma rede de logística. Esta localização acontece quando a rede logística tem um só nó ou quando este se isola do resto e não acontece uma alteração da demanda.

Método do caminho crítico (Critical Path Method – CPM)
Técnica de planejamento em rede usada para planejar e controlar as atividades necessárias para execução de um projeto. Mostrando cada uma dessas atividades e o tempo associado, é possível determinar o “caminho crítico”, identificando os elementos que restringem o tempo total do projeto.

Método dos Mínimos Quadrados (Least Square Method)
Método de ajuste de curvas que seleciona a linha de menor ajuste aos pontos pelo cálculo da mínima soma dos quadrados dos desvios dos pontos à linha.

Método Simplex (Simplex Method)
Método de resolução da programação linear que fornece soluções otimizadas para problemas complexos que têm muitas variáveis e restrições.

Metric
Veja indicador

Mezanino (Mezzanine)
Uma plataforma apoiada por colunas usada para estocagem ou operação, construída em um plano superior, o qual permite o movimento de pessoas e equipamentos embaixo.

Middleware
Software de interface que permite interação de diferentes aplicações de softwares, geralmente sobre diferentes plataformas de hardware e infraestrutura, para troca de dados.

Milestone
Veja Marco

Milk Run
Veja Coleta Programada.

Min Max System
Veja sistema Min Max

Mini Load
Conceito de estocagem e separação em que o acesso aos materiais é feito automaticamente, conduzindo os contenedores de estocagem para um operador. O mini load (transelevador) pode ser totalmente automatizado utilizando-se um computador dedicado.

Minimum Order
Veja Pedido Mínimo

Minimum Order Clearance
Veja Altura Mínima

Minimum Stock
Veja Estoque Mínimo

MIS – Management Information System
Veja Sistema de Gerenciamento de Informação

Mix
Veja Variedade

Mixed Load
Veja Carga Misturada

ML
Milha Terrestre.

Mobile technology
Veja Tecnologia Móvel

Modais
são os tipos/meios de transporte existentes. São eles ferroviário (feito por ferrovias), rodoviário (feito por rodovias), hidroviário (feito pela água), dutoviário (feito pelos dutos) e aeroviário (feito de forma aérea).

Modal
Meio (modo) de transporte utilizado para deslocar fisicamente uma mercadoria

Modal Share
Veja Compartilhamento de Modais

Modelagem de Distribuição (Distribution Modeling)
Uso de técnicas quantitativas e abordagem de sistemas para análise e otimização da operação de distribuição física. É o uso de uma ferramenta computadorizada para determinar e comparar os custos totais dos diversos projetos logísticos de uma empresa.

Modelagem de Estoque (Inventory Modeling)
Avaliação de proejto alternativo de estoque ou parâmetros do mesmo, utilizando processos analíticos ou de simulação para apoiar o gerenciamento das decisões.

Modelo de Box Jenkins (Box Jenkins Model)
Abordagem de previsão baseada em modelos de regressão e média móvel. O modelo está baseado em observação histórica em intervalos variados de tempo do item a ser projetado e erros históricos nos valores previstos, não em regressões de variáveis independentes.

Modelo de reabastecimento Ótimo (Optimal Replenishment Model)
Processo matemático de determinação de qual quantidade pedir e quando, utilizando um ponto de pedido fixo ou intervalo de pedido fixo.

Modelo de Referência das operações na Cadeia de Abastecimento (Supply Chain Operations Reference Mod
Um modelo de atividades desenvolvido pelo Supply Chain Council (EUA) para padronizar a descrição dos processos na cadeia de abastecimento.

Modo (Mode)
Qualquer método de transporte incluindo rodoviário, ferroviário, aéreo, aquário e dutoviário.

Modular Bill of Material
Veja Lista de Material Modular

Modular Partnership
Veja Consórcio Modular

Módulo (Module)
Unidade separada ou distinta de hardware ou software que pode ser usada como um componente de sistema.

Money Cost
Veja Custo de Capital

Monitoramento de Frota (Fleet Monitoring)
Função de seguir a localização e condição dos vários veículos na frota.

Monotrole Aéreo Eletrificado (Electric Overhead Monorail – EOM)
Uma monovia aérea com eletrificação, onde os troles suspensos são endereçados autoamticamente a estações de trabalho designadas.

Monovia (Monorail)
Descreve sistemas de transportes mecânicos e automáticos. Um sistema elevado de transportador contínuo consistindo de um trilho e um suporte para carga. Os trilhos tipicamente possuem uma corrente tracionada por um motor com mecanismo que transporta as cargas.

Montagem (Assembly)
Etapa em que peças ou componentes formam um produto adequado ao processo em questão.

Montagem sob Encomenda (Assemble to Order)
Tipo de fabricação que ocnverte matéria-prima e componentes de nível inferior a um nível pré-determinado de manufatura e montagem ou configura-os ocnforme pedido do cliente. Produto fabricado contra pedido para que os componentes-chave (matéria-prima, semi-acabados, subconjuntos, fabricados, comprados, etc) usados no processo final de montagem sejam planejados e estocados com antecipação ao pedido do cliente.

Montante (Rack)
Elemento fixo ou desmontável colocado verticalmente sobre um palete e destinado, pricnipalmente, a permitir o empilhamento.

Monte Carlo Simulation
Veja Simulação Monte Carlo

Move order
Veja Ordem de Movimento

Movement Inventory
Veja Estoque em Movimento

Movimentação
É a parte da logística responsável pelo deslocamento interno de produtos em geral (acabados, matérias-primas, insumos, componentes, etc.). São utilizados vários tipos de equipamentos nesta operação, como empilhadeiras, tratores, veículos auto-guiados, carrinhos em geral, guindastes, etc.

Movimentação de Material (Material Handling)
Movimento de produtos em uma pequena distância dentor de uma área. É o deslocamento de qualquer material em qualquer superfície ou combinação de superfícies, por quaisquer meios que incluam a estocagem (movimento com velocidade zero) numa mesma empresa. O deslocamento entre as empresas é denominado de trnasporte.

Movimentação e Armazenagem de Material – MAM (Material Handling and Warehouse)
É a arte e a ciência da embalagem, estocagem, controle e fluxo de materiais dentro de um complexo empresarial (indústria, terminal, depósito, etc.)

Movimento de Produtos (Goods Movement)
Fluxo de um produto específico ou grupo de produtos expresso em termos quantitativos ou financeiros. Este fluxo de produtos pode ser representado por meio da seguinte fórmula: EI + E – S = EF EI – Estoque no início do período E – Entrada total de produtos durante este período S – Saída total de produtos durante este período EF – Estoque no final de um período

Moving Average
Veja Média Móvel

Moving Average Method
Veja Método de Média Móvel

MPS
Planejamento-Mestre da Produção.

MPS – Master Production Schedule
Veja Programa Mestre da produção

MPT ou TPM
Manutenção Produtiva Total.

MRO
Manutenção, Reparo e Operação.

MRO – Maintenance, Repair and Operation
Veja Manutenção, Reparo e Operação

MRP
Material Requirements Planning ou Planejamento das Necessidades de Materiais.

MRP II
Manufacturing Resources Planning ou Planejamento dos Recursos da Manufatura.

MSDS – Material Safety Data Sheet
Veja Folha de Identificação de Segurança do Material

MTBF – Meantime Between Failures
Veja Tempo Médio entre Falhas

MTM
Method Time Measurement ou Redutor do Tempo de Execução do Trabalho.

MTTR – Meantime to Repair
Veja Tempo Médio para Reparo

Mudança Líquida (Net Change)
Aboradagem pela qual o plano das necessidades de materiais é parcialmente regenerado no computador. Sempre que há necessidade de mudança nas necessidades, estoque ou lista de materiais, uma explosão parcial é processada somente nos ocmponentes afetados pela mudança.

Multilevel Bill of Material
Veja Lista de Materiais de Múltiplos Níveis

Multilevel Where-Used
Veja Múltiplos Níveis Onde Usado

Multimodal Transport
Veja Transporte Multimodal

Multimodal Transportation Operator
Veja Operador de Transportes Multimodal – OTM

Multimodalidade (Multimodality)
É a operação de realizar o deslocamento de mercadorias entre a origem e o destino final, utilizando diversos modais de transporte, sob a responsabilidade legal e contratual de um único operador.

Multipack
Veja Embalagem Múltipla

Multiple Floor Rack
Veja Estanteria em Múltiplos Níveis

Multiple Hazards
Veja Perigos Múltiplos

Multiple Item Lot Sizing
Veja Dimensionamento de Lote de itens Múltiplos

Múltiplo de Embalagem (Rounding Order Quantity)
O arrendodamento da quantidade de um pedido adicionaod à necessidade de atender a uma restrição imposta pelo fabricante ou para otimizar os custos da cadeia de abastecimento.

Múltiplos Níveis Onde Usado (Multilevel Where Used)
Registro de todos os componentes que lista todos os itens similares onde aquele determinado componente é usado diretamente, o nível seguinte mais elevado em que itens similares são usados e assim por diante, até o nível mais elevado (nível 0).

Multisourcing
Veja Fonte Múltipla

Murphy’s Law
Veja Lei de Murphy

N

NAFTA – North American Free Trade Agreement
Veja Acordo de Livre Comércio Norte Americano

Nano Supply Chain
É o menor conceito de uma cadeia de abastecimento, que começa com o fabricante abastecendo matéria-prima a uma empresa e ainda inclui otimização da produção. Tipicamente termina com o produto acabado no fim da cadeia de abastecimento.

Narrow Aisle Truck
Veja Empilhadeira para corredor estreito

Navios de Abastecimento (Feeder Ship)
Navios usados para servir portos alimentadores de um ponto hub servido por navios-base.

Necessidade Bruta (Gross Requirement)
A quantidade e tempo de ocorrência das necessidades totais de um material em particular, sem considerar quaisquer disponibilidades do material em estoque ou recebimentos programados.

Necessidade Fixa por Período (Fixed Period Requirement)
Técnica de dimensionamento de lote que determina a quantidade de pedido conforme a demanda por uma série de períodos.

Necessidade Líquida (Net Requirement)
Necessidade bruta menos estoque disponível e recebimentos programados. A necessidade líquida ainda deve considerar conforme tamanho de lote e lead time. Ela é calculada subtraindo-se o material disponível das necessidade brutas.

Need Date
Veja Prazo

Net Change
Veja Mudança líquida

Net Requirement
Veja Necessidade líquida

Net Weight
Peso líquido da mercadoria / carga.

Network focused Metric
Veja Indicador Focalizado em Rede

NIOSHI – National Institute for Occupational Safety and Health
Instituto norte americano responsável pelo desenvolvimento de normas relacionadas à segurança e saúde ocupacional.

Nível de Agregação (Aggregation Level)
Nível até o qual ocorre ou deve ocorrer agregação de produtos no planejamento.

Nível de Estoque (Stock Level)
Quantidade de materiais que estão realmente à mão no estoque disponível para uso.

Nível de Estoque Desejado (target Inventory Level)
Em um sistema de estoque mín-máx, é o equivalente ao médio. O estoque desejado é igual ao ponto de pedido mais da metade da quantidade variável de pedido.

Nível de Fabricação (Fabrication Level)
Nível mais baixo de produção no sistema MRPII. Os únicos artigos neste nível são os componentes (em distinção dos conjuntos e subconjuntos). Estes componentes podem ser comprados em fontes externas ou ser fabricados dentro da organização.

Nível de Planejamento (Planning Level)
Nível ao qual o planejamento refere-se na hierarquia de planejamento: estratégia (plano organziacional), políti (plano mestre) e controle (programa mestre de produção). Os planos de um nível específico de planejamento têm alguns aspectos em comum: nível de agregação, horizonte (ex: 2 anos) e período de planejamento.

Nível de Repedido (Reorder level – ROL)
É a quantidade de estoque calculado em um sistema de controle do mesmo.

Nível de Serviço
percentual de vezes que encontramos o material quando houver a sua necessidade. Exemplo: para um nível de serviço de 95%, de 100 vezes que buscamos o material, a probabilidade de encontrá-lo será de 95%. Para isto nos cálculos do estoque de segurança, é embutido um fator associado ao nível de serviço que se escolhe;

Nível de Serviço ao cliente (Customer Service Level)
Medida de desempenho da entrega geralmente em forma de porcentagem. Em uma empresa que fabrica mediante pedido, geralmente trata-se de uma comparação feita entre o número de itens expedidos em determinado período de tempo e o número de itens que deveriam ter sido expedidos naquele mesmo período.

Nível de Serviço Logístico
Refere-se especificamente à cadeia de atividades que atendem as vendas, geralmente se iniciando na recepção do pedido e terminando na entrega do produto ao cliente e, em alguns casos, continuando com serviços ou manutenção do equipamento ou outros tipos de apoio técnico. (definição de Warren Blanding).

Nível Máximo (Order Up to Level)
Em um sistema de estoque mín-máx, corresponde ao máximo.

Nivelamento da Produção (Production Smoothing)
Termo usado para descrever as tentativas de nivelar a produção, minimizando variações das quantidades produzidas.

NM
Milha Marítima.

Nó (Node)
Ponto fixo no sistema logístico de uma empresa em que os produtos ficam em espera; inclui fábricas, armazéns, fontes de abastecimento, etc.

Nominal Capacity
Veja Capacidade Nominal

Non Value Added Activity
Veja Atividade que não agrega valor

Norma (Standard)
Específicação técnica ou outro documento de domínio público, preparado com a colaboração e consenso ou aprovação de todas as partes interessadas, baseada em resultados conjugados da ciência, da tecnologia e da experiência, visando a otimização de benefícios para a comunidade no seu conjunto e aprovado por um organismo para tal juridicamente qualificado a nível nacional, regional ou internacional.

Normal Distribution
Veja Distribuição Normal

Nota de Expedição (Shipping Note)
Documento fornecido pelo embarcador ou seu agente para o transportador ou outra autoridade de recebimento, dando informações sobre remessas de exportação oferecidas para transporte, e os recibos e declarações de responsabilidade necessários.

Número da Peça (Part Number)
Número ou código de um item. Uma identificação única associada a uma peça específica, tanto para uso do fabricante como do usuário da peça. Veja também SKU.

Número de Conta (Account Number)
Número definido pela transportadora para identificar um embarcador para propósitos de cobrança. Este número aparece no manifesto, etiquetas de embalagem e livros de registro de coletas.

Número de Identificação de Embalagem (Package Id Number)
Número único designado por um embarcador para identificar uma embalagem em particular. É usualmente o número da fatura, pedido, cliente ou qualquer outro que identifica um endereço e nome do consignatário. O número é utilizado para auditoria, rastreabilidade e eventual reclamação.

Número de Localização Internacional (International Location Number – ILN)
Identificação de um endereço logístico e identificação dos produtos pelo EAN.

Número de lote (Batch Number)
Um código utilizado para identificar o ponto específico de produção para um produto ou uma montagem, na fabricação ou processo de montagem.

Número de Rastreamento (Tracking Number)
Número designado por um transportador para identificar embalagens individuais. O número é usualmente código de barras e usados pelos transportadores para rastrear embalagens por meio do sistema de distribuição. Este tambem pode ser utilizado para rastrear embalagens pelo website do transportador na internet.

NVOCC (Non Vessel Operating Common Carrier)
Veja Operador de Transporte Marítimo Sem Embarcação.

O

Obsolecência de Inventário (como indicador de eficácia)
É a quantidade de itens obsoletos, dividida pela quantidade total de itens, vezes 100%.

Obsolescence Cost
Veja Custo de Obsolescência

Obsolescence Risk
Veja Risco de Obsolescência

Obsolete Stock
Veja Estoque Obsoleto

OCR
Reconhecimento Óptico de Caracteres.

OCR – Optical Character Recognition
Veja Reconhecimento Ótico de Caracter

Odômetro
Instrumento usado para indicar o total de quilômetros percorridos.

OEE – Overhead Equipament Effectivered
Veja Rendimento Global do Equipamento

OEM – Original Equipament Manufacturer
Veja Fabricante Original do Equipamento

Off Route Point
Veja Ponto Fora da Rota

OJT – On the Job Trainning
Veja Treinamento no Local de Trabalho

OLAP – On Line Analytical Processing
Veja Processamento Analítico On Line

Ombudsman
Palavra de origem sueca que significa “o homem que representa os interesses” ouvidor, profissional que tem como missão intermediar a comunicação entre o público e a empresa.

OMS – Order Management System
Veja Sistemas de Gerenciamento de Pedido

On Board Computer
Veja Computador de Bordo

On Carriage
Transporte de produtos para o destino após descarregamento do principal meio de transporte

On Going Goods
Veja Produtos em trânsito

On Hand Balance
Veja saldo disponível

On Order Stock
Veja Carteira de Pedidos

On Time Delivery
Veja Entrega a Tempo

One to One Marketing
Veja Marketing um a um

One way trip
Veja Viagem de Mão Única

Open Order
Veja Pedido Aberto

Open to Receive
Veja Liberado para receber

Open Top Container
Container sem teto, coberto com lona. É utilizado para cargas que tenham sua altura excedendo o tamanho de um container tradicional ou então que só possam ser carregados pelo alto.

Opening Stock
Veja Estoque Aberto

Operação de dois homens (Two man operation)
Uma operação conjunta de motoristas alternando dois num mesmo trajeto. Isto facilita esta movimentação sem a parada para descanso no caso de um único motorista. Considerando que existem custos associados durante um período de parada ou descanso que excedem os custos de um motorista extra, esta operação é, algumas vezes, viável economicamente.

Operação em vagão prancha (Trailer Flatcar Operation)
Uma operação na ferrovia, também chamada de piggy/back, a qual os semi-reboques de um transportador rodoviário são carregados no ponto da ferrovia em vagões tipo prancha e descarregados em pontos para agilizar a operação nos trens. No ponto de descarga, os semi-reboques são removidos dos vagões-prancha e tracionados para o consignatário.

Operador de Transporte sem Embarcações (Nonvessel Operating Common Carrier – NVOCC)
Empresa que consolida e desconsolida contêineres em ou para portos, mas que não possui ou opera sua própria embarcação.

Operador Logístico (Third Party Logistics – 3PL)
Empresa especializada em movimentar, armazenar, transportar, processar pedidos e controlar estoques, entre outras coisas. Fornece seus serviços com profissionais treinados. O serviço pode ser no próprio OL ou nas dependências do cliente. Tudo dependerá do acordo firmado.

Operation Plan
Veja Plano de operação

Operational Research
Veja Pesquisa Operacional

OPL – One Point Lesson
Veja Lição de um ponto

Opportunity Cost
Veja Custo de Oportunidade

OPT – Optimized Production Technology
Veja Tecnologia Otimizada de Produção

OPTIM – Operational Profitthrough time and inventory management
Veja Lucro Operacional através da administração de tempo e estoque

Optimal Replenishment Model
Veja modelo de Reabastecimento Ótimo

Optimization Software
Veja Software de Otimização

P

P-System
Veja Sistema P

PAC – Production Activity Control
Veja Controle de Atividade de Produção

Package Id Number
Veja Número de Identificação da embalagem

Packaging Density
Veja Densidade da embalagem

Packing List
Veja Lista de Embalagem

Padronização da Rede da Informação do Armazém (Warehouse Information Network Standar – WINS)
Uma mensagem e um padrão de comunicação utilizada nos armazéns compatíveis com o UCS.

Pagamento antes da entrega (Cash Before Delivery – CBD)
Um termo de vendas no qual o comprador paga ao transportador o preço dos produtos antes da entrega, o vendedor assume o risco do ocmprador recusar os produtos.

Pagamento Contra Entrega (Cash on Delivery – COD)
Termos de pagamento: se o transportador recebe pagamento do consignatário e remete a quantia ao embarcados.

Pagamento Contra Entrega de Documento (Cash Against Document – CAD)
Termos de pagamento: se o comprador de produtos paga os produtos contra a transferência de documentação, autorizando-o a receber os produtos do transportador.

Pagamento Contra Expedição (Cash Collection Shipment – CCS)
Expedição para o qual não se estende crédito. Nesta situação, os custos de frete devem ser pagos antes da expedição ser liberada do transportador ao consignatário.

Palete (Pallet)
É uma plataforma disposta horizontalmente para carregamento, constituída de vigas ou blocos com a(s) face(s) sobre os apoios, cuja altura é compatível com a introdução de garfos de empilhadeira ou outros sistemas de movimentação. Permite o arranjo e o agrupamento de materiais, possibilitando a movimentação, estocagem e transporte como uma única carga.

Palete Cativo (Captive Pallet)
Palete para uso confinado em uma instalação única, com sistema de coleta se transportado para outra empresa. Sem intenção de intercâmbio.

Palete de Aluguel (Rental Pallet)
Palete cuja propriedade é de outro que não o usuário do mesmo, que é alugado para o usuário.

Palete de Expedição (Shipping Pallet)
Palete projetado para ser utilizado para movimentação em uma direção da unidade de carga do embarcador para o recebedor; ele então é reciclado ou descartado.

Palete de Intercâmbio (Exchange Palete)
Palete de múltiplo uso para um grupo designado de embarcadores e recebedores, onde é transferido para o proprietário com a carga. Veja também Pool.

Palete Reciclável (Recycled Pallet)
Palete usado, descartado, reparado ou refeito para novamente passar por outro ciclo ou ciclos de uso, com uma atitude ambientalmente responsável.

Palete Retornável (Returnable Pallet)
Palete projetado para ser utilizado em mais de uma viagem. Palete de múltiplo uso.

Paletes reutilizáveis (Reusable Pallets)
Paletes, geralmente de madeira, que após inspeções, são reparados e retornam ao uso.

Paletização (Palletization)
Arranjo de carga unitária sobre um palete para facilitar a movimentação e estocagem. A colocação dos materiais sobre um palete facilita a movimentação com uso de uma empilhadeira.

Paletizador / Despaletizador (Palletizer / Despaletizer)
Paletizador é um equipamento automático ou semi-automático consistindo de transportadores contínuos sincronizados e mecanismos que recebem as embalagens do transportador posicionando-as sobre paletes de acordo com um arranjo preestabelecido. O despaletizador é uma máquina automática que consiste de transportadores sincronizados e mecanismos para desmonte de uma carga paletizada e descarga em embalagens unitárias.

Pallet Load
Veja Carga Paletizada

Pantógrafo
Dispositivo de locomotiva elétrica, que fica em contato com a rede aérea e transmite a corrente aos motores da máquina.

Paperless Purchasing
Veja Compra sem papéis

Parceria (Partnership)
O entendimento das necessidades de compartilhar informações e colaborar, comunicando os requisitos e envolvendo alianças em todos os processos que fornecem uma vantagem competitiva em atividades importantes para a empresa.

Parcerização
Processo de conhecimento mútuo e aceitação, pelo qual duas empresas devem passar para estarem realmente integradas, visando mesmos objetivos.

Pareto Principle
Veja princípio de pareto

Part Delivery
Veja entrega Parcial

Part Load
Veja Carga Fracionada

Part Number
Veja Número da Peça

Part Period Balancing
Veja Balanceamento de Peças do Período

Partial Order
Veja Pedido Parcial

Participação de Mercado (Market Share)
Quociente de vendas (expresso em termos quantitativos ou financeiros) de uma categoria específica de produtos de um fornecedor (empresa ou marca) e o total de vendas de todos os fornecedores da categoria de produto relevante em um determinado período de tempo.

Participação do Ganho (Gain Sharing)
Método de incentivos no qual os colaboradores / funcionários compartilham os ganhos gerados por melhorias de produtividade.

Partnership
Veja Parceria

Pátio (Yard)
Área usada para estacionar veículos, carregando ou descarregando produtos.

Patola
Braços que estabilizam o caminhão no chão, quando vai ser utilizado o sistema de elevação do guindaste acoplado à carroceria, para que agüente o peso, sem pender para nenhum dos lados (virar o caminhão). Também é utilizado em caminhões que possuem escada magirus ou algum tipo de acessório pesado de elevação.

Payload
Capacidade útil de carga num determinado veículo de transporte de qualquer um dos modais.

PBR
Padrão de palete brasileiro criado pela ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados.

PCM
Planejamento e Controle de Materiais.

PCP – Planejamento e Controle da Produção (Production Planning and Control)
Processo utilizado no gerenciamento das atividades de produção. Sistema de gerenciamento dos recursos operacionais de uma empresa, onde as principais funções envolvem: Planejar – decidir sobre o que produzir e quando produzir; Programar – decidir em que recurso uma operação será realizada e quando se dará o início ou fim; Controlar: monitorar e tomar ações para corrigir os desvios da produção.

PDCA
Plan, Do, Check e Action, ou Planejar, Executar, Verificar e Agir, ferramenta que implica na melhoria de todos os processos de fabricação ou de negócios.

PDM ou Product Data Management
É o gerenciamento de todas as informações e processos relativos ao ciclo de vida de um produto, sendo o período compreendido desde a concepção de um produto (projeto e produção) até sua obsolescência.

PDM – Padrão Descritivo de Material (Material Descriptive Standard)
É o sistema que determina como devem ser identificados e classificados de forma inequívoca, isto é, precisa, unificada e uniformizada, todos os materiais sobre o domínio da organização. Acrônimo para Product Development Management, isto é, sistemas para Gerenciamento dos Processos de Desenvolvimento de Produtos, desde a concepção, especificação, projeto (CAD), controle de versões, engenharia (CAE) e produção (CAM).

PDM – Product Development Management
Veja Gerenciamento do Desenvolvimento do Produto

PDS – Processors Dominated Scheduling
Veja Programação Orientada pelos equipamentos.

Pé-direito (Working Height)
Altura de um pavimento de imóvel (galpão, armazém, edifício, casa).

Pedido a Prazo Fixo (Call Off Order)
Instrução de um fornecedor para entrega de um pedido de compra em uma quantidade específica de produtos, em uma data ou período específico.

Pedido Aberto (Open Order)
Em um sistema MRP, uma ordem de compra ou fabricação liberada. Um pedido de cliente ainda não concluído.

Pedido Antecipado (Forward Order)
Pedido que necessita ser entregue em um determinado momento posterior.

Pedido Automático (Automatic Order)
Processo de pedido por um comprador baseado em ligações que minimizam as interveções humanas e evitam o uso de requisições tradicionais, pedidos de compra e outra documentação. Em alguns países, as máquinas de vendas são equipadas com sensores que transmitem automaticamente quantidades pedidas de reabastecimento.

Pedido auxiliado por computador (Computer Aided Ordering – CAO)
Um sistema baseado no varejo que gera automaticamente os pedidos de reposições das lojas quando o estoque atinge um nível predeterminado. UM sistema computadorizado verifica o estoque de todos os itens na loja fazendo o ajuste para os recebimentos e liberação para vendas.

Pedido Consolidado (Consolidate Order)
O processo de analisar pedidos para determinar os agrupamentos que resultam em menor custo e melhor satisfação de serviço e transporte.

Pedido de Compra (Purchase Order)
Formulário usado pelo comprador quando colocado um pedido para mercadoria com funções associadas à compra de produtos e serviços necessários.

Pedido de Compra em Aberto (Blanket Purchase Order)
Compromisso a longo prazo com um fornecedor de materiais frente ao qual liberações a curto prazo serão geradas para satisfazer as necessidades de consumo. Os pedidos em aberto geralmente cobrem apenas um item com datas de entrega predeterminadas.

Pedido de Separação (Pick Order)
Ordem de retirar certas quantidades de produtos ou produtos específicos do estoque (para expedição e/ou processo de produção).

Pedido em Atendimento (Fill In Order)
Pedido com bastante tempo de entrega. A intenção é que ele possa ser concluído em períodos em que a capacidade disponível não esteja sendo usada ou completamente usada para pedidos normais.

Pedido em atraso (Back Order)
Pedido ou compromisso não efetivado ou cumprido. Um pedido pendente é uma demanda imediata de determinado item cujo estoque é insuficiente para satisfazer tal demanda.

Pedido Experimental (Experimental Order)
Pedido gerado pelo grupo de engenharia, laboratório ou pesquisa e desenvolvimento que deve percorrer as instalações normais de produção com desenvolvimento potencial de mercado ou produto.

Pedido Final (All Time Order)
O último pedido de um produto específico na última fase do seu ciclo de vida. O tamanho deste pedido é tal que a demanda e/ou consumo deste produto pode ser atendida.

Pedido Firme Planejado (Firm Planned Order – FPO)
Pedido planejado que pode ser ‘congelado’ em quantidade e tempo. O computador não tem permissão para alterar automaticamente; é responsabilidade do planejador, encarregado do item que está sendo planejado. Esta técnica pode auxiliar os planejadores que trabalham com sistemas MRP a responder por problemas de material e capacidade. Além disso, os pedidos planejados compõem o método normal de apresentar o programa mestre de produção.

Pedido Futuro (Future Order)
Pedido de um cliente por um determinado produto em particular, ou de um número de produtos. Deve-se conhecer como demanda real para distinguí-lo da demanda prevista.

Pedido Mínimo (Minimum Order)
Muitas empresas estabelecem um lote mínimo para aceitar uma ordem de compra, visando economias de escala para o atendimento. Desta maneira fazem baixar os custos do processamento de pedidos, já que para atender a um mesmo volume de negócios seria necessário um número maior de pedidos.

Pedido Parcial (Partial Order)
Qualquer expedição recebida ou enviada que seja menor do que a quantidade solicitada.

Pedido Pendente (Backlog)
Todos os pedidos de clientes que foram recebidos, mas que não foram processados. Carteira de pedidos ainda não atendida.

Pedido Perfeito (Perfect Order)
A porcentagem de pedidos atendidos perfeitamente, sem mudanças, sem substituições, sem erros, entregues em tempo aos clientes.

Pedido Periódico (Periodic Ordering)
Sistema de pedido que determina, em momentos fixos, se um pedido deve ser efetuado e qual a quantidade.

Pedido Piloto (Pilot Order)
Veja Pedido Experimental

Pedido Planejado (Planned Order)
Quantidade de pedido sugerida e data de vencimento criados por um sistema MRP. Os pedidos planejados em um nível serão explodidos em necessidades brutas de componentes no próximo nível inferior. Os pedidos planejados também servem como “input” para o planejamento das necessidades de capacidade junto com pedidos liberados para mostrar as necessidades de capacidade total em períodos futuros.

Pedido Suspenso (Hold Order)
Ordem por escrito que determina que certas operações sejam interrompidas ou encerradas, aguardando mudança no projeto ou outra disposição de material.

Pedido Urgente (Rush Order)
Pedido que por alguma razão deve ser efetivado com lead time inferior ao normal.

Pegging
Em MRP e MSP, a capacidade de identificar para determinaod item, quais as fontes de suas necessidades brutas e/ou alocações.

Pélago
Profundidade do mar; mar alto.

PEPS
é a nomenclatura para o método de armazenagem, em que o produto que é o Primeiro a Entrar no estoque é o Primeiro a Sair ou First-In, First-Out (FIFO).

Percent of Fill
Veja Porcentagem de Atendimento

Perda de Estiva (Broken Stowage)
Perda de espaço devido a irregularidade no tamanho e formato das embalagens. Qualquer espaço vazio em um contêiner não ocupado com carga.

Perda no Estoque (Inventory Shrinkage)
Perdas resultantes de furto, extravios ou deterioração.

Perfect Order
Veja Pedido Perfeito

Perfil de Carga (Load Profile)
Apresentação das necessidades de capacidade futura com base em pedidos planejados ou liberados durante um período de tempo específico.

Performance Support System
Veja Sistema de Suporte ao Desempenho

Perigos Múltiplos (Multiple Hazards)
Um material com definição de mais de uma classe de risco ou perigo.

Periodic Inventory
Veja Inventário Periódico

Periodic Ordering
Veja Pedido Periódico

Periodic Replenishment
Veja Reabastecimento Periódico

Período de Tempo (Time Bucket)
Número de dias resumido em colunas. Um período de tempo semanal com todos os dados relevantes para uma semana inteira. Períodos de tempo semanais são considerados os maiores possíveis para permitir eficácia no planejamento das necessidades de material.

Permissão de embarque (Shipping Permit)
Quando o exportador arranja espaço e a empresa emite uma permissão de embarque para o embarcador ou seu agente. Esse documento fornece instruções de recebimento no cais específico de acordo com a quantidade e características do embarque. Prática comum para recibo de doca e anexando-se a permissão de embarque para assinatura do pessoal de recebimento quando os produtos são entregues na doca. Quando diversos embarques são feitos por caminhão, esta é uma prática comum para fornecer um memorando dos recibos ao motorista. Quando o embarque está completo e todas as entregas feitas, o memorando de recibos é substituído por um recibo de doca.

Perna (Leg)
Uma perna tem uma origem, um destino, um transportador e é composta por todos os segmentos consecutivos de uma rota programada para o mesmo transportador. Também chamada de perna agendada.

Perpetual Inventory
Veja Inventário Perpétuo

PERT
Project Evaluation and Review Technique ou Técnica de Avaliação e Revisão de Projetos.

Peso Bruto (Gross Weight)
Peso dos produtos incluindo embalagem, expresso geralmente em quilogramas.

Peso Dimensional (Dimensional Weight)
Uma fórmula padrão usada por empresas do setor de entrega para medir a densidade da embalagem aplicada para entregas áereas com dimensões maior do que 0,283m³, e de acordo com a fórmula são considerados grande proporção em seu peso.

Pesquisa Operacional (Operational Research)
Termo usado na segunda Guerra Mundial para investigações científicas que visava substituir a tomada de decisões intuitiva por uma abordagem analítica, sistemática e interdisciplinar.

PFMA – Process Failure Modes Analysis
Veja Análise de Modos e Efeitos de Falah de Processo

Phantom Bill of Material
Veja Lista de Material Fictícia

Physical Distribution
Veja Distribuição Física

Physical Inventory
Veja Estoque Físico

Pick and Pack
separar os materiais e etiquetar, embalar, etc.

Pick Demand
Veja Demanda de Pico

Pick Time
Veja Tempo de Separação

Pick to Light
Veja Separação por Luz

Pick Up Sheet
Veja Lista de coleta

Pick-Pack
Veja Separar e Embalar

Picking Face
Veja Face de Separação

Picking List
Veja Lista de Separação

Pier to Pier
Veja Cais a Cais

Pier to Pier (Cais a Cais)
Modelo de transporte em que o agente é responsável pelos custos e riscos desde o porto de origem até o porto de destino.

PiggyBack
O transporte de carretas ou semi-reboques sobre vagões ferroviários especificamente equipados para estes serviços. É essencialmente a combinação do transporte no qual os caminhões são retirados e entregues em terminasi ferroviários.

PiggyBack Trailer on Flatcar
Veja Carreta Intermodal

Pilferage
Veja Furto

Pilot Lot
Veja Lote Piloto

Pilot Order
Veja Pedido Piloto

Pilot Plan
Veja Plano Piloto

Pilotagem (Pilotage)
Operação de assistência ou ajuda à manobra dos navios na sua entrada ou saída do porto, assim como às manobras de atracagem e de desatracagem. A execução deste trabalho é de responsabilidade dos membros da Associação de Práticos de cada porto.

Pipeline
Veja Canal

Pipeline Stock
Veja Estoqueno Canal

Pipeline Transportation
Veja Transporte Dutoviário

PIS – Purchase Information System
Veja Sistema de Informações de Compras

PIS – Purchase Information System
Veja Sistema de Informação de Compras

PKE – Process Kaizen Engineer
Engenheiro especializado em processos de melhorias contínuas (Kaizen)

Place an Order Against Contract
Veja Colocar Pedido Contra Contrato

Place Utility
Veja Utilidade Local

Placement
Veja Posicionamento

Planejamento (Planning)
Processo de regular e coordenar atividades com base no tempo e também nos recursos disponíveis e no modo como estas atividades serão realizadas, com o objetivo de assegurar que elas sejam realizadas da melhor forma para que os objetivos estabelecidos sejam atingidos com eficácia máxima.

Planejamento Agregado (Aggregate Planning)
Processo de prover um esquema de capacidade de produção com horizonte de médio prazo para sustentar a previsão de vendas de um produto.

Planejamento da Instalação (Facility Planning)
Determinação de quando e de quanta capacidade de produção de longo prazo é necessária. Onde as facilidades de produção devem ser localizadas, bem como o layout e as características dessas facilidades.

Planejamento da Necessidade da Capacidade (Capacity Requirement Plannig – CRP)
Função que estabelece, mede e indica os limites ou níveis de capacidade. O termo “planejamento das necessidades da capacidade” neste contexto é o processo que determina em detalhe quanto de mão de obra e recursos de máquinas serão necessárias para executar as tarefas da produção. As ordens abertas e planejadas do sistema MRP são as entradas do CRP, que as traduzem em horas de trabalho por centor de trabalho e por período de tempo. Sistema que calcula as necessidades de capacidade infinita com base no tempo e por tipo para executar o programa de produção.

Planejamento das Necessidades de Distribuição (Distribution Requirement Planning – DRP)
Função de determinar a necessidade de reabastecer o estoque em armazéns e filiais. Utiliza-se uma abordagem de ponto de pedido cronológico em que os pedidos planejados no armazém são “explodidos” via lógica de MRP para tornarem-se necessidades brutas no fornecedor. No caso de redes de distribuição de níveis múltiplos, este processo de explosão pode continuar nos vários níveis de armazéns regionais (armazém principal, armazém de fábrica, etc) e tornar-se “input” ao plano mestre de produção. A demanda nos fornecedores de suprimentos é reconhecida como dependente e aplica-se a lógica padrão MRP. Em geral, os cálculos para reabastecimento de estoque, que podem basear-se em outras abordagens de planejamento como quantidades de pedido por período ou “repor exatamente o que foi usado”, em vez de limitar-se à abordagem de ponto de pedido cronofásico, envolvendo recursos de um sistema de distribuição limitar-se à abordagem de ponto de pedido cronofásico, envolvendo recursos de um sistema de distribuição.

Planejamento das Necessidades de Material (Material Requirement Planning – MRP)
Técnica para planejamento das prioridades que é orientada por um programa mestre de produção e relaciona as demandas de componente aos programas de produção de itens.

Planejamento das Necessidades de Material em Circuito Fechado (Closed Loop Material Requirements Pla
Sistema global em que o planejamento das necessidades de material está relacionado a outros sistemas para oferecer “fedd back” de informações MRP em circuito fechado entre as funções de planejamento e execução, fechando assim o circuito de informações.

Planejamento das Necessidades de Transporte (Transportation Requirements Planning)
Utilização da tecnologia informatizada disponíveis em banco de dados MRP e DRP para planejar as necessidades do transporte baseada na demanda.

Planejamento de Atividade (Activity Planning)
Planejamento de todas as atividades de um departamento ou divisão para um calendário anual específico elaborado com base nas regras aplicadas a toda a empresa e que também forma a base para a base orçamentária.

Planejamento de Capacidade (Capacity Planning)
Processo de determinação da capacidade necessária para produção futura. O planejamento da capacidade pode ocorrer de forma agregada (Veja Planejamento da Capacidade Finita) detalhada. As ferramentas empregadas para este último, incluem o tradicional processo de Planejamento das Necessidades de Capacidade, o Planejamento e Programação da Capacidade Finita e Planejamento e Programação da Capacidade Avançada, que não só reconhecem as sobrecargas específicas mas também provêm as recomendações para superá-las.

Planejamento de Capacidade Agregada (Rought Cut Capacity Plannig)
É o processo de converter o Plano Mestre dentro das necesidades agregadas dos recursos chave (brutas), frequentemente incluindo mão de obra, equipamento, materiais, espaço para armazenagem e, em alguns casos, recursos financeiros. Esta capacidade não contempla algumas atividades que somente serão programadas no estágio de Programação da Capacidade Finita, como preparação de máquinas, manutenção preventiva, etc. Estes elementos de tempo são apenas estimados com base na eficiência global.

Planejamento de Capacidade Finita (Finite Capacity Planning)
O processo pelo qual o Plano de Operações ou o Programa Mestre de Produção pode ser convertido em necessidades futuras de capacidade. Com frequência, o Plano de Operações expresso em unidades de produto, é “transformado” em horas padrão da carga de trabalho (que é uma unidade de medida comum para as operações de produção). O Planejamento da Capacidade Finita pode ser utilizado a nível departamental, ou para subconjuntos de departamentos até peças individuais de equipamentos ou níveis específicos de habilidades do pessoal da produção.

Planejamento de Carga (Load Planning)
Planejamento da distribuição da capacidade necessária sobre a capacidade disponível de cada um dos funcionários, recursos de produção, departamentos, etc.

Planejamento de Distribuição (Distribution Planning)
Planejamento da distribuição, ou seja, seleção dos canais de distribuição e criação de uma estrutura das condições sob as quais a distribuição de produtos deverá ocorrer.

Planejamento de Recurso (Resource Planning)
Planejamento da capacidade como plano organziacional. O processo de estabelecer e ajustar limites ou níveis de capacidade a longo prazo. O planejamento de recursos normalmente baseia-se no plano de produção, mas pode ser orientada por planos de níveis além do tempo para o de produção. Considera-se aqueles recursos que demoram mais para serem adquiridos. As decisões do planejamento de recursos necessitam de aprovação da direção.

Planejamento de Suprimento (Supply Planning)
A função de definir as quantidades planejadas de produção (tanto intenra como terceirizada) para satisfazer o plano de demanda e atender as metas de inventário e dos pedidos pendentes/ atrasados.

Planejamento de Vendas e Operações (Sales & Operations Planning – S&OP)
Um processo de negócios que ajuda as empresas a manterem a demanda e a oferta balanceados. Focado nos volumes agregados – famílias de produtos e grupos – de modo que os problemas de mix – produtos individuais e pedidos de clientes – possam ser tratados mais prontamente. Ele ocorre numa periodicidade mensal e apresenta informações em unidades e reais ou doláres. O S&OP é multidisciplinar, envolvendo a Gerência Gerla, Vendas, Operações, Finanças e Desenvolvimento de Produtos. Ocorre em váriso níveis dentro da empresa, até o executivo responsável da unidade de negócios, ou seja, o gerente da divisão, o gerente geral da unidade de negocios, ou o Presidente de uma empresa menor. O S&OP liga os Planos Estratégicos e o Plano de Negócios da empresa aos seus processos detalhados – a entrada do pedido, a programação mestre, a programação da fábrica e as ferramentas de compras que ele usa para conduzir o negócio semana a semana.

Planejamento do Negócio (Business Planning)
Processo de planejamento a longo prazo, com período mínimo de um ano, das principais linhas de produtos e rentabilidade esperada.Pode consistir de projeções de rendimentos, custos e lucros geralmente acompanhados de orçamentos bem como do fluxo de caixa (fonte e aplicação de fundos).

Planejamento do Recurso Empresarial (Enterprise Resource Planning – ERP)
Sistema de informações com abrangência ampla para identificar e planejar os recursos necessários em toda a empresa para receber, produzir, expedir e contabilizar os pedidos de clientes. Também denominado Sistemas de Gestão Empresarial. Com a evolução dos sistemas CRM passaram a ser denominados Sistemas de Back Office (Bastidores).

Planejamento dos Recursos da Distribuição (Distribution Resources Planning – DRPII)
Planejamento das necessidades de distribuição (DRP) é a função de determinar o que é necessário para reabastecer o estoque nos armázens das filiais. É usada uma abordagem de ponto de pedido programado, onde os pedidos planejados de armazém filail são “explodidos” via lógica MRP, para se tornarem necesidades brutas no fornecedor. No caso de redes de distribuição de múltiplos níveis, este processo de explosão continua pelos vários níveis dos centros de distribuição, armazéns regionais, armazéns de fábrica, etc., e torna-se informação para o programa mestre de produção ao nível da fábrica. É uma extensão do planejamento das necessidades de distribuição para o planejamento dos recursos chaves contidos num sistema de distribuição, tais como espaço de armazém, mão de obra, dinheiro, caminhões, frete, etc.

Planejamento dos Recursos de Manufatura (Manufacturing Resources Planning – MRPII)
Método formal e total de planejamento e programação eficiente de pessoas, instalações, materiais e ferramentas de uma empresa de manufatura.

Planejamento Estratégico (Strategic Planning)
Planejamento da empresa partindo das camadas gerenciais mais altas em direção à base. Gerencia primeiramente a política, para, em seguida, fazer o arranjo da tecnologia, organização e as instalações para dar suporte a tudo isso.

Planejamento Mestre (Master Planning)
Planejamento em que as atividades futuras são descritas e apresentadas de form ampla com relação a tempo e local. As datas para realização das atividades mais importantes e datas de conclusão são especificadas no planejamento de um projeto em particular. No planejamento da produção contínua, os níveis de produção são descritos para os períodos futuros próximos. No planejamento de produção em lotes e produção cíclica, descreve-se a sequência e possivelmente o tamanho dos lotes.

Planejamento para contingências
É planejar para alguma circunstância extraordinária que paralise a operação normal do sistema logístico. Estas contingências podem ser acidentes, greves, produtos defeituosos, paradas no suprimento, etc. Para toda a ocorrência prevista deverá ter um plano de ação emergencial previsto para ser colocado em prática.

Planejamento Sistemático de Layout (Systematic Layout Planning – SLP)
Técncia para planejar layouts de instalações que traça a importância relativa dos váriso departamentos, colocando-os alternadamente próximos entre si. Usando o passo a passo dos procedimentos, convenções e fases para planejar um layout, adicionando um sistema e uma estrutura para o plano.

Planned Issue
Veja Emissão Planejada

Planned Load
Veja Carga Planejada

Planned Order Receiving
Veja Recebimento Planejado de Pedido

Planning horizon
Veja Horizonte de Planejamento

Planning Level
Veja Nível de Planejamento

Plano da Demanda (Demand Plan)
Plano de vendas (previsão) e outras demandas antecipadas como entre plantas, exportação, etc.

Plano de Cadeia de Abastecimento Integrada (Integrated Supply Chain Plan)
Cursos de ação em relação aos perídos de tempo específicos que representam uma dequação proejtada do ttoal de recursos da cadeia de abasteciemtno para atender os requisitos da demanda total da cadeia de abastecimento.

Plano de Capacidade Nivelada (Leveled Capacity Plan)
Plano agregado de produção que tem uma capacidade uniforme por dia, de intervalo a intervalo de tempo.

Plano de Contingência (Contingence Plan)
Preparação de respostas para calamidades ou sitações indesejáveis, antes que elas ocorram, com detalhamento de ações corretivas.

Plano de Operação (Operation Plan)
Os ritmos e volumes de produção ou de aquisição aceitos para apoiar o Plano de Vendas (Plano de demanda, Previsão de vendas) e para alcançar as metas de inventário ou registro de pedidos pendentes / atrasados. O Plano de Operações, autorizado na reunião de S&OP Executivo, torna-se as “ordens de partida” para o programador mestre, que deve definir o Programa Mestre de Produção em coerência com o Plano de Operações.

Plano de Produção (Prodution Plan)
Plano elaborado conforme acordo mútuo que deriva da função de planejamento (produção) de operações e vendas, especificamente o nível geral do resultado planejado de manufatura a ser produzido. O plano de produção é a autorização da direção para o programador mestre convertê-lo em um plano mais detalahdo, ou seja, o programa mestre de produção.

Plano de Vendas (Sales Plan)
Definição das expectativas dos pedidos antecipados que serão recebidos para cada família de produto ou item. Este representa o compromisso de vendas e marketing para atingir o nível necessário dos pedidos dos clientes. Oplano de vendas é um input necessário para o processo de planejamento de vendas e operações.

Plano Diretor (Master Plan)
Plano de uma isntalação (planta) envolvendo o plano do negócio e o arranjo físico, inclusive com diretrizes para futuras expansões.

Plano do Negócio (Business Plan)
Uma descrição das estratégias e dos objetivos de receitas, custos e lucros a longo prazo, normalmente acompanhados de orçamentos, folha de balanço proejtado, da descrição do fluxo de caixa (origem e aplicação de fundos). Um plano de negócio é formalmente descrito em termos de dinheiro e agrupado por famílias de produto. O plano de negócios de vendas e operações e o plano de produção, embora com frequência sejam descritos em termos diferentes, devem ser integrados entre si.

Poka-Yoke
Palavra japonesa que significa métodos simples, que servem como a prova de falhas no processo.

Ponto de Ressuprimento

Quantidade determinada para que ocorra o acionamento da solicitação do Pedido de Compra. Também determinado “Estoque Mínimo”.ou Ponto de Reposição


Popa
parte posterior do navio.

Portais Horizontais
portais que não são exclusivos de um único setor, ao contrário dos portais verticais.

Portais próprios
são desenvolvidos e administrados pelas próprias empresas compradoras (buy-side) ou vendedoras (sell-side) de produtos e/ou serviços. Esses

Portais terceirizados
são operados por empresas especializadas em B2B, que prestam serviço a companhias que desejam adquirir e/ou comercializar utilizando a Internet. Esses podem ser de dois tipos: portais verticais e portais horizontais.

Portais Verticais
Os mercados verticais servem a um setor vertical específico, como o de energia, hoteleiro […]. (Kalakota; Robinson, 2002, p. 295-296).

Postponement
retardamento da finalização do produto até receber de fato o pedido customizado.

Power of Attorney
Procuração ou outro instrumento legal, que autoriza uma pessoa ou empresa a atuar como agente ou procurador da mesma.

PPCP
Planejamento, Programação e Controle da Produção.

Prancha de carregamento
Faz parte das normas de operação dos portos, e significa a tonelagem mínima estabelecida que será operada num período de seis horas.

Práticas Colaborativas
Aponta uma série de iniciativas que tem como base a troca de informação e a eleição de objetivos comuns entre os participantes de uma cadeia de suprimentos. Reúne uma série de processos que resultam no envolvimento de todos os parceiros para o planejamento contínuo, que interagem das vendas até o suprimento.

Prático
Profissional especializado que possuindo grande experiência e conhecimentos técnicos de navegação e de condução e manobra de navios, bem como das particularidades loca